O papel da pastoral
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

O papel da pastoral

Colégio Salesiano

21 Novembro 2018 | 10h21

Por Cristian Silva*

Desde o início da Congregação Salesiana, Dom Bosco tinha uma preocupação muito grande com a formação dos jovens, ele não queria dar a eles apenas um espaço onde pudessem se divertir, mas também que desenvolvessem todas as suas potencialidades. Queria que a obra salesiana fosse “casa que acolhe, escola que educa, paróquia que evangeliza e pátio onde todos se encontram como amigos”, tendo como ideal “formar bons cristãos e honestos cidadãos”.

Desenvolveu um ambiente seguro, o oratório, que leva os jovens ao compromisso, a serem ativos, a não abandonar facilmente o campo. Agrega ainda dois elementos muito importantes: os “anjos da guarda” e a fé. Tem convicção de que os seres humanos vivem mais otimistas e em paz consigo mesmos quando sabem que têm ao seu lado pessoas dispostas a ajudá-los nos momentos difíceis. A fé religiosa mostra-se como poderoso suporte da esperança radical, da positividade absoluta do universo e da companhia afetuosa de Deus e da comunidade.

Dentro desse contexto e dessas aspirações, Dom Bosco cria as “Companhias” (grupos onde os jovens tinham algumas tarefas). A primeira é a de São Luís, no oratório de Valdocco (1847), cuja finalidade era “empenhar os jovens na prática constante das virtudes que foram muito luminosas neste Santo. Queria iniciá-los em uma vida tão equilibrada e piedosa, a ponto de vir a ser sal e luz em meio à multidão dos companheiros” (MB III,215)[1]. Quando cria o grupo, tinha como objetivo: alimentar a vida de piedade e a moralidade dos membros a exemplo do santo e também levá-los a dar bom exemplo e ser fermento entre os companheiros. Muitos foram os outros grupos que surgiram dentro do oratório, sempre com o mesmo objetivo: de transformar o jovem em sua integralidade e não apenas dar um divertimento.

A partir de tais ideias, a Pastoral Juvenil Salesiana se desenvolveu. “Dom Bosco é movido pelo mesmo coração do Bom Pastor que, vendo um rebanho desanimado e perambulando, tomado por profunda comoção, põe-se a anunciar-lhes a Palavra e dar-lhes de comer para o sustento do corpo e do espírito, aqui e para a eternidade”. (QRPJS, 26)[2].

De acordo com todos esses princípios, a Pastoral do Colégio Salesiano Santa Teresinha e Liceu Coração de Jesus acontece com o objetivo de assessorar toda a Comunidade Educativa e os grupos juvenis para uma caminhada de fé, caridade e amor. Vale lembrar que a pastoral não é simplesmente um setor que realiza campanhas de solidariedade, mas uma ideia que permeia todas as ações e atividades. É a forma de viver e atuar a missão salesiana, segundo a Espiritualidade Juvenil Salesiana e o Sistema Preventivo de Dom Bosco.

Todo esse movimento está baseado no método pedagógico deixado por Dom Bosco, o Sistema Preventivo (conjunto de práticas e princípios), que tem como eixo a RAZÃO (o jovem se educa e se evangeliza a partir desta ação preventiva educativa, de acordo com a realidade de cada um. Todos os jovens podem participar por meio do seu espírito crítico, seu protagonismo e diálogo), a RELIGIÃO (o Evangelho é o que fundamenta e dá sentido às práticas Salesianas) e a AMOREVOLEZZA (na atitude do amor, da acolhida, da bondade, da fraternidade, na casa que acolhe, na afeição e acima de tudo na alegria).

Em suma, é na Pastoral que os alunos podem se realizar enquanto seres humanos em todas as suas dimensões, construindo e vivenciando seu projeto de vida.

* Cristian Silva é coordenador de Pastoral do Liceu Coração de Jesus.

[1] Memórias Biográficas de São João Bosco. Vol. III.

[2] Dicastério para a Pastoral Juvenil Salesiana. A Pastoral Juvenil Salesiana: Quadro Referencial.3. Ed. Gráfica São Judas: Brasília, 2014.