A importância de cada um na formação do grupo

A importância de cada um na formação do grupo

COLÉGIO SANTA MARIA

10 de março de 2022 | 06h00

Autoria: Gabriela Kraft  Herane, professora do Pré B do Colégio Santa Maria

O trabalho na Educação Infantil do Colégio Santa Maria envolve a compreensão e o respeito do indivíduo e do coletivo. Entre as técnicas usadas para levar a criança à reflexão sobre o espírito da coletividade saudável, recorremos à literatura infantil.

Com histórias como “Ninguém gosta de mim”, de Raoul Krischanitz, “A zebrinha preocupada”, de Lúcia Reis, “Pedro e Tina”, de Stephen Michael King, e a música “Normal é ser diferente”, de Jair Oliveira, as crianças do Pré B (cinco anos) avaliam o significado das diferenças e surgem diálogos desse tipo:

“Eu tenho cabelo enrolado e preto e o cabelo da Júlia é só um pouquinho enrolado e é mais claro” (Gabriela)

“Eu sou mais baixinho, mas também tenho 5 anos” (Gael)

“Idade não tem nada a ver; às vezes uma pessoa mais nova é mais alta que uma pessoa mais velha” (Helena)

“Todo mundo é diferente!” (Júlia)

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.