50 alunos com destaque no Enem 2018 dão dicas de redação e apontam a importância da Filosofia, História e Sociologia

50 alunos com destaque no Enem 2018 dão dicas de redação e apontam a importância da Filosofia, História e Sociologia

De filósofos e livros às séries de TV, os estudantes, agora aprovados em vestibulares e universidades, no Brasil e no exterior, compartilham as principais técnicas e abordagens utilizadas na prova.

Colégio Rio Branco

12 de fevereiro de 2019 | 18h49

O aluno Lucas Felpi foi um dos 55 estudantes de todo o Brasil a tirar a nota máxima na redação do Enem 2018, e um dos únicos quatro no estado de São Paulo, ganhando destaque em importantes veículos da imprensa e grande repercussão nas redes sociais. Além do Lucas, outros 56 estudantes das unidades Higienópolis e Granja Vianna, do Colégio Rio Branco tiveram notas acima de 800 na redação, em Matemática e médias altas em todas as outras etapas da prova.

A instituição investe fortemente em laboratórios de redação, leitura e no engajamento dos alunos em todas as áreas de formação humana e do conhecimento. Ao longo de 2018, os alunos do Ensino Médio trabalharam intensamente temas específicos e da atualidade em diferentes disciplinas e atividades, dentro e fora da sala de aula. Produziram textos, realizaram discussões em grupo e entregaram cerca de duas redações por semana, com apoio para correção e análises de conteúdo.

A redação do Enem, por ter um peso alto no exame, é sempre uma grande preocupação para os candidatos, assim como quais as melhores técnicas para a produção de um bom texto. Nesta última edição, o tema proposto foi “Manipulação do comportamento do usuário pelo controle de dados na internet”, que permitiu aos candidatos diferentes linhas de abordagens.

A seguir, os estudantes do Rio Branco dão dicas sobre a construção de textos e como importantes autores trabalhados nas aulas de Sociologia, História e Filosofia podem ajudar a articular ideias e contextualizar fatos históricos, ideias e citações com o tema principal. Os jovens também ressaltam a importância das experiências socioculturais, do exercício do senso crítico, da leitura e reflexão, e do uso de um repertório próprio como séries de TV, músicas, opiniões e vivências particulares para argumentos com embasamentos sólidos e coerentes.


Lucas Felpi, 17
Nota 1000
“Eu abordei o tema da redação do Enem 2018 analisando dois pontos principais sobre os algoritmos: como eles restringem as informações disponíveis ao usuário e como essa manipulação interfere no comportamento deste! Assim, eu acabei optando por utilizar algumas referências do meu repertório e com as quais sou familiarizado, como o livro 1984 de George Orwell, a série norte-americana Black Mirror e as teorias de Zygmunt Bauman e da Escola de Frankfurt. Acredito que todas elas acrescentaram algo para a construção da argumentação e para a autoria do texto e foram fundamentais para o meu bom desempenho.”

Lucas quer seguir carreira na área de Tecnologia e passou no curso de Engenharia de Computação na USP e na Unicamp, no Brasil, e na Georgia Tech e na University of Michigan, nos EUA.


Pedro Secaf Rodrigues Nunes, 17

Nota 980
“O Rio Branco oferece uma incrível preparação para a prova de redação do Enem, com produções semanais e assistência por meio das devolutivas. Com isso, foi possível desenvolver as habilidades necessárias para realizar uma boa prova. Além disso, elaborei um modelo de base para a composição da redação, com introdução, desenvolvimento e conclusão bem definidos, elementos coesivos pré-estabelecidos e um padrão de proposta de intervenção. O repertório sociocultural também foi de extrema importância para um bom desempenho. Pude utilizar, também, meu conhecimento sobre séries e filmes, além das aulas de Filosofia e Sociologia, essenciais no meu modo de escrita. O tema me possibilitou citar sociólogos como Karl Marx e Zygmunt Bauman, além da série Black Mirror e dos cookies, arquivos de textos que possuem como principal função armazenar as preferências dos usuários sobre um determinado site na internet. O foco do meu texto foi utilizar situações contemporâneas, como as fake news, combinadas com pensamentos de grandes nomes da Sociologia para explicar as adversidades que podem ser resultadas pela manipulação de dados. O curso que eu estou prestando é Engenharia de Computação.
Além do Enem, realizei a Fuvest e fui aprovado. No entanto, como minha primeira opção é estudar nos EUA, ainda não defini se irei cursar o primeiro ano aqui no Brasil antes de realizar as provas do SAT e do TOEFL para iniciar o processo de application. Meus sonhos são MIT e Stanford.”


Leonardo Castilho Neves, 17

Nota 980
“Meu foco na redação foi demonstrar o máximo de conhecimento de mundo possível e estruturar o texto de forma coerente para seguir os requisitos da pauta de correção. Uma dica importante é treinar ao máximo para a redação, principalmente fazendo aquelas que os professores pedem, mesmo que não sejam obrigatórias.”
Leonardo foi aprovado em Economia na USP e na FGV-SP, e em Relações Internacionais na USP.


Mateus Felipe Norio Miyake Nakaya, 17 
Nota 960
“Na minha redação abordei o tema da alienação pela internet, que associei à massificação da mentalidade das pessoas ao citar a ideia da Indústria Cultural, dos sociólogos Adorno e Horkheimer, da Escola de Frankfurt, e também pude dissertar a respeito da educação como um fator que poderia evitar a manipulação das pessoas se elas tivessem uma melhor preparação para utilizar a internet de forma adequada.”
Mateus foi aprovado em Física Biológica e licenciatura em Física na Unesp, em Física na USP, no IFSP e na UFSCar, e em primeiro lugar em Gestão de Energia e Eficiência Energética na Fatec.


Eduardo Borges Ribeiro Lemos da Silva, 17

Nota 940
“Para me sair bem na redação do Enem meu foco foi a estrutura e conteúdo. Além de treinar bastante escrevendo, baixei aplicativos de notícias no meu celular para me manter bem informado e desenvolver minha escrita.  Os professores me ajudaram muito nesse caminho, não somente para a redação e as matérias, mas como na escolha de carreira e o caminho até lá! Com isso, decidi prestar Direito na USP, a famosa São Francisco. Passando para a segunda fase, percebi que os plantões e eletivas à tarde me ajudaram muito para as questões dissertativas que tive que fazer. Apesar de não ter passado esse ano, tive um resultado muito bom.”
Eduardo foi aprovado em Administração na UFMG.


Raffaela Scotti, 17

Nota 940
“O meu foco na redação foi explorar o quão além do palpável é o controle do algoritmo em nossas vidas. Nesse mundo globalizado, a tecnologia é quase tão crucial quanto a água. E nessa sociedade robotizada, em que pessoas conectam-se para viver, a máquina tem um certo poder persuasivo.  Portanto, acabamos vivendo a tal da ditadura do algoritmo, em que todas as escolhas são uma ilusão de liberdade em distintas esferas, como no consumismo ( já vi propagandas direcionadas especialmente para mim) ou nas fake news, que criam uma bolha cósmica para cada usuário, dedicados a discutir apenas seus próprios dogmas com pessoas que possuem as mesmas opiniões: quando a mentira ou a quase verdade se tornam verdade. Por fim, relacionei tudo isso em contextos socioculturais como a dialética de Sócrates e a Ditadura Militar, no Governo Médici.
A carreira que quero seguir é em dança, artes como um todo, e mesclar com a Psicologia. Mas ao longo do caminho surgiram oportunidades de cursar Administração e Biomedicina. Mas acho importante ressaltar: sou muito grata por todos mestres que passaram em minha trajetória durante esses anos e que antes de qualquer máquina ou nota, somos seres humanos. E é isso o que há de mais bonito nas pessoas, na vida.”
Rafaela entrou em Administração na Unifesp, em Dança na Unicamp e em Biomedicina e Dança na Universidade Anhembi Morumbi.


Kevin Hideki Honda, 18 anos

Nota 940
“Sempre gostei muito de escrever, e o Colégio Rio Branco me ajudou a usar isso a meu favor, com um feedback completo e constante sobre as minhas redações, principalmente no Ensino Médio. No último ano, decidi cursar Medicina, e consegui atingir 940 na minha redação do Enem. Utilizei de  referências a filósofos como Michel Foucault e Pierre Bourdieu, mas como também sempre gostei de associar o tema a filmes, séries e músicas, lembrei-me do longa “Look Who’s Back” (Olhe quem está de volta), e construí um de meus argumentos relacionando o uso da tecnologia como ferramenta de manipulação ao enredo do filme, que simula o retorno de Hitler à Alemanha atual. O uso do repertório sociocultural sempre me ajudou muito nas redações, porém não importa se é uma citação, um filme, uma letra de música, basta que desempenhe uma função clara na estrutura do argumento, sem que pareça solta no texto, e fica fácil escrever uma redação boa, além de ressaltar sempre seu estilo de escrita, que não precisa ser melhor, apenas diferente, único.”


Lucas Robles Capovila

Nota 940
“Meu foco na redação foi tentar inserir meu conhecimento de mundo sobre o tema da melhor maneira possível, de forma que o texto refletisse a minha real opinião é seus fundamentos. Acho que me ajudou muito ser curioso sobre temas de atualidade, assim na hora da redação eu relaciono aquela tarefa com meus reais interesses”.
Lucas quer seguir carreira na área de políticas públicas, passou no curso de Gestão de Políticas Públicas na USP e foi admitido na Brown University, nos EUA.


Luísa Pepe Razzolini, 18

Nota 940
“Minha redação foi principalmente sobre como a internet apresenta uma liberdade falsa para os usuários, já que, pelo uso de seus dados, ela te apresenta apenas propagandas e opções que tem a ver com o seu “perfil”.
Luísa foi aprovada em Engenharia Elétrica na USP, na Unicamp e na Unesp.

Fernanda Azar, 17
Nota 940
“Eu tenho mania de querer escrever muita coisa e costumo fugir do tema, então meu foco foi ter certeza que todos os meus argumentos estavam reforçando minha tese”.
Fernanda  já está matriculada no curso de Relações Internacionais da FGV-SP, na qual foi aprovada na primeira lista.

Camila Facchini de Tolosa, 17
Nota 940
Eu acredito que para alcançar uma boa nota na redação, estudar as competências exigidas pelas provas é essencial. Na escola fiz inúmeros textos e tive que aprender a usar muitos conectivos, tese estruturada, conclusão com proposta de intervenção bem definida, entre outras exigências. Durante meus estudos busquei ampliar meu repertório sociocultural acerca de inúmeros assuntos para não me assustar na hora da prova. Praticar, lendo e escrevendo, é essencial, além de manter o foco para atingir seus objetivos!”
Camila passou em Relações Internacionais na UFABC, na Universidade Anhembi Morumbi e em Comércio Exterior no Mackenzie.

Julia Setton dos Ramos, 18
Nota 920
“Na minha redação decidi citar “Admirável Mundo Novo” e “O Mito da Caverna”, que achei serem textos muito coerentes com o tema. Prestei Ciências Biológicas e pretendo seguir carreira na área de pesquisa.”
Julia entrou Ciências Biológicas, na UFMG e no Mackenzie.


Cezar Augusto de Noronha Najjarian Batista, 17

Nota 900
“A redação foi meu foco durante o ano todo. Com auxílio dos professores consegui tornar meu texto cada vez mais organizado e coeso. Minha maior dificuldade era no encadeamento de ideias, pratiquei muito por meio das provas e devolutivas, que foram essenciais para melhorar minha apresentação e desenvolvimento.”
Cezar foi aprovado em Administração na FEI, em Análise de Desenvolvimento de Sistemas no IFSP, e em Direito na PUC-SP e no Mackenzie.


Beatriz Trajman , 18

Nota 880
Apesar da redação do Enem exigir um padrão estrutural, acredito que os avaliadores estão em busca de argumentos com algum diferencial, pensando nisso eu tentei fugir do senso comum, principalmente na elaboração da proposta de intervenção já que corresponderia a um quinto da nota final. Meu foco foi a necessidade das instituições escolares se adaptarem de acordo com o avanço das tecnologias e fornecer aos alunos conhecimento a respeito da ação dos algoritmos na internet e métodos de prevenção. Para assim, evitar a manipulação dos usuários a partir da ação dos algoritmos, uma vez que a nova geração é a mais inserida nessa nova realidade virtual.”
Beatriz foi aprovada em Direito na PUC-SP.

Maria Luísa Januário de Oliveira, 17
Nota 880
Na minha redação escrevi sobre a liberdade que a internet parece oferecer, mas, por causa dos algoritmos, isso não ocorre, já que o conteúdo se torna específico e sempre agradável para o usuário. Depois que pensei nos argumentos, passei um bom tempo focada na coesão dos parágrafos, que é minha maior dificuldade.”
Maria Luísa entrou em Letras na USP.


Luan Fernandes Velho, 18

Nota 880
“Na minha redação do Enem foquei na monotonia de opiniões que os usuários da internet são expostos e sua falta de pluralidade de pontos de vista”
Luan ingressou no curso de Engenharia e Gestão Industrial na Universidade Nova de Lisboa, em Portugal.


Tiago Bernardin da Costa, 17

Nota 880
“Na redação do Enem procurei associar o tema com assuntos que vi nas aulas de Sociologia, como Indústria Cultural e Cultura de Massa, propostos pelos sociólogos alemães Adorno e Horkheimer, exaltando o poder de manipulação que a indústria, no caso a internet, pode ter sobre o consumidor.”
Thiago quer seguir carreira na área de Design, passou em Publicidade e Administração na ESPM, e em Publicidade na FAAP.

Felipe de Moraes Vazamin, 17
Nota 880
“No desenvolvimento da minha redação foquei bastante no uso de conectivos entre parágrafos, poucas pessoas dão atenção a esse detalhe, e busquei utilizar ao máximo meu repertório sociocultural. Além disso, prestei muita atenção na distribuição de parágrafos de introdução, desenvolvimento e conclusão para que todos estivessem bem desenvolvidos e dessem uma forma mais completa ao texto”
Felipe passou em Administração na ESPM.

Fernando Estanislau do Amaral de Aragão, 17
Nota 880
“A maioria das minhas redações são baseadas em Filosofia, uma temática que gosto muito, portanto, em minha dissertação no Enem 2018 não foi diferente. Nela eu citei Platão, um grande pensador que me ajuda a pensar nos problemas cotidianos e nos temas das provas. Além disso, só consegui tirar uma boa nota na redação graças aos laboratórios de redação do Colégio Rio Branco e à professora Débora Menezes que me ajudaram muito”.
Fernando quer trabalhar no mercado financeiro, passou em Economia na PUC-SP e em Administração na UFSCar.


Gabriela Turetta Albuquerque, 17
Nota 880
“Inicialmente achei o tema bastante desafiador porque, apesar de se tratar de um assunto bastante específico, havia várias formas de trabalhá-lo. Dessa maneira, procurei me atentar bem à estrutura da redação Enem e busquei referências do meu cotidiano, como a maneira que o Facebook e o Spotify utilizam as informações dos usuários. Escolhi essas redes sociais pelo fato de acessá-las diariamente, o que favoreceu grandemente o desenvolvimento da minha tese e argumentação.”
Gabriela quer ser nutricionista e entrou em oitavo lugar na Universidade São Camilo.

Raisa Dreicer Krutzler, 18
Nota 860
Considerando o tema da redação do Enem de 2018, era muito importante ter noção de atualidades e usá-las durante o texto. No meu, citei o caso do Mark Zuckerberg ter sido processado por liberar dados dos usuários do Facebook para outras empresas, em abril de 2018. Além disso, é interessante colocar teorias de algum sociólogo, no meu caso usei a teoria de Zygmunt Bauman sobre a modernidade líquida, a qual tem como base a superficialidade das relações humanas, o que no contexto mostra que os indivíduos estão sendo tratados, cada vez mais, como meros algoritmos e mais suscetíveis a serem manipulados.”
Raisa foi aprovada em Administração de Empresas na FGV-SP e em Publicidade e Propaganda na ESPM.

Clara Vasquez Casavola, 17
Nota 860
“Para atingir notas altas na redação do Enem, acho que o mais importante é focar em uma boa tese e conseguir desenvolvê-la ao longo do texto com argumentos fortes. Além disso é muito importante relacionar o tema com elementos filosóficos e do cotidiano. O repertório sociocultural com certeza é o que mais conta! Eu, por exemplo, relacionei um episódio da série “Black Mirror” do Netflix e uma frase do filósofo Pierre Bourdieu, sem fugir do tema. Todas as informações extras que vão além dos materiais didáticos podem ajudar não só na redação como em toda a prova. E por fim, treinar é sempre a melhor estratégia, fazer e refazer provas dos anos passados e escrever inúmeras redações aprimoram técnicas que ajudam no dia da prova”.
Clara passou em Enfermagem na UFMG e também gostaria de cursar Medicina.

Gustavo Mora, 17
Nota 860
No ano de preparação para minha prova do Enem procurei focar bastante no que estava acontecendo no mundo para que pudesse ter um bom background para qualquer tema da redação, o que fez uma grande diferença na minha nota em relação a tentativas em anos anteriores”.  Gustavo passou em primeiro lugar no curso de Administração do Instituto Federal de São Paulo (IFSP) e em Administração na PUC-SP.

Giulia Monteiro Milanese, 18
Nota 860
“Para a minha redação no Enem, procurei dissertar usando como referência o sociólogo  Zygmunt Bauman e sua teoria sobre a Modernidade Líquida, com a qual pudemos ter contato estudando durante o 2º e 3º ano nas aulas de Sociologia, com a professora Marina Miorim. Esse repertório com certeza me deu mais segurança na hora de construir minha argumentação. Além disso, prestei para Ciências Sociais e pretendo seguir essa carreira e não podia deixar de ressaltar a influência gigante que tive durante minha escolha profissional com as aulas incríveis que tive na escola!”
Giulia passou em Ciências Sociais na PUC-SP, na UFScar e na Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo.

Henrique de Andrade Costa, 17
Nota 860
“Na redação, meu foco foi mostrar que a manipulação de dados pela internet (máquinas) foi prevista por um estudioso antes da própria internet existir”.
Henrique entrou em Direito na UNIPAMPA.

Maria Eduarda Bertipaglia Neves, 17
Nota 840
“A imaginação é mais importante que o conhecimento. O meu foco para a redação foi ressaltar como as redes sociais  conseguem controlar as informações e por consequência o cotidiano de seus usuários e como devemos enfrentar esse novo tipo de manipulação.” Maria Eduarda entrou em Medicina na Unisa.

Bruno Vitor Barcelos, 17
Nota 840
“O  tema da minha redação foi referente ao olhar filosófico em meio ao controle de dados na internet, sendo assim,  usei como repertório sociocultural os sofistas, que não acreditavam em uma verdade indubitável, apenas na melhor argumentação, dessa forma eles tinham um poder de persuasão inacreditável. Assim como hoje, que muitas pessoas são facilmente manipuladas pelo controle de dados  e não percebem, pois quando recebem a informação, não questionam e não buscam além de um ponto de vista. Por isso agradeço o meu professor de Filosofia, Isaque Trevisam Braga, por instigar a reflexão e a análise crítica dos alunos de forma imparcial. Quero fazer Economia para mostrar às pessoas que é possível crescer na vida independente do lugar ou condições que elas vieram, pois sempre há escolhas.”

Mariana Kaufmann Sanchez, 17
Nota 840
“O tema da redação Enem 2018 foi extremamente abrangente, por ser visível no dia a dia dos jovens. Particularmente, tive facilidade ao redigir o texto, já que me interesso bastante pelo tópico em questão. Consegui relacionar a proposta com a série Black Mirror, pois retrata a sociedade manipulada pela tecnologia. Portanto, explorei com facilidade os conhecimentos adquiridos ao longo da minha formação acadêmica e principalmente pessoal, para que meus argumentos obtivessem fundamentos mais consistentes e diferenciados para os corretores.”
Mariana entrou em Administração na ESPM e no Mackenzie.

Alexandre Janoni Bayerlein GV, 18
Nota 840
Minha redação foi feita por meio da ligação de três subtemas ao tema principal: Getúlio Vargas (a intentona comunista),notícias falsas e bolhas sociais. A parte de Getúlio Vargas teve um foco no controle que governos totalitários fazem com as massas, o que eu liguei com notícias falsas também. E falei depois sobre a importância das bolhas sociais na propagação de fake news”.
Alexandre foi aprovado em Ciência e Tecnologia na UFABC.

Anna Memran Schreier , 17
Nota 840
Escrevi principalmente sobre as “fake news” e como elas comprometem o pensamento das pessoas sobre certos assuntos.”
Anna entrou em Ciências Econômicas na PUC-SP.

Lucas Schimidt Coelho, 18
Nota 840
“Meu foco na redação foi principalmente o repertório cultural, o qual utilizei séries televisivas como Mr. Robot e Black Mirror”.
Lucas quer estudar Ciência da Computação e prestou USP, Unicamp e Unifesp.

Pedro Luiz Marques Canciani, 17
Nota 820
Durante todo o terceiro ano, o Colégio Rio Branco possibilitou a realização de redações toda semana, então isso me deixou constantemente em ativa e preparado! Além disso, antes de começar a escrever faço um pequeno resumo sobre o que cada parágrafo irá retratar. Como o Enem foca bastante em coesão e coerência, viso sempre  a utilização de sinônimos, preposições e conjunções, além de criar uma estrutura consistente em introdução, argumentação e uma conclusão com uma proposta de intervenção compatível e clara. Acho importante sempre estar em alerta acerca de temas do cotidiano e ter um bom repertório sociocultural para ajudar em referências ou citações. Na prova, relacionei o tema com algo bastante comum na atualidade que é a grande exposição de dados pessoais nas redes sociais e a capacidade de criar algoritmos específicos para cada indivíduo e preferência. Através de feedbacks e conselhos durante o ano fiquei  acostumado a usufruir de doutrinas filosóficas, e dessa vez não foi diferente, pois a partir da ideia de Indústria Cultural pude expor como a manipulação de dados de usuários ajuda na padronização de gostos e na criação de uma bolha social que exclui aquilo que é diferente e não conhecido. Não há uma regra sobre o que citar, você pode conseguir isso de várias maneiras, seja por meio de livros, filmes, séries, citações ou alusões históricas, basta apenas fazer sentido e se encaixar no texto. Por fim, sempre aconselho a seguir construção do texto pela sua maneira e costume, confiando em si mesmo e buscando sempre fugir de clichês ou exageros!”.

Miriã Pereira de Araújo, 17
Nota 820
“Na redação, falei sobre cookies e como eles passam informações sobre o que as pessoas acessam e o fato de algumas pessoas não terem conhecimento disso”.
A estudante quer fazer graduação no curso de Audiovisual.

Davi Martinez Cavana, 17 anos
Nota 820
“Eu segui os passos que sempre eram ditos nas aulas de redação do Rio Branco, na redação falei sobre os sofistas, o tema de uma aula de Filosofia em que o professor disse que as chances de podermos utilizar isso na redação seriam grandes e ele estava certo”.
Davi entrou em Ciências Econômicas na PUC-SP.

Gabriela Cano Zaccharias, 18
Nota 820
“Na redação do Enem 2018, procurei salientar a manipulação de dados na internet mediante os próprios usuários. Dessa forma, relacionei com a Indústria Cultural, termo criado pelos filósofos e sociólogos Theodor Adorno e Max Horkheimeir”.
Gabriela pretende cursar Medicina.

Thiago Cardoso Evangelista, 18
Nota 820
“Para a redação eu busquei ter calma pra fazer e pensar em tudo que havíamos debatido no Rio Branco sobre o tema, que foi bastante visto, e tentar abordar um pouco de tudo.”
Thiago quer ser advogado e entrou em Direito na PUC-SP e no Mackenzie.

Cinthia Campozana Germek, 18
Nota 820
“Na redação do Enem 2018, eu foquei na perda de autonomia dos usuários da internet devido às diversas formas de manipulação existentes atualmente, como, por exemplo, as “fake news”.
Cinthia pretende cursar Medicina.


Isabela Roque Silveira , 17
Nota 820
“Eu procurei me atentar muito para não fugir do tema proposto, além de buscar sempre citar filmes ou livros, bem como autores ou filósofos. Usei também muito os conectivos entre os parágrafos e a conclusão, e busquei me atentar ao uso correto da norma culta. Ao final da realização do texto, reli várias vezes para ter certeza de que tinha seguido o que pretendia.”
Isabela entrou em Pedagogia na USP.

Caio Padilha Soares, 17
Nota 820
“Quero seguir a carreira de jornalista especificamente esportivo, lembro de ter citado Bauman e dei  prioridade em como evitar que a manipulação do quanto estão expostos os usuários de internet”.

Arthur Teixeira Aleixo Silva, 17
Nota 800
“Em minha redação busquei abordar  ideias e conceitos fora do senso comum e adequá-los ao tema. Uma tarefa que exige muito  raciocínio, lógica e memória para utilizar conceitos adquiridos nas aulas das matérias como Sociologia e Filosofia que me deram grande repertório na redação, além das técnicas de construção de texto que aprendi nas aulas de redação”.
Arthur foi aprovado em Ciências Econômicas na PUC-SP e na FECAP.

Victoria Marcolini Bsaibes, 17
Nota 800
“Na minha redação  utilizei como argumento a teoria do sociólogo Émile Durkheim. Ele diz respeito sobre um fato presente na sociedade atual, onde algo externo torna-se interno como um padrão. Logo, principalmente na internet, estamos perdendo a individualidade e a sua respectiva identidade. Acredito que para uma boa nota, em qualquer exame que contenha redação, o ato de refazer temas antigos, pelo menos toda semana, de estudar conjunções, sinônimos e um vocabulário mais formal, me ajudou muito na busca  de um sucesso!”
Victoria foi aprovada em Arquitetura e Urbanismo na FAAP e na Belas Artes.

João Pedro Nobre Marcolino, 17
Nota 800
“Sobre o tema da redação, tentei focar bastante em mostrar como a manipulação do comportamento do usuário através do controle de dados era uma ação extremamente antidemocrática, exemplificando a ditadura militar ocorrida no Brasil em 1964 e no Estado Novo de Getúlio Vargas em 1937, mostrando como nos dois períodos houve controle de dados ( não pela internet ) e uma manipulação do comportamento da população na época, e, assim, tentei esclarecer como é importante tomar cuidado ao navegar na internet, pois o controle de dados pessoais ficou muito mais fácil depois do surgimento dessa rede.”

Laura Ferreira Zemella, 18
Nota 800
Na minha redação, tentei focar em como os algoritmos das redes sociais  conseguem filtrar os dados dos usuários de tal forma a mostrar a eles só aquilo que lhes interessa, deixando-os em uma bolha em que não há contato com opiniões ou gostos diferentes.”
Laura pretende cursar Medicina.

Luiz Guilherme Voigt Sampaio, 17
Nota 800
“Eu sinto que durante a redação inteira meu foco foi mostrar meu repertório sociocultural. Eu lembro que meus dois parágrafos de desenvolvimento foram quase só isso (que hoje eu percebo que foi um erro dar tanto ênfase apenas nessa competência). Eu falei primeiro sobre o caso do Facebook com a Cambridge Analytica e depois falei sobre o Edward Snowden e o vazamento dos documentos da CIA em 2013. Não tenho certeza ainda mas provavelmente prestarei Direito.”

Eduarda Rodrigues Verona, 17  
Nota 800
No Enem, um dos pontos que priorizei na redação foi a problemática do algoritmo que seleciona o que vai aparecer para o usuário com base nas suas interações com outras publicações, de modo que o indivíduo acaba sempre exposto ao mesmo tipo de conteúdo, tendo assim possibilidades reduzidas de entrar em contato com outras visões de mundo e expandir os horizontes. Além disso, também falei sobre as fake news criadas e espalhadas com o intuito de fazer com que as pessoas formem opiniões errôneas sobre um fato, que na verdade nem aconteceu ou não aconteceu da maneira como foi retratado na notícia.”
Eduarda está prestando vestibular para Medicina.

Camila Ferreira Levin, 17
Nota 800
“Quando vi o tema da redação, logo pensei, é um tema atual, no qual eu poderia inserir o problema destaque do ano de 2018: as fake news. Como sempre fui fã de Filosofia, vi uma oportunidade para usar os conceitos de verdade de verdade de Descartes e a base da sociedade digital líquida, segundo Bauman, montando assim, uma abordagem bem teórica do tema”.
Camila entrou em Design na ESPM.

Diego Barroso Vieira Carvalho, 17
Nota 800
“O meu maior foco na redação foi a estrutura do texto, tentei me certificar que cada parágrafo possuía as informações necessárias do tema, de maneira objetiva. Eu quero seguir a carreira de animador de desenhos animados e estudar no exterior”

A lista dos estudantes aprovados nos principais vestibulares do país, e em universidades no exterior está disponível em: www.crb.g12.br