6º ano do Ensino Fundamental: momento de mudanças

COLÉGIO SANTA MARIA

01 Fevereiro 2017 | 07h30

Ana Lúcia A.Z.M. Parro

A chegada ao Ensino Fundamental 2 e,  principalmente  ao  6º  ano, representa um período de mudanças bastante significativas para as famílias e estudantes, gerando ansiedade e muitas dúvidas.

Como lidar com tantas mudanças no âmbito físico, emocional e social? Como concatenar os diversos professores e disciplinas? Como se organizar em relação aos tempos e espaços? Como saber o que estudar e em qual momento? Essas e outras tantas perguntas vão surgindo para os estudantes e seus familiares…

Mas nesse momento, é necessário manter a calma e discernimento! É claro que não será uma época fácil pois, como em toda mudança, é preciso lidar com o desconhecido, com desafios nunca antes imaginados, aprender a conhecer a nós mesmos e, principalmente, a reconhecer o outro… E é justamente isso que faz também, deste período, uma época de surpreendentes e deliciosas descobertas.

Para que todas essas descobertas e desafios ocorram da maneira mais natural possível, todos nós – escola, familiares e estudantes – precisamos trabalhar juntos, confiando no trabalho e na visão um do outro, mantendo sempre um diálogo sincero e, acima de tudo, respeitoso.

Portanto, familiares, é importantíssimo que acreditem na escola que escolheram para seus filhos. Sabemos que as inseguranças serão muitas, mas é necessário que confiem na equipe. No Colégio Santa Maria, todas as decisões tomadas ao longo do caminho são cuidadosamente analisadas e discutidas, visando, acima de tudo, o crescimento pessoal dos estudantes.

Sabemos que a vontade de tomar a frente das situações é quase incontrolável; que não ver os filhos em apuros, ou passando por alguma dificuldade é o desejo de qualquer familiar. Mas é importante perceber que serão esses momentos que farão com que eles desenvolvam habilidades que os permitirão amadurecer, trabalhar com a diversidade, fazer escolhas, se organizar e, com tudo isso, desenvolver a autonomia e o autoconhecimento, se apropriando, paulatinamente, de suas responsabilidades.

Claro que os familiares não devem fazer com que os estudantes ajam totalmente por conta própria, deixando de acompanhar o processo pedagógico. Mas é necessário aprender o equilíbrio entre essas duas posturas. Podemos dizer que, de certa forma, equilíbrio é a palavra-chave para o 6º ano!

Nesse sentido, desde a primeira semana de aula, incentivamos os estudantes a fazerem perguntas, a compartilharem suas dúvidas sobre o cotidiano do novo ano, para que possam se apropriar da dinâmica da série. Por sabermos o significado dessa dinâmica, temos a preocupação de ensinar aos estudantes como devem arrumar sua mochila, a organizarem um mapa de atividades semanais, com horários específicos e espaço adequado para a elaboração das tarefas e dos estudos diários.

Desse modo, seguindo a organização desse mapa de atividades elaborada na escola, eles passam a entender que o estudo diário permitirá identificar as dificuldades que estão tendo;  que mesmo após alguns dias sem o contato com o professor e a disciplina, há a continuidade de assuntos, e que as perguntas e as dúvidas sobre os temas abordados precisam ser feitas aos professores.

Visando sempre o trabalho em parceria – escola e família – propomos aos familiares que perguntem aos alunos como foram suas aulas, que incentivem a conversa com os professores sobre suas dúvidas e reforcem que a equipe de professores e a orientação estão na escola para ajudá-los.

Por tudo isso, especialmente no começo, os pais precisam reforçar em casa a organização do tempo, que monitorem a elaboração das tarefas e mostrem que, apesar do aparente longo prazo para realizá-las, é preciso cuidado para não deixar que acumulem. Vale também conferir se a mochila está com os materiais previstos, até que ele se aproprie desse ritual: arrumar a mochila e cuidar dos seus materiais. E cabe ressaltar que é fundamental dialogar, mostrando aos filhos que é possível lidar com os diferentes perfis dos professores, da mesma forma como ele faz com os diferentes amigos que tem.

Teremos muito trabalho pela frente, não é mesmo? Mas, reforçando o que foi dito no início deste texto: será uma época de surpreendentes e deliciosas descobertas. E será um prazer passarmos por todas elas juntos!

Mais conteúdo sobre:

Colégio Santa Maria