Monitoria Rio Branco: Um diferencial em formação

Monitoria Rio Branco: Um diferencial em formação

Colégio Rio Branco

05 Abril 2017 | 11h42

monitoria_2

Com mais de 20 anos, a Monitoria é um projeto pioneiro e tradicional do Colégio Rio Branco, que todos os anos reúne um grupo formado por alunos do 9° ano do Fundamental ao 3° ano do Ensino Médio, em um treinamento especial, para que sejam desenvolvidas habilidades como a liderança, o trabalho em equipe e a responsabilidade social.

Os monitores atuam no suporte de reuniões, saídas culturais, passeios, viagens, estudos do meio, palestras e eventos desenvolvidos pela escola. Amizade, Lealdade e Honra são os princípios que norteiam os jovens da Monitoria, que passam pelo curso de formação, realizado fora de São Paulo, no qual aprendem noções de primeiros socorros, como enfrentar desafios e  trabalhar em grupo.

2017!

Nos dias 25 e 26 de março, mais de cem alunos das unidades Higienópolis e Granja Vianna participaram do curso de formação da Monitoria, no Acampamento Aruanã, em Embu Guaçu.

Durante o encontro de formação, monitores-líderes, sob a supervisão das responsáveis pelo curso, Marisa Rodrigues e Ana Lúcia Santoro, e com a parceria da Monitoria Aruanã, passaram as instruções sobre todas as áreas de atuação.

Monitoria_1

Os alunos realizaram atividades como brincadeiras para crianças pequenas, atividades para dias de chuva, música e recreação, noções de segurança e primeiros socorros, caracterização e teatro, postura de um monitor, atuação em eventos, regras de viagens, entre outros.

Ao final do curso, acontece a entrega dos certificados e o momento mais esperado para todos: a Passagem. Os antigos monitores-líderes delegam a função aos novos alunos, agora monitores-líderes de 2017.

Para Marisa e Ana Lúcia, responsáveis pelo curso, a monitoria vai além do ambiente escolar. “Quando os alunos tornam-se monitores, têm a oportunidade de ampliar o circulo de amizade, fortalecer valores importantes, como  autonomia, ética, justiça, lealdade, pró-atividade, criatividade e resolução de conflitos”, destacaram.