Atenção e bem-estar: uma coisa de cada vez…

Atenção e bem-estar: uma coisa de cada vez…

Mindfulness e outras técnicas podem ajudar crianças e adultos, durante tanto tempo de isolamento social.Por Juliana de Oliveira Góis.

Colégio Rio Branco

26 de junho de 2020 | 13h58

Imagem: reprodução.

A casa está movimentada, pais e filhos dividem o mesmo espaço, as tarefas se multiplicam e em um período de desafios, descobertas e resgates vivenciamos uma montanha russa de emoções. A maneira como cada pessoa atravessa este momento é única e contempla incontáveis variáveis. Contudo, estudos demonstram o benefício de algumas práticas para o nosso bem-estar que podem se tornar grandes aliadas em prol da saúde mental.

Sabemos que as crianças tendem a agir como os adultos com os quais convive, espelham seus comportamentos, logo, a maneira como nos comportamos exerce influência direta sobre nossos filhos. Não há receita, para toda regra existe uma exceção, mas é importante refletirmos sobre nossas atitudes.

A mensagem pode se tornar ambígua se pedirmos para que não usem o celular na mesa se, enquanto pais, desviamos o olhar a cada vibração do aparelho que se encontra ali, discreto, no modo silencioso, ao lado dos talheres da refeição.

Quantas vezes já ouvimos ou dissemos: “calma, uma coisa de cada vez”. Aquilo que parece simples em uma sociedade competitiva e que exige alta performance se tornou difícil e complexo. Há uma ilusão de que se conciliarmos as atividades nos tornamos mais produtivos, porém há evidências de que na tentativa de fazer diversas coisas de forma simultânea a uma perda de até 40% da produtividade. Em um estudo publicado na Science, pesquisadores da Universidade de Harvard apontam que em aproximadamente 47% do tempo não estamos prestando atenção no que fazemos.

Mindfulness ou “atenção plena” é uma prática que pode nos auxiliar a estar presente no momento, deixar de agir no “piloto automático” e, assim, consequentemente, tornar comportamentos e escolhas mais conscientes. Pesquisas mostram resultados positivos inclusive com crianças com Transtorno de Déficit de Atenção com Hiperatividade.

A neuropsicóloga Sylvie Moschetta relata que as atividades do dia a dia, como uma caminhada, o preparo de uma refeição ou mesmo o momento do banho são excelentes oportunidades para essa prática, afinal, “qualquer momento é um ótimo momento para estar atento” (sic). Mas como começar?

Uma estratégia sugerida e de fácil aplicação, inclusive com as crianças é “PARE, OLHE E ESCUTE”. Pare o que está fazendo, mesmo que por apenas um minuto; olhe, observe o que está acontecendo ao seu redor com todos os seus cinco sentidos – o que você está vendo, os sons que está ouvindo, as sensações que está sentindo, os cheiros, os sabores que está provando; escute o seu corpo e seus pensamentos, tudo o que está experimentando e sentindo naquele momento.

Uma das facilidades dessa ferramenta é que ela pode ser utilizada em qualquer lugar, a qualquer hora e independente do que estiver sendo realizado. Em meio a tantas incertezas te convido a utilizá-la quando estiver desfrutando uma xícara de café, ou quando estiver com seu filho em uma atividade prazerosa, ou em qualquer outro momento… Para você̂, qual a maneira mais simples de estar presente e completamente atento ao que está́ acontecendo exatamente no momento que você̂ está vivenciando? Pense nisso e aproveite. Um passo de cada vez…


Juliana de Oliveira Góis é psicóloga e orientadora educacional de apoio à aprendizagem do Colégio Rio Branco.

 

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.