#EducaMídia: Rio Branco apoia formação de professores para o combate à disseminação de notícias falsas

#EducaMídia: Rio Branco apoia formação de professores para o combate à disseminação de notícias falsas

O programa de educação midiática é direcionado a educadores da rede pública e privada de ensino, e é uma iniciativa do Instituto Palavra Aberta – comprometido com a liberdade de expressão e de imprensa.

Colégio Rio Branco

11 de março de 2020 | 13h40

Fotos: Michell Santana.

Todo mundo produz e todo mundo consome conteúdo – e o excesso de informações é um desafio ao nosso senso crítico. Como diferenciar fatos de opiniões? Como produzir e compartilhar mensagens com responsabilidade?

Lidar com esses obstáculos altera profundamente a ideia de alfabetização. Não basta ler o que chega às nossas mãos. É preciso interpretar intenção, autoria e contexto. É preciso dominar as ferramentas e as linguagens que nos permitem ter voz nesse ambiente.

Por isso, com o objetivo de apoiar a formação de professores mais preparados para lidar e trabalhar essas questões dentro da sala de aula, o Colégio Rio Branco sediou a etapa presencial do Programa de Certificação para a Formação de Educadores Multiplicadores, realizado pelo EducaMídia, no último dia 07/3, das 8h às 18h, na Unidade Higienópolis, em São Paulo. Participaram da ação, cerca de 100 professores da rede pública e privada de ensino, dentre eles, um grupo de 10 professores do Colégio Rio Branco e um professor do Centro Profissionalizante Rio Branco (Cepro).

Professoras do Colégio Rio Branco participaram da formação.

Durante a parte da manhã, de forma dinâmica e interativa, os educadores assistiram vídeos, analisaram matérias falsas e verdadeiras, conheceram mais sobre o trabalho da imprensa e o fluxo da notícia, aprenderam a diferenciar matérias jornalísticas de campanhas publicitárias e discutiram sobre o papel das redes sociais na atualidade. Na parte da tarde, os participantes se dividiram em oficinas práticas sobre como aplicar atividades em sala de aula.

Junto com o material de apoio do evento, os participantes receberam os livros Educando no Século XXI – Uma escola em metamorfose e Educando no Secúlo XXI – Inovar para Educar, Educar para Inovar, publicações do Colégio Rio Branco, nas quais professores da instituição compartilham experiências e práticas inovadoras em educação, em coletâneas de artigos assinados.

Livros com compartilhamento de práticas, dos professores do Colégio Rio Branco, integraram o material de apoio.

O objetivo do programa é capacitar educadores, dos ensinos Fundamental II e Médio, que irão multiplicar boas práticas de educação midiática em seus contextos educacionais. Os educadores selecionados no processo têm uma formação online e presencial  – com oito horas em cada etapa, acompanhamento da equipe EducaMídia para a implementação do projeto de multiplicação e certificação de participação emitida pelo Instituto Palavra Aberta.

Oficinas temáticas aconteceram na parte da tarde.

O que é educação midiática?
Conjunto de habilidades para acessar, analisar, criar e participar de maneira crítica do ambiente informacional e midiático em todos os seus formatos — dos impressos aos digitais.

Como facilitar esse aprendizado?
O caminho é a educação midiática, a habilidade de ler criticamente e participar de forma ativa do mundo conectado em que vivemos. Essa necessidade não é nova, mas ganha cada vez mais urgência à medida que saber filtrar e dar sentido ao grande fluxo de informação é um exercício diário, além de fator de inclusão ou exclusão social.

Educar para a informação é um jeito de formar cidadãos livres e aptos a fazer escolhas conscientes. É mudar a relação dos jovens com o conhecimento, para que saibam aprender a aprender. É educar para um mundo cada vez mais conectado.

Educação midiática na escola
A Era da Informação democratizou o acesso ao conhecimento e expandiu os limites da sala de aula. O papel dos educadores, cada vez mais essencial, é preparar o jovem para tirar o melhor proveito desse ambiente.

O contexto de abundância de informação multiplica as possibilidades de aprendizagem e ressignifica o papel do professor. Construímos conhecimento no relacionamento com o outro, ao tentar resolver problemas, e também ao explorar o mundo do conteúdo, das notícias e da informação no ambiente digital.

A capacidade de relacionar-se com toda essa informação permite a construção autônoma de conhecimento – essa habilidade tão necessária em um mundo de transformações rápidas e constantes. Mas se o conhecimento está em toda parte, a mediação do professor e da escola tornam-se, paradoxalmente, cada vez mais importantes.

A internet e as ferramentas digitais oferecem inúmeros recursos para apoiar não só a aprendizagem, mas também a construção de uma cidadania plena. É nessa condição que o jovem deixa de ser um mero consumidor de entretenimento ou informações, passando a ser produtor de conhecimento com voz ativa na nossa sociedade conectada, capaz de mobilizar as ferramentas necessárias para seu crescimento pessoal e o benefício de toda a comunidade.

A escola deve guiar esse letramento, estimulando de forma segura e fortalecedora a autonomia e o senso crítico do aluno em relação ao ambiente informacional.

A educação midiática não é uma disciplina escolar isolada, mas um jeito de formar cidadãos livres e aptos a fazer escolhas conscientes, e é muito importante por contemplar propostas e diretrizes da nova Base Nacional Curricular Comum (BNCC).

Fonte: EducaMídia.