CoQuest: o componente inovador que aborda temas da atualidade

CoQuest: o componente inovador que aborda temas da atualidade

Projetos inovadores trabalham temas atuais e de importância científica, social e humanística

Colégio Rio Branco

29 Novembro 2018 | 11h51

Trabalho com Lego abordou a questão migratória

Alinhado às novas diretrizes da Base Nacional Comum Curricular  (BNCC), o componente Cotidiano em Questão, ou CoQuest, passou a integrar o currículo formal da escola a partir do início de 2018, com o objetivo de trabalhar um mesmo assunto por três pontos de vista diferentes: Ciências Humanas, Ciências da Natureza e Cultura Maker.

Como uma novidade para os estudantes, o CoQuest é adotado nos 6º, 7º e 8º anos do Ensino Fundamental, em uma única disciplina agrupada, na qual os alunos têm três professores ao longo do ano letivo, e, em cada bimestre, o tema ganha um olhar específico.

Os temas do cotidiano, próximos aos interesses dos alunos, são trabalhados para possibilitar produções que tenham maior significado e impacto, dentro e fora da sala de aula, com conexão direta com o empreendedorismo, a sustentabilidade, os direitos humanos, entre outros.

Ao longo do ano, os alunos do 8° ano do Ensino Fundamental da Unidade Higienópolis, por exemplo, ampliaram seus conhecimentos sobre questões populacionais, durante as aulas do CoQuest.

A proposta da atividade era que os alunos sugerissem e elencassem ideias e temáticas, realizassem discussões, elaborassem pesquisas seguindo o roteiro estudado e construíssem um material de aprofundamento para as discussões com autores, referências e citações.

“Os trabalhos do CoQuest pressupõem a ideia de mão na massa, de alunos produzirem e exporem um trabalho, saindo de dentro da sala de aula e apresentando para todo o colégio para toda a comunidade”, explicou Pedro Castellan, um dos professores responsáveis pela atividade.

Diversos aspectos relacionados ao tema central, como imigração, aborto, crescimento populacional, demografia, guerras, consumismo, poluição e muitos outros, foram levantados pelos alunos. A partir das discussões e pesquisas foram produzidos diferentes projetos.

O aborto também esteve entre os temas discutidos

“Utilizando a criatividade e a sensibilidade, os grupos, após o trabalho de pesquisa e aprofundamento no tema definido, tinham por objetivo criar um material de divulgação que tivesse por objetivo materializar a pesquisa realizada e conscientizar a comunidade escolar para os temas”, explicou o professor.

Um dos trabalhos teve como tema o aborto. Os alunos destacaram todas as possíveis dificuldades que levam uma mulher a interromper a gravidez e quais os impactos, levantando uma discussão sobre a legalização ou não do aborto. O outro grupo utilizou o brinquedo Lego para falar sobre a Imigração. Pensaram na problemática e todos os obstáculos que os imigrantes encontram em suas trajetórias. Assim, as peças do jogo criaram um labirinto e cada barreira foi nomeada como um obstáculo que o imigrante enfrenta, como o preconceito, a dificuldade da língua do país, os julgamentos, a falta de oportunidade, entre outras.

Os professores responsáveis por esse projeto foram Pedro Castellan, de História, e Jorge Farias, de Tecnologia.

Os pilares estruturais do CoQuest são:

Cultura Maker: o trabalho prático está articulado às discussões dos temas, tendo a tecnologia como próprio objeto de aprendizagem e investigação;

Ensino Investigativo: aprimoramento do trabalho que já vem sendo desenvolvido pela equipe de Ciências da Natureza do Ensino Fundamental ao Ensino Médio, envolvendo habilidades relacionadas ao fazer científico, como observar, analisar, descrever, comparar, selecionar, interpretar, elaborar hipóteses, testar, experimentar, concluir, entre outras;

Possibilidades de trabalhos em diferentes espaços: múltiplos ambientes de aprendizagem podem ser explorados, como os diferentes Laboratórios (de Tecnologia, de Ciências da Natureza e Ciências Humanas), Sala de Artes, Quadras, Bosque, Biblioteca, Corredores, etc;

Equipe multidisciplinar: diferentes especialistas compõem uma visão multidisciplinar, unindo perfis e habilidades diversas.