A importância dos projetos literários no desenvolvimento das competências escritora e leitora

A importância dos projetos literários no desenvolvimento das competências escritora e leitora

COLÉGIO SANTA MARIA

12 de dezembro de 2019 | 07h30

Autoria: Sandra Evangelista

Fantasia, imaginação, brincadeira, criatividade… são expressões que associamos ao ato da leitura e, muitas vezes, de forma consciente ou não, consideramos que debutam quando a criança ingressa na vida escolar. No entanto, fato é que, desde a mais tenra idade, os pequenos buscam compreensão e sentido para o espaço que os cerca. Odores, sons, toque, cores, paladar são aportes sensoriais que despertam alegria, geram dor, prazer, paixão, suscitam curiosidade; por meio deles, as crianças estão realizando as suas primeiras leituras de mundo.

É inescusável, portanto, a premissa de que a literatura nos embala muito antes da leitura e da escrita. Não se trata apenas da distinta decodificação de símbolos, esta é uma porção do percurso que se entrelaça a uma série de estratégias que têm o poder de confeccionar a ligação lúdica entre o mundo da inventividade, dos símbolos subjetivos e o mundo dos signos convencionais construídos pela cultura sistematizada.

Quando as crianças chegam à escola, a literatura se potencializa e lhes proporciona desenvolvimento emocional, social e cognitivo, pois quando ouvem e leem histórias, passam a projetar, de forma mais clara, sentimentos que têm em relação ao mundo.

No Colégio Santa Maria, os projetos literários fazem parte de uma prática pedagógica constante que considera que, quanto mais cedo as crianças têm contato com os livros e percebem o prazer que a leitura produz, leitores mais competentes se tornam.

Ao buscar variados textos literários, os estudantes realizam novas descobertas, ampliando a compreensão de si e do mundo. Para isso, transcorrem-se visitas (acompanhadas ou não) regulares à Biblioteca (espaço convidativo, de portas sempre abertas, extensão do parque nos momentos de recreio, ócio divertido e criativo), bem como as escolhas literárias, a diversidade dos gêneros textuais trabalhados em sala de aula e fora dela. Toda essa empreitada tem influenciado de maneira significativa o desenvolvimento de habilidades orais, leitoras e escritoras.

Na contação de histórias, na socialização das leituras e indicações literárias, os estudantes percebem que podem descobrir outros lugares, outras formas de agir, já que as histórias trabalham temas diversos e peculiares ao universo infantil: ciúme, curiosidade, afeto, medo, perda…  que se incorporam a outros mais complexos: filosofia, política, antropologia.  Dessa maneira, confrontam ideias, interagem verbalmente e adquirem uma postura mais crítica e reflexiva diante da realidade. Além disso, a leitura colaborativa – espaço de circulação de informações entre alunos – possibilita a articulação de pistas textuais e conhecimentos prévios que possibilitam a apropriação de procedimentos de leitura e a ampliação da competência leitora.

O trabalho com literatura permite aos estudantes enredar a significação própria de suas leituras de livros com os vários significados com os quais se deparam no decurso de suas andanças pelas salas de aula, pelos jardins do Colégio Santa Maria, pelo mundo!

 “A leitura possibilita essa operação maravilhosa que é o encontro do que está dentro do livro com o que está guardado na nossa cabeça.” Ruth Rocha

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: