A importância da documentação pedagógica

A importância da documentação pedagógica

Colégio Santa Maria

09 de maio de 2019 | 07h30

Autoria: Claudia Sande e Gabriela Siqueira

 

Inúmeras são as histórias, as situações, as interações e as investigações vividas pelos alunos do 4º ano do Ensino Fundamental do Colégio Santa Maria. Momentos, na sua essência, reveladores de concepções e de conhecimentos e, por isso mesmo, têm o mérito de serem narrados, dignificados, conhecidos, analisados, reinterpretados, admirados e refletidos.

O registro em sala de aula é essencial para a compreensão do que se faz e do porquê se faz, pois as experiências vividas no dia a dia vão constituindo a história do nosso grupo de alunos e professores e são feitos de diversas maneiras: escritos, fotografados e filmados. A documentação pedagógica não é efetivada apenas para favorecer a rememoração de fatos, situações e diálogos. Ela é produzida para favorecer uma reflexão acerca da intencionalidade das nossas ações desencadeadas, para nos permitir elaborar ajustes articulados com as apropriações objetivadas pelo grupo e, mais ainda, favorecer a evidência da aprendizagem de nossos alunos e evitar o escape de manifestações significativas.

As ações essenciais a esse processo são: observar, registrar e refletir sobre o processo didático-pedagógico de modo crítico para que seja possível alinhar os conhecimentos às nossas práticas em sala de aula.

Atualmente, os alunos buscam mais informações sobre os temas abordados e querem compartilhar as suas novas produções. Desta forma, propiciar a eles um espaço para que aprimorem seus conhecimentos tem sido uma ação sistemática das professoras da série.

O PAINEL da sala deixou de ser um suporte de “trabalhos”, um cenário, e passou a ser um instrumento de construção coletiva e de comunicação entre os alunos sobre os saberes apreendidos. A aluna Carolina Lima Maciel do, 4º ano E, relatou: “Hoje adoro fazer as lições de casa, pois passo muitas tardes procurando ideias que foram abordadas na sala de aula para expor no mural da classe e para que todos aprendam mais, como eu”.

As produções ali expostas representam as vivências do grupo. O painel acolhe e expressa os pensamentos, os sentimentos e as produções, ao mesmo tempo que tem a função de apresentar memórias do trabalho desenvolvido. Como disse o aluno Rafael Roxo Busse do 4º ano E: “Estou adorando mostrar para os meus amigos os estudos que faço para participar da Olimpíada Brasileira de Astronomia. São muitas informações sobre o Universo, gosto muito disso e aprendo com as informações que os meus colegas colocam no painel do corredor”.

Essas documentações provocam também novas discussões, já que, ao montar e rediscutir o que fica e o que muda nos materiais expostos, os alunos são encorajados a pensar sobre suas próprias aprendizagens e experiências. Mobiliza o pensamento de maneira a rever as ações de estudo, uma vez que instiga à reflexão.

Buscamos fomentar nos alunos o gosto pelo aprender, o cuidado com as escolhas e com o respeito à opinião do outro. É gratificante percebermos as conquistas de cada um e como todos se envolvem com as propostas de ensino. Além de aprenderem muito, é claro!

O exercício de documentar tornou-se um instrumento significativo de análise e avaliação da qualidade de nossas concepções e das práticas educativas oferecidas aos grupos. E para os alunos, tornou-se uma maneira de dar visibilidade à sua autoria no processo de construção do conhecimento, além de provocar o protagonismo em seu papel de estudante na escola, oportunizando a produção de novas ideias e conceitos acadêmicos e, principalmente, desenvolvendo o seu próprio saber.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.