Alternativa para combater a crise hídrica

Alternativa para combater a crise hídrica

Colégio Santa Maria

25 Maio 2015 | 06h40

Colégio Santa Maria firma parceria com escola pública para ensinar a produzir cisternas e colocá-las em funcionamento

Cisterna 8º anoA crise de abastecimento de água em São Paulo motivou o Colégio Santa Maria a ampliar o projeto de produção de cisternas, iniciado há dois anos na escola. Em 2014, os alunos do 8º ano do Ensino Fundamental II, coordenados pela professora de Ciências, Denise Carneiro, produziram e doaram um kit de coletor de água de chuva para a creche da Prefeitura CCA Frei Reginaldo depois de terem instalado um equipamento no próprio Colégio, utilizado para a rega do viveiro de plantas.
Este ano, o foco do trabalho da série é conscientizar a comunidade sobre a importância da redução do consumo de água, por isso o Santa Maria fechou parceria com uma escola pública da zona sul da capital para transmitir o mesmo conhecimento aos seus alunos. No final de março, os alunos doaram uma cisterna para um orfanato em Carapicuíba. “Nosso objetivo é sair dos muros da escola”, afirma a professora Denise, que já fala em usar técnicas de higienização da água acumulada da chuva para torná-la própria para o consumo humano.
Os alunos da EJA (Educação para Jovens e Adultos) do Santa Maria, que frequentam o período noturno, também terão aulas práticas na oficina de manutenção do Colégio e, dessa forma, poderão aplicar o projeto nos bairros em que vivem.
A cisterna desenvolvida pelos alunos tem capacidade de 200 litros e faz uso de matéria-prima de baixo custo e até mesmo reaproveitada, como canos de PVC. O processo é bastante simples, e pode ser produzida por qualquer um, com custo estimado de R$ 350,00.

Mais conteúdo sobre:

Crise hídircaeducação ambiental