A importância da recitação oral na Educação Infantil

A importância da recitação oral na Educação Infantil

COLÉGIO SANTA MARIA

26 de agosto de 2021 | 07h00

Autoria: Gisele Magalhães Coli

Na Educação Infantil do Santa Maria, um dos focos de desenvolvimento é a oralidade. Reconto, parlenda, trava-língua, brincadeira cantada, cantiga de roda e poesia são propostas que possibilitam que as crianças ampliem o vocabulário, memorizem trechos e falas, utilizem expressões e palavras que aparecem nos diversos contextos, fiquem atentas à sequência dos acontecimentos e percebam que a escrita dos diferentes portadores comunica.

São encontros que promovem a construção de bases sólidas para que as crianças participem plenamente de situações orais, onde a imaginação, a emoção e o pensamento crítico e criativo evocam sensações e lembranças afetivas. Nesse caso, por conta dos ritmos melódicos, das rimas, repetições e do próprio caráter lúdico. Além disso, por meio dessa multiplicidade de experiências, é possível trabalhar aspectos da consciência fonológica, tão necessários para o processo de alfabetização.

“Passar a peneira menina”, falar com o “tatu tá aí?” ou “ir à feira comprar uva para encontrar uma coruja” são momentos preciosos para que a criança viva a diversidade cultural, a ampliação de acervos por meio de narrativas e brincadeiras da tradição popular.   

     

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.