O brincar e o aprender na Educação Infantil estão interligados
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

O brincar e o aprender na Educação Infantil estão interligados

Colégio Salesiano

17 de novembro de 2020 | 07h59

Por Eliana Fátima Rodrigues Nogueira Cimmino*

A Educação Infantil é importantíssima para o desenvolvimento integral de cada indivíduo. Nessa fase, a escola deve estar organizada com espaços acolhedores e que desenvolvam integralmente os direitos de cada criança, instigando sua aprendizagem, em que priorizamos o brincar. Assim, introduzir situações organizadas pedagogicamente propiciam a construção de autonomia e protagonismo infantil.

Há imensas e intensas transformações nas crianças nessa fase. Sabe-se que é de grande importância para a compreensão delas, como sujeitos brincantes e dentro desse contexto, que aprendam durante suas interações e experiências, priorizadas pelos seus direitos.

A BNCC (Base Nacional Comum Curricular) organiza a aprendizagem da Educação Infantil em seis campos de experiências com intencionalidades pedagógicas, que fazem parte de todos os momentos da jornada na Educação Infantil. São elas: conhecer-se, expressar, conviver, brincar, explorar e participar.

– Conhecer-se: construir sua identidade pessoal, social e cultural, por meio das diversas interações e brincadeiras.

– Expressar: demonstrar suas necessidades, emoções e sentimentos.

– Conviver: agir com outras crianças e adultos, respeitando e ampliando o conhecimento e diferenças.

– Brincar: valorizar o estímulo ao desenvolvimento, sua criatividade, experiências emocionais, corporais, sensoriais, expressivas, cognitivas, sociais e relacionais.

– Explorar: estar em movimento (gestos, sons, formas, texturas, cores, palavras, emoções, transformações, relacionamentos, histórias, objetos, elementos da natureza), ampliando, assim, seus saberes.

– Participar: vivenciar ativamente as propostas cotidianas, tais como nas escolhas de brincadeiras, desenvolvendo diferentes linguagens e elaborando conhecimentos, decidindo e posicionando-se, colocando a criança no centro do processo.

As crianças aprendem de forma lúdica, por meio das brincadeiras, e desenvolvem suas habilidades cognitivas, sociais e psicomotoras. A partir dela, a criança reproduz o discurso externo, internaliza-o, interpreta e constrói seu próprio pensamento, segundo Vygotsky (1984). A valorização e o direcionamento da brincadeira é um instrumento pedagógico importantíssimo.

 

*Eliana Fátima Rodrigues Nogueira Cimmino – Professora de Educação Infantil do Liceu Coração de Jesus. Graduada em Pedagogia, pós-graduada em Psicopedagogia e em Educação Musical – Ensino de Arte.

 

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: