Rio Branco lança livro com artigos de 65 educadores

Rio Branco lança livro com artigos de 65 educadores

Colégio Rio Branco

24 Outubro 2018 | 15h29

Caio Mendes, professor de História e coordenador de projetos, com Esther Carvalho, diretora-geral do Colégio Rio Branco

O Colégio Rio Branco lançou o livro “Educando no Século XXI – Uma escola em metamorfose, uma publicação que reúne artigos de 65 educadores do Colégio Rio Branco, no qual os autores compartilham suas vivências educacionais a partir de múltiplas perspectivas.

Na obra, os autores apresentam textos produzidos a partir de reflexões e práticas de sala de aula, destacando o desenvolvimento da autonomia em crianças e jovens, a importância do acolhimento, a inovação em metodologias ativas e tecnologias educacionais, o ensino investigativo, a interdisciplinaridade, a função cultural e social das línguas estrangeiras e a diversidade como um valor.

O livro conta com o prefácio dos diretores das unidades Granja Vianna e Higienópolis, Claudia Xavier e Renato Júdice, e Introdução da diretora-geral, Esther Carvalho.

A iniciativa dá continuidade à publicação do ano anterior, “Educando no Século XXI – protagonismo, responsabilidade social, formação global”, que reuniu artigos sobre educação e gestão, desenvolvido pela diretora-geral da instituição.

A escola como um espaço multifacetado
Por Esther Carvalho, diretora-geral

Escola é um espaço multifacetado que reúne expectativas, sonhos e demandas  diferentes. Nessa fascinante complexidade, traduz se num organismo vivo, dinâmico e rico em desafios e oportunidades.

As pessoas que ali se encontram passam por um contínuo aprendizado, uma vez que educar não é trivial, não tem receita pronta e, num espaço em que há gente formando gente, não existe mesmice!

O Colégio Rio Branco, da Fundação de Rotarianos de São Paulo, com mais de 70 anos de existência, tem o legado de formar pessoas plenas, que caminhem, como protagonistas, na direção de seus projetos de vida e façam a diferença na construção de uma sociedade mais justa e solidária. A entrega de seu Projeto Político Pedagógico se dá pelo currículo, entendido aqui como o conjunto de experiências, intencionalmente organizadas e vividas na escola, que vai lapidando cada uma das pessoas que fazem parte da instituição. Nesse sentido, não são apenas as crianças e jovens que aprendem. Todos à sua volta, na escola e na família, se aprimoram, diariamente, na perspectiva de serem melhores educadores de crianças e jovens que trazem para a escola seus saberes e valores e que, no coletivo, são formados como cidadãos.

Este livro reúne um pequeno recorte das experiências, na palavra de educadores que vivem a Educação sob diferentes perspectivas: seja a partir da formação de crianças pequenas do Minimaternal, passando por uma história de aprendizagens, até a formação de adolescentes, cuja etapa final se dá no ingresso no Ensino Superior. Nos relatos aqui apresentados, percebe-se a construção de conhecimentos, o desenvolvimento de competências cognitivas e socioemocionais, assim como o fortalecimento de valores como ética, respeito, tolerância, diversidade, direitos humanos, sustentabilidade e paz. Percebem-se, também, o comprometimento, a competência e a criatividade de professores que, saindo do lugar-comum, ousam, criam e se desafiam a desenvolver novas práticas.

Dentre os temas está, por exemplo, a autonomia, vista como uma construção constante no cotidiano da escola. Crianças e jovens são entendidos como pessoas potentes, capazes de viver e de se aprimorar, coletivamente, assumindo responsabilidades e consequências dos seus atos. Procura-se, à medida que amadurecem, ampliar sua consciência e qualificar suas escolhas. A cidadania digital apresenta-se como uma referência para a construção da autonomia no ciberespaço.

Numa outra perspectiva, são apresentadas experiências que traduzem uma das mais importantes características da Escola: a de ser um espaço de acolhimento de todos com suas especificidades; de construção do sentimento de pertença, ligado a pequenos grupos e à comunidade riobranquina; do exercício da empatia e da manifestação da afetividade. Para aprender, os alunos precisam se sentir seguros, fortalecidos, apoiados e desafiados. Pesquisas na área da neurociência mostram a importância da emoção para ancorar aprendizagens.

Outra dimensão aqui apresentada está nas metodologias que colocam os alunos numa perspectiva ativa, produzindo conhecimento, em ambientes colaborativos, com diferentes e ricas estratégias, trazendo maior comprometimento e responsabilidade para eles no seu processo de aprendizagem. As chamadas metodologias ativas pressupõem não apenas uma aula diferente, mas, principalmente, possibilidades de aprendizagens diferentes.

Numa perspectiva mais ampla, surge o contexto das Tecnologias Digitais da Comunicação e da Informação, que, além de impactar a forma como as pessoas interagem, aprendem e constroem conhecimento, devem ser entendidas como poderosos recursos para a sala de aula.

Assim, são apresentadas algumas experiências envolvendo linguagem de programação, robótica e aprendizagem em rede. Tecnologia aplicada à Educação não pode ser apenas uma “vitrine de modernidade”; deve ser algo que realmente agregue qualidade e personalização à aprendizagem.

Outra dimensão apresentada é a de contribuir para que os alunos possam ler o mundo à luz das diferentes ciências, preservando a curiosidade e desenvolvendo seu espírito investigativo. Ainda nessa perspectiva, crianças e jovens devem conhecer as especificidades das disciplinas ou dos componentes curriculares, mas, ao mesmo tempo, devem ser levados a relacioná-las entre si na compreensão do mundo e na intervenção sobre ele. Nesse sentido, iniciativas interdisciplinares favorecem a construção mais ampla da visão e interação com a realidade.

A formação de um cidadão global, conectado com as questões mundiais, mas também com as especificidades de nossa nação, se dá, também, pela proficiência em diferentes idiomas. Língua está ligada à cultura e o aprendizado de línguas está ligado a explorar sua função social, por meio de projetos que deem sentido à sua utilização. Nessa direção, ricas experiências são apresentadas explorando o uso das Línguas Inglesa e Espanhola, assim como LIBRAS (Língua Brasileira de Sinais).

Por fim, um olhar sobre a diversidade. Diversidade não é a exceção. É característica da natureza humana. Deve, portanto, ser contemplada e trabalhada em sua plenitude. Tratada como um valor, é apresentada em diversas experiências neste livro, mostrando como, por meio da Educação, estamos formando e nos constituindo como pessoas melhores, mais tolerantes e sensíveis ao outro.

A expectativa desta publicação é que ela possa ampliar a visão sobre o cotidiano da Escola e dar uma pequena dimensão do trabalho sério, competente e inovador que nela é realizado. Equipes constantemente desafiadas e apoiadas, em contínuo desenvolvimento profissional, com professores vocacionados e muito qualificados, famílias parceiras, propostas consistentes de evolução, fazem da instituição um organismo pulsante, cujo maior objetivo está em acolher e educar cada criança e jovem que dela fazem parte. Para realizar essa razão de ser, todos, diariamente, se reinventam, se aprimoram, se desafiam, se inquietam.

Uma escola em movimento. Um presente.

Interessados em adquirir a obra devem enviar um e-mail para: marketing@frsp.org

Mais conteúdo sobre:

educaçãoséculo XXIEsther Carvalho