Para maratonar nas férias: séries e filmes que podem ajudar em redações e vestibulares

Para maratonar nas férias: séries e filmes que podem ajudar em redações e vestibulares

Atuais e históricos, os títulos também podem contribuir para os testes de conhecimentos gerais e atualidades

Colégio Rio Branco

09 de julho de 2019 | 08h00

Cena do filme “O menino que descobriu o vento”, 2019

 

Além de estudar o conteúdo aplicado pelas escolas e cursinhos para bons resultados no Enem e vestibulares, sabe-se que manter rotinas culturais e alguns hábitos de entretenimento podem  ajudar a ampliar o repertório dos estudantes, melhorar conexões entre assuntos discutidos em aula, ampliar o senso crítico e oferecer subsídios para uma melhor compreensão de textos, enunciados de questões e argumentação para redações.

Isso inclui a ida a museus, viagens, interesse por diferentes culturas, pesquisas,  leitura de gêneros diversos, o teatro, a música, o cinema e até as séries de televisão e documentários disponíveis em serviços de streaming e canais de TV a cabo.

No Colégio Rio Branco, por exemplo, o ex-aluno Lucas Felpi, tirou nota 1000 na redação do Enem 2018 e ficou conhecido pela imprensa e redes sociais por ter citado, entre outras importantes referências, a série britânica Black Mirror.  Além do excelente desempenho no  Enem, Lucas ainda foi aprovado em vestibulares de importantes universidades brasileiras e internacionais.

Lucas Felpi, o aluno nota 1000 no Enem, citou um dos episódios da série Black Mirror, na sua redação

Além dele, outros 50 alunos do Rio Branco com destaque na prova, também citaram séries de televisão, livros, filósofos, disciplinas fundamentais e importantes períodos históricos que os ajudaram com o tema proposto para a redação do Enem.

Para aproveitar as férias, entre uma atividade e outra, seguem dicas que estão nos catálogos, nacionais e internacionais, entre documentários, séries e filmes que abordam temas atuais, políticos, sociais e históricos que também podem ajudar a contextualizar acontecimentos que têm impactado o Brasil e o mundo.

É importante estar atento à classificação etária dos títulos.

Séries

Olhos que condenam
Produzido em 2019 e recém-lançado no catálogo, já é a série mais vista da história do Netflix. Tem à frente a diretora Ava DuVernay (do longa Selma – Uma luta pela igualdade). São quatro episódios que contam a história verídica de cinco adolescentes condenados injustamente pelo estupro de uma mulher em Nova York, na década de 80. O seriado bateu recordes de visualizações nas duas primeiras semanas de lançamento na plataforma. Uma reflexão sobre o racismo estrutural na sociedade norte-americana. Classificação: 18 anos – Netflix.

The Handmaid’s Tale – O Conto da Aia
Já está disponível a terceira temporada da distopia que retrata uma ditadura patriarcal em que as mulheres são subjugadas em nome de um projeto de pátria, depois que uma facção religiosa toma o poder político dos EUA. Baseado no romance homônimo da escritora canadense Margaret Atwood, a história convida a refletir sobre os perigos e retrocessos causados por governos com discursos misóginos, autoritários e fundamentalistas nos dias atuais. Disponível no Paramount Channel, Paramount+, no Now NET e disponível no Hulu. Classificação: 18.

Chernobyl – A Verdadeira História
A minissérie retrata os principais eventos em torno do maior desastre nuclear da história, que aconteceu no norte da Ucrânia, na extinta União Soviética, em 1986.
Classificação: 16 – Disponível nos canais HBO Max , no HBO Go e no Now NET.

Black Mirror
A quinta temporada acaba de ser lançada para os fãs da série antológica de ficção que explora a relação entre a natureza humana e a tecnologia. Criada por Charlie Brooker e centrada em temas obscuros e satíricos que examinam a sociedade moderna, particularmente a respeito das consequências imprevistas das novas tecnologias e redes sociais. A série conquistou seis Emmys, incluindo dois de Melhor Filme para TV (“USS Callister” e “San Junipero”). Disponível no Netflix. Classificação: 16.

Cara gente branca (Dear White People)
Com forte temática racial, em duas temporadas, alunos negros de uma conceituada universidade norte-americana enfrentam desrespeito e a postura evasiva da escola sobre o problema. Muito discutido pela crítica especializada, retrata a luta pela igualdade de direitos e o racismo estrutural. A terceira temporada está prevista para agosto.
Classificação:  16 – Netflix.

Bolívar
Da escritora Juana Uribe e lançada em 2019, a série busca retratar a vida do General Simón Bolívar, um líder venezuelano que ajudou diversos países latino-americanos e milhares de pessoas a se libertarem do domínio da Espanha. Classificação: 16 – Netflix.

Sob Pressão
A série brasileira retrata a rotina de entrega profissional, conflitos, adversidades sociais e muita pressão pela qual os médicos de um hospital público passam todos os dias no Brasil. O desejo de salvar vidas, apesar da falta de verbas e recursos é o que move e aproxima os profissionais da saúde, representados por grande elenco de atores. Disponível no Globo Play. Classificação: 16

Documentários

Guerras do Brasil.doc
Lançada no mês de junho, a série documental detalha como o Brasil foi formado por séculos de conflitos armados até os dias de hoje. Na obra histórica, Luiz Bolognesi explica as guerras de Palmares e do Paraguai, a Revolução de 1930 e a mais recente “Universidade do Crime”, um retrato da falência do sistema prisional e o mapa do crime organizado, que domina os presídios, o tráfico e mata mais de 60 mil pessoas por ano no país.
Classificação: 12 anos. Disponível no Netflix.

Democracia em Vertigem: listado como um dos melhores filmes de 2019, pelo NYT

Democracia em Vertigem
Lançamento do mês de junho, o longa político e de memórias pessoais da cineasta Petra Costa, narra a ascensão dos presidentes Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff no Brasil, o processo de impeachment e a polarização política que envolve o país até as eleições de 2018, em imagens reais e históricas. O documentário foi considerado pelo The New York Times como um dos melhores filmes de 2019. Classificação: 12 anos – Netflix.
Nos EUA, também está disponível nas salas de cinema.

Ser Tão Velho Cerrado
Retrata o impacto ambiental e social do intenso desmatamento no cerrado brasileiro. Os moradores da Chapada dos Veadeiros procuram novas formas de desenvolver a região sem agredir o meio ambiente.
Classificação livre – Netflix.

Salvando o Capitalismo
Robert Reich, economista norte-americano e ex-secretário de Trabalho na gestão Clinton, expõe suas ideias sobre o capitalismo e a desigualdade de renda. Indicado ao Emmy de Melhor Documentário na categoria Negócios e Economia. Classificação: 10 – Netflix.

Explicando
Focada nos dias atuais, a série documental explora temas variados como a ascensão das moedas digitais, a razão do fracasso das dietas, o mundo selvagem do K-pop, a crise global da água, porque as mulheres ganham menos, tatuagens, entre outros.
Classificação: 14 – Netflix.

Seguindo os Fatos
Em três temporadas, é possível acompanhar o trabalho dos repórteres do BuzzFeed investigando os temas mais inusitados e polêmicos, como tendências bizarras da internet.
Classificação: 16 – Netflix.

Abstract: The Art of Design
De visual espetacular, a série documental foi indicada ao Emmy de Direção de Arte e Design Gráfico e mostra como pensam os designers mais inovadores em diferentes áreas e como seu trabalho influencia todos os aspectos da nossa vida.
Classificação: 10 – Netflix.

A Segunda Guerra em Cores
Em diferentes capítulos, imagens raras e documentos inéditos com a mais avançada técnica de colorização fazem parte desta análise profunda das estratégias e batalhas da Segunda Guerra Mundial.
Classificação: 12 – Netflix.

E-Team
Os investigadores da Human Rights Watch viajam para países no mundo todo para documentar os mais violentos casos de repressão contra a população civil, invadindo áreas hostis para expor crimes contra a humanidade. O codiretor de “E-Team”, Ross Kauffman, levou um Oscar e um Emmy por seu documentário anterior, “Nascidos em Bordéis”.
Classificação: 16 – Netflix.

Citizenfour
Dirigido pela cineasta Laura Poitras, o filme que ganhou o Oscar de Melhor Documentário em 2015, além de prêmios como o BAFTA, retrata as conversas entre o ex-analista de sistemas da CIA, Edward Snowden e o jornalista americano e advogado, Gleen Greenwald, sobre o vazamento de informações secretas e espionagem  da NSA (Agência de Segurança Nacional), dos EUA. Gleen foi o responsável pelas matérias jornalísticas que tornaram públicos o conteúdo dos documentos e lhe renderam o Prêmio Pulitzer, por seu trabalho para o The Guardian. Atualmente, o jornalista trabalha na produção de uma série de reportagens que envolvem a Operação Lava Jato, no Brasil. Disponível no Youtube. Classificação: 12.

Hitler Uma Carreira
O documentário mostra como o discurso de manipulação das massas e as artimanhas de Adolf Hitler para vender sua imagem, o levou ao domínio do seu país e a um dos maiores genocídios da história.
Classificação: 16 – Netflix.

Um novo capitalismo
Empreendedores de diversas partes do mundo exploram alternativas ao capitalismo atual para viabilizar negócios lucrativos sem abrir mão do combate à desigualdade social. Classificação Livre – Netflix.

Laerte-se
A renomada cartunista Laerte Coutinho convida a conhecer seu mundo e reflete sobre a longa trajetória de sua autoaceitação como mulher, retratando a questão da transexualidade.
Classificação: 14 – Netflix.

Cowspiracy: O Segredo da Sustentabilidade
O doc mostra como a agropecuária intensiva está dizimando os recursos naturais do planeta e por que essa crise tem sido ignorada por grandes grupos ambientalistas e lideranças políticas.
Classificação: 10 – Netflix

Refugee
Cate Blanchett, Lynsey Addario, Omar Victor Diop estão à frente desse documentário de 23 minutos que registra com precisão fotográfica, as dificuldades enfrentadas pelos refugiados que sonham com uma vida melhor.
Classificação: 10 – Netflix

Feministas: O Que Elas Estavam Pensando?
Entre outras mulheres, Jane Fonda, Lily Tomlin e Michelle Phillips compartilham suas histórias neste documentário de Johanna Demetrakas, que capta o despertar do feminismo a partir de fotos dos anos 70. O filme mergulha na vida das mulheres retratadas e explora a permanente necessidade de mudança para garantir direitos e a autonomia feminina.
Classificação: 14 – Netflix.

Cuba e o Cameraman
O cineasta Jon Alpert acompanha a trajetória de três famílias por quatro décadas da história de Cuba. A obra mostra fatores culturais importantes da ilha governada por anos pela família Castro, e as consequências econômicas e sociais dos embargos impostos pelos EUA. O filme também mostra a relação entre o jornalista americano e Fidel Castro ao longo das décadas. Este retrato recebeu uma indicação ao Emmy de Melhor Documentário Histórico. Classificação: 12 – Netflix.

The Square – A Praça de Tahir
Vencedor de três prêmios Emmy, incluindo melhor direção de programa de não ficção, o documentário mostra a realidade das ruas durante a Revolução Egípcia de 2011, responsável por derrubar dois governos, como parte da Primavera Árabe.
Classificação: 16 – Netflix

Filmes


O menino que descobriu o vento
Dirigido por Chiwetel Ejiofor em sua estreia como diretor, a produção de 2019 é um drama baseado na história real de William Kamkwamba, um garoto que constrói uma turbina eólica para salvar seu vilarejo da fome, no Malawi, um dos países mais pobres da África. Indicado ao Oscar e vencedor do BAFTA.
Classificação: 12 – Netflix.

A noite de 12 anos
Saído recentemente das salas de cinema do circuito cult, a história retrata os militantes políticos Mauricio Rosencof, Eleuterio Fernández Huidobro e José Pepe Mujica, entre 1973 e 1985, muito antes de se tornar o presidente do Uruguai. São 12 anos de prisão, isolamento e torturas durante o período de ditadura militar no país. Ganhador do prêmio Goya de melhor roteiro adaptado e eleito o melhor filme do Festival Internacional de Cinema do Cairo.
Classificação 14 – Netflix.

A Sociedade Literária e a Torta de Casca de Batata
Ao ter contato com um grupo de leitura criado em Guernsey durante a ocupação nazista na Segunda Guerra, uma escritora se envolve com os fundadores do clube. Lily James (Downton Abbey) e Michiel Huisman (Game of Thrones) protagonizam este drama baseado no best-seller.
Classificação: 12 – Netflix.

Getúlio
O drama histórico retrata a crise política no Brasil e o esquema de acusações durante os últimos 19 dias de vida do presidente Getúlio Vargas, que tem como pano de fundo o atentado contra o jornalista Carlos Lacerda.
Classificação 14 – Netflix.

Nise, o coração da loucura
Filme baseado na história real da psiquiatra Nise de Oliveira, que rejeita a terapia de eletrochoque para tratar seus pacientes esquizofrênicos e os encoraja a criar arte. Reconhecida mundialmente por sua contribuição à psiquiatria, Nise revolucionou o tratamento mental no Brasil. Foi aluna de Carl Jung. O filme se torna importante à medida que a luta antimanicomial voltou à pauta recentemente no país.
Classificação 12 – Netflix.

Snowden – Herói ou Traidor
Do diretor Oliver Stone e roteiro em parceria com Kieran Fitzgerald, o thriller de suspense acompanha a jornada do ex-analista de sistemas da CIA, Edward Snowden, decidido a expor os programas de vigilância americanos via vazamento de informações secretas para o jornalista norte-americano, Gleen Greenwald.
Classificação 12 – Netflix.

Frida
O longa narra a personalidade autêntica, a trajetória artística e o relacionamento apaixonado da pintora mexicana pelo marido, Diogo Rivera, seu envolvimento com Leon Trótsky, suas dores físicas e emocionais e seu ativismo político. A atriz Salma Hayek foi indicada ao Oscar, ao Globo de Ouro e ao BAFTA pela personificação da pintora Frida Kahlo.
Classificação 14 – Netflix.

Com Amor, Van Gogh
Seguindo o estilo do pintor holandês, esta animação biográfica narra os últimos dias angustiantes de Vincent Van Gogh. Mais de 100 artistas pintaram à mão os 65 mil quadros deste filme usando as mesmas técnicas de Van Gogh. Classificação 12 – Netflix.

Informações: Netflix.

Tendências: