Tutoria de Estudos: ensinando e aprendendo com os colegas

Tutoria de Estudos: ensinando e aprendendo com os colegas

Projeto incentiva o estudo compartilhado e gera resultados positivos na aprendizagem e no dia a dia dos estudantes.

Colégio Rio Branco

01 de março de 2021 | 04h00

Foto ilustração/Colégio Branco – produzida antes da pandemia.

Com o objetivo de promover a troca de conhecimentos entre os alunos e a melhora nos resultados de ensino e aprendizagem, a Tutoria de Estudos, que integra o projeto Mentoria de Estudos do Colégio Rio Branco, tem dado resultados surpreendentes. No programa, que também tem inspiração internacional, alunos com mais facilidade em determinados componentes são estimulados a apoiar os colegas, sempre com a supervisão da orientação educacional e da coordenação pedagógica.

As disciplinas estudadas são determinadas de acordo com a disponibilidade dos alunos tutores e a procura daqueles que precisam de um auxílio a mais nos estudos. Essa vivência diferenciada entre os estudantes complementa as experiências conduzidas na sala de aula pelo professor.

O aluno tutor estuda e prepara conteúdos para poder explicar para os amigos e esses, por sua vez, experimentam novas formas de aprender.

“Nós acreditamos muito nesse projeto, em que todos podem crescer juntos. O aluno pode ser tutor em determinada disciplina e aprender com o colega, em outra. Os alunos são estimulados para uma relação de estudos em grupo, para que façam resumos, organizem o pensamento e compartilhem da melhor forma possível”, conta Maria Eugenia Rossetti, orientadora educacional da Unidade Granja Vianna, do Colégio Rio Branco.

De acordo com a educadora, na rotina comum, os alunos são orientados a usarem sempre o período após o horário regular de aula e a aproveitarem o plantão de dúvidas, as salas de aula, a lousa e os dispositivos multimídia da escola para a preparação e apresentação do conteúdo, com a curadoria dos professores.

Com a chegada da pandemia do novo coronavírus, em 2020, a dinâmica dessa exploração dos espaços e das ferramentas precisou ser modificada e foram criadas salas virtuais com horários agendados, de acordo com a disponibilidade dos alunos e professores do Núcleo de Apoio, em formato “meeting”, no modelo remoto.

Lucas Mattoso: aluno tutor e Prêmio Rio Branco. Foto: arquivo pessoal.

Diante dos desafios dessa nova realidade imposta pelo distanciamento social, um dos exemplos que se destacaram no ambiente online é o estudante Lucas Mattoso Couto de Magalhães, da 1ª série do Ensino Médio, Unidade GV, que atua como tutor desde o primeiro semestre do ano passado, além de ser um aluno Prêmio Rio Branco – concedido aos alunos e alunas que possuem bom desempenho e dedicação em todas as áreas de estudo e projetos específicos.

“A disciplina em que atuo como tutor é Matemática, minha disciplina favorita. Como gosto muito de Matemática e sempre fui muito bem, não foi difícil ensinar os colegas e explicar a eles sobre a matéria. A meu ver, a principal dificuldade na tutoria é a falta de interação e participação por parte de alguns alunos que tutoramos, principalmente em tempos de pandemia e ensino a distância. Mas, no geral, as aulas de tutoria são tranquilas, fáceis de serem realizadas, e em alguns momentos surgem dúvidas que contribuem para o desenvolvimento da aula”, explica Lucas.

Isabella Koelber: tutoria em Matemática e excelente desempenho escolar. Foto: arquivo pessoal.

A aluna Isabella Koelbel Salazar, da 1ª série do Ensino Médio, também é tutora em Matemática na Unidade Granja Vianna, com excelente performance escolar.  Segundo ela, o segredo do sucesso do projeto pode estar na linguagem utilizada durante as explicações dos exercícios, já que entre os próprios alunos, a comunicação e a compreensão são mais claras.

“A ideia de ajudar os colegas é muito importante e você também consegue aprender melhor, é uma ajuda mútua, uma troca de conhecimentos. Como todos estamos na mesma faixa etária, acredito que a forma como falamos seja, muitas vezes, mais fácil do que a fala específica de um professor. O fato de sermos todos alunos e de existir uma igualdade, também permite ao outro se sentir mais seguro para tirar dúvidas”, aponta Isabella.

Tanto na unidade Higienópolis como em Granja Vianna, alunos do 6° ano do Ensino Fundamental à 3ª série do Ensino Médio participam da Tutoria de Estudos.

Disciplina, trabalho em conjunto, fortalecimento da autoestima, do autocuidado e melhora da postura acadêmica são alguns dos inúmeros benefícios que o programa oferece, citados pelos profissionais que observam os ganhos no desempenho escolar, nas provas e no dia a dia.

“É uma cultura que começa quando eles ainda são pequenos, no 6° ano, ensinando a compartilhar arquivo, ajudar o colega, fazer tarefas juntos e ao longo da história vai sendo construído um movimento que permite aos alunos, olha que bacana, chegarem ao final da Educação Básica e do Ensino Médio estudando de forma colaborativa para o vestibular. Nós já tivemos alunos que criaram sites para compartilhar seus resumos, atividades e provas com o resto da turma. Essa ação em conjunto ajuda tanto quem prepara e se organiza, como aqueles que aprendem nesse processo”, conclui a orientadora Maria Eugenia Rossetti.

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.