O fim de ano atribulado do 3º ano do Ensino Médio. Como lidar com isso?
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

O fim de ano atribulado do 3º ano do Ensino Médio. Como lidar com isso?

Poliedro

30 Agosto 2016 | 10h00

O fim de ano atribulado do 3º ano do Ensino Médio_Poliedro

 

Ao virar a página do calendário e se deparar com o mês de agosto a ansiedade que toma conta dos vestibulandos aumenta ainda mais. E isso ocorre não apenas pelo fato de que o ENEM e os demais exames estão cada vez mais próximos. Este é, certamente, o elemento principal que acelera a pulsação destes estudantes, mas não é o único quando pensamos nos alunos que estão completando o ensino médio e que, por conta disso, ainda se preocupam com as notas e precisam atingir as médias exigidas para ter êxito ao final e conseguir a diplomação.

Neste sentido é preciso contar com o máximo de apoio da escola e da família para que o excesso de compromissos e responsabilidades não leve estes alunos ao estresse e esgotamento. Eles precisam estar se sentindo bem, na medida do possível, neste momento de suas vidas em que transitam para outra etapa, vislumbrando a formação profissional.

Os pais, por exemplo, ajudam muito a partir de ações combinadas que facilitem, por exemplo, o dia a dia, relacionadas ao cotidiano mesmo, como por exemplo:

– Prover alimentação equilibrada em casa, na hora certa, sem atropelos, prezando para que seus filhos possam não apenas ingerir alimentos saudáveis mas que, nos momentos em que ocorrem as refeições possam conversar com a família, desligar dos problemas mais imediatos, pedir auxílio ou apenas relaxar as tensões;

– Acompanhar o rendimento escolar, estando sempre em contato com a orientação educacional e a coordenação pedagógica, informando-se de notas, quedas de rendimento, dificuldades, plantões de dúvidas, atividades extras oferecidas pela escola para um melhor preparo dos alunos…

– Evitar cobranças demasiadas pois os próprios alunos já são, neste momento, muito críticos quanto ao seu rendimento;

– Não realizar comparações entre rendimentos de diferentes filhos ou mesmo entre seus filhos e colegas deles pois isso gera um enorme desconforto, animosidade entre os comparados, frustração quando os resultados estão aquém daqueles obtidos pelos irmãos ou amigos e, ainda, desânimo para a continuidade dos estudos.

A família também ajuda muito ao atuar com a escola no que tange a questões que correm em paralelo, como por exemplo, a formatura ao final do ano. Cada escola se organiza de uma forma, mas em geral há alguma festividade, podem ocorrer viagens de formatura e há a entrega dos certificados. No Colégio Poliedro, eventos como festas e viagens não são trabalhados pela instituição, sendo, portanto, organizados pelos pais. Compete ao Poliedro celebrar o fechamento deste ciclo com a cerimônia solene de formatura em que se entregam os canudos e documentos escolares, realizada em dezembro. De qualquer modo, quando a família ajuda o aluno do 3º ano quanto a formatura isso certamente representa um grande alívio na carga de compromissos acumulados no fechamento do ensino médio.

A escola, por meio de sua equipe gestora, em especial a partir da ação da orientação educacional e da coordenação pedagógica, no Poliedro, oferece aos alunos do 3º ano, por meio de diferentes ações, meios para que este ano letivo possa ser melhor aproveitado e que isso ocorra com menos estresse possível. Neste sentido, são regulares na programação para estes alunos práticas como:

– Apoio emocional e planificação de estudos por parte da Orientação Educacional;

– Informação sempre atualizada quanto ao calendário dos exames, datas de inscrição e de provas realizada pela coordenação, orientação e professores;

– Encaminhamentos para profissionais especializados em caso de detecção por parte da orientação de qualquer tipo de necessidade específica;

– Plantões de estudo para alunos com dúvidas em diferentes disciplinas;

– Contato regular com as famílias quanto ao rendimento dos alunos;

– Programa de orientação vocacional para alunos interessados que ainda estejam em dúvida quanto a que carreira seguir;

– Organização de eventos como encontro com profissionais, visitas a instituições universitárias em que irão prestar vestibular, palestras com psicólogas e professores com o intuito de auxiliar na preparação para os exames;

– Simulados com questões em modelo ENEM e Fuvest/Unicamp para que os alunos estejam devidamente preparados para o momento das provas;

– Devolutivas rápidas de notas de simulados para que os estudantes verifiquem quais são seus pontos mais frágeis, onde devem estudar mais, em que livros ou com quais recursos digitais curados e indexados podem contar para cada matéria em que estiverem com dúvidas.

De qualquer modo, acima de tudo, o que pais e escola devem fazer neste momento da vida dos alunos, com tantas atribulações, é estar sempre por perto, monitorando, acompanhando, dando suporte, auxiliando com as melhores práticas e ferramentas disponíveis. Esta é a busca no Colégio e nos Cursos Poliedro e, tendo em vista os resultados obtidos pelos nossos alunos, acreditamos que temos realizado, em parceria com as famílias, um bom trabalho. Continuamos sempre, é claro, buscando melhorias, aperfeiçoando os processos, aprendendo e estudando para que este suporte seja ainda melhor pois acreditamos que isso seja essencial para que estes jovens tenham não apenas uma formação acadêmica de qualidade, mas que estejam bem em todos os sentidos, conforme defendiam os gregos, ou seja: “Mens sana in corpore sano”.

 

Por João Luís de Almeida Machado