Muito além das medalhas: Poliedro Colégio aponta os benefícios para quem participa das Olimpíadas Científicas
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Muito além das medalhas: Poliedro Colégio aponta os benefícios para quem participa das Olimpíadas Científicas

Poliedro

30 de setembro de 2021 | 16h51

Vagas em universidades, descoberta de novas carreiras e desenvolvimento de habilidades estão entre os benefícios conquistados por estudantes

As Olimpíadas do Conhecimento, também chamadas de Olimpíadas Científicas, ganham cada vez mais relevância entre estudantes e instituições de ensino do País. O aumento do interesse não acontece apenas pela vontade de ganhar medalhas, mas também pelos inúmeros benefícios acadêmicos, cognitivos e socioemocionais proporcionados.

Os estudantes do Poliedro Colégio já perceberam o quanto essa participação pode ser importante. O empenho se reflete nos resultados alcançados nos últimos anos: somente em 2020, os alunos conquistaram 717 premiações. No período entre 2012 e 2020, houve um aumento expressivo no número de medalhas e menções honrosas recebidas, e entre 2019 e 2020 o número de medalhas de ouro aumentou mais de 60%.

 

 

Segundo Luis Gustavo Megiolaro, diretor-adjunto de Unidades Escolares do Poliedro, todos os aprendizados adquiridos impactam de forma muito positiva no rendimento escolar, e vão além. “Os ganhos se estendem para o dia a dia do jovem. As Olimpíadas do Conhecimento estimulam diversas competências propostas pela Base Nacional Curricular, importantes para que o aprendizado continue para além da sala de aula e para que o estudante aprenda a resolver demandas complexas da vida cotidiana e também do mercado de trabalho. São ótimas ferramentas para estimular a curiosidade, a descoberta de novos caminhos e a construção de projetos de vida”, explica.

Durante as competições, os estudantes se deparam com desafios que proporcionam o aprofundamento dos conteúdos vistos em sala de aula, despertam o interesse para a atuação profissional e ainda estimulam o autoconhecimento. Com as experiências, os alunos também passam a conseguir lidar com situações de pressão de maneira saudável.

Outra grande vantagem é a possibilidade de se conquistar uma vaga em importantes universidades sem realizar vestibulares. USP, Unicamp, Unesp e Unifei, por exemplo, reservam parte de suas vagas para candidatos com bons resultados em olimpíadas. A participação nas competições também gera oportunidades reais de ingresso em universidades internacionais.

Briza Aiki é uma das alunas engajadas nas competições intelectuais. Aprovada diretamente do Ensino Médio para o curso de Sistemas da Informação da USP, a estudante possui 43 medalhas e conquistou diversas oportunidades com base em seu bom desempenho. “Participar de olimpíadas sempre foi uma paixão, e foi o que abriu as portas para eu conquistar bolsas integrais em escolas particulares. Aprendi muitas coisas, desde a própria matéria, até habilidades de raciocínio lógico e rápido, de calma em momentos de pressão, entre outras, tão valorizadas no mercado de trabalho. Ter um Ensino Médio com essas atividades também me fez uma pessoa mais responsável e consciente sobre a gestão de tempo, além de me motivar a conquistar além do que é esperado”, conclui.

 

A aluna Briza Aiki com suas medalhas

O Poliedro Colégio possui uma equipe dedicada às Olimpíadas Científicas. Os docentes e os analistas de olimpíadas são responsáveis por conceder palestras, informar sobre inscrições, oferecer insumo para a preparação dos alunos, além de prestar todo o suporte necessário para as competições em todas as áreas do conhecimento. Todo o preparo e a dedicação dos alunos são reconhecidos anualmente por meio do evento Destaques Poliedro, nos quais os pais e responsáveis também são convidados para celebrar as conquistas dos estudantes.

Entre as disciplinas que mais registraram premiações em 2020, estão: Matemática (191), Astronomia e Foguetes (187) e Conhecimentos gerais (158), nas quais os estudantes obtiveram 30, 114 e 39 medalhas de ouro, respectivamente.

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.