Caixa de areia dentro da sala de aula: possibilidades de aprendizagem

Caixa de areia dentro da sala de aula: possibilidades de aprendizagem

Colégio Rio Branco

16 de maio de 2019 | 12h15

Por Renata Cardinali

A sala de aula como um espaço promotor de interações e aprendizagens é possível quando há disponibilidade do professor e da escola em romper com as barreiras dos modelos tradicionais da educação. No Colégio Rio Branco, esse espaço já foi aberto há muito tempo, pois temos como premissa uma conduta alicerçada no aprender a conhecer, aprender a fazer, aprender a conviver e aprender a ser; tendo o aluno como protagonista de suas ações, consciente de suas escolhas e responsabilidades.

Com base nessa perspectiva, o Grupo 2 do Período Integral Modular Bilíngue inovou! Trouxe para dentro da sala de aula um elemento comum nos anos iniciais: a areia! Quem não tem aquela memória gostosa da areia escorrendo entre os dedos? Aquele atrito gostoso das mãos ásperas limpando o corpo após a elaboração de lindos castelos? Da água levando embora as construções, possibilitando criar outras? Da infinitude contida em um mesmo elemento? Nós temos e, diariamente, a usamos como base de nossas narrativas e descobertas.

Acreditar que conseguiríamos estabelecer uma rotina saudável para a utilização da caixa de areia em sala de aula, assim como, desenvolver os direitos e deveres de todos frente a esse novo e mágico objeto em sala, só foi possível com muito diálogo e regras construídas pelo grupo.

Nossa caixa é um grande quadrado com bordas pequenas e com a altura de uma mesa para crianças de 8 anos. São dispostas quatro cadeiras e, semanalmente, um material (blocos, animais, carros, bonequinhos) é escolhido pelo grupo para ser utilizado nela. Após a utilização da caixa de areia, as crianças são responsáveis por varrer o chão, arrumar os elementos dentro da mesma, organizar as cadeiras para receber as próximas crianças que lá brincarão.

Não há um tempo específico para a utilização; as crianças são motivadas a buscar outras opções quando a mesma está ocupada. E, após longa utilização do espaço por uma mesma criança, ela é lembrada pelos colegas e professoras sobre a importância de ceder espaço para que outras possam ter uma experiência tão significativa como a sua, atuando com base na gentileza que gera gentileza, no reconhecimento das vontades e desejos do outro na paciência para ensinar o outro, na tolerância e na empatia.

E, assim, nossa caixa de areia segue em sala de aula como um grande objeto que diariamente nos dá a oportunidade de nos conhecermos e, juntos, atuarmos para um bem maior: uma sala de aula promotora de aprendizagens para a vida.

Renata Cardinali
Professora do Período Integral Modular Bilíngue da Unidade Granja Vianna