Ensino Híbrido: conheça essa metodologia
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Ensino Híbrido: conheça essa metodologia

Poliedro

24 de março de 2021 | 17h06

É bem provável que você já tenha lido ou ouvido falar sobre a metodologia chamada de ensino híbrido. A modalidade de educação que mescla aulas presenciais com o ensino remoto está em alta e promete ganhar espaço no universo escolar brasileiro nos próximos meses e anos.

O objetivo dessa metodologia de ensino é levar a educação para além da sala de aula. Esse formato reforça o conceito de que a aprendizagem é um processo contínuo, não pontual, permitindo que professores e alunos também possam ensinar e aprender fora do ambiente escolar.

O ensino híbrido está bastante relacionado ao uso de novas tecnologias. Por isso, é fundamental que as instituições busquem utilizar ferramentas digitais como aplicativos, plataformas on-line e videoaulas. Com esses recursos, é possível munir o aluno com o conteúdo necessário para que a aprendizagem ocorra também fora da escola.

A aplicação desse modelo está muito ligada ao desenvolvimento da autonomia dos alunos. O ensino híbrido requer que o estudante seja muito ativo ao longo do seu processo de aprendizagem. É importante ressaltar que a escola e o professor têm o papel fundamental de desenvolver o interesse e a autonomia do aluno durante as aulas presenciais.

A importância da tecnologia

Uma das principais funções da escola é preparar o aluno para o futuro. Vivemos em uma sociedade digital, em que novas tecnologias ganham espaço em nossas vidas todos os dias. Nenhuma instituição de ensino pode ignorar essas novas tendências.

A ideia por trás de adotar tecnologias educacionais não é simplesmente trocar o caderno por um tablet ou a aula presencial pela videoaula. Quando inseridas de maneira significativa, ferramentas digitais podem transformar o processo de aprendizagem do estudante. Ao trazer o conteúdo da aula de forma mais estimulante e mais alinhada com o momento atual, as escolas desenvolvem também nos alunos habilidades necessárias para navegar nesse novo mundo.

A tecnologia no ambiente escolar também facilita muito a introdução de conceitos de aprendizagem adaptativa, permitindo ao professor acompanhar o desempenho de cada aluno e trabalhar com as necessidades individualmente.

O conteúdo educacional pode ser personalizado pela análise do comportamento e da eficiência de um determinado aluno, permitindo que seu perfil de desempenho seja mapeado e que sejam realizados os ajustes com recomendações de atividades para suprir as necessidades de aprendizagem encontradas. Dessa forma, ao reduzir o esforço mental necessário para aprender novas informações, é possível ter uma melhora no processo de aprendizagem do aluno.

Quando falamos sobre ensino híbrido, a tecnologia se torna ainda mais importante, e é fundamental que a escola procure ferramentas que estejam alinhadas à sua proposta pedagógica.

O Poliedro, por exemplo, oferece os recursos que ajudam as unidades próprias e escolas associadas a trazer essas ferramentas e tecnologias educacionais para dentro de suas realidades. Com plataformas digitais como AVA e Home School Poliedro e o aplicativo P+, é possível ter acesso a videoaulas, exercícios e uma infinidade de livros digitais e avaliações por meio de qualquer dispositivo conectado à internet.

Tendência para o mundo escolar pós-pandemia

Ainda há muitas dúvidas de como será o retorno das aulas presenciais pós-pandemia de COVID-19, mas é certo que o ensino híbrido terá um papel ainda mais marcante nesse momento. Muitas escolas já haviam adotado algumas soluções digitais quando as aulas presenciais tiveram de ser interrompidas, e essa mescla de aulas em sala com conteúdos on-line invadirão mais fortemente a vida do estudante no mundo pós-pandemia.

Benefícios da adoção do ensino híbrido

Uma das principais vantagens do ensino híbrido é facilitar a implementação de metodologias ativas. Também denominada “Aprendizagem baseada em projetos”, a metodologia ativa, sugerida pelo filósofo e pedagogo americano John Dewey, é um método de ensino em que o aluno pensa, toma decisões, faz escolhas e participa ativamente da aula. O foco da ação pedagógica está no aprender fazendo.

Nesse modelo, o aluno se torna o personagem principal do seu processo de aprendizagem, desenvolvendo a capacidade de absorção de conteúdos de maneira autônoma e participativa. A aprendizagem adaptativa busca entender as necessidades de cada aluno, pensando no ritmo e dificuldades, individualmente, adaptando o ensino.

O ensino híbrido também permite ao aluno ter mais controle sobre o ritmo e o ambiente em que esses estudos acontecem. Com isso, a escola também ajuda o aluno a desenvolver a disciplina e a responsabilidade.

Desafios da adoção do ensino híbrido

Apesar de essa tendência estar em alta, a verdade é que o Brasil é um país de dimensões continentais, com grandes diferenças entre suas regiões e na maneira como as escolas trabalham dentro de suas realidades locais. Nem todas as instituições de ensino possuem acesso à tecnologia de ponta, mas, felizmente, o ensino híbrido também pode ser desenvolvido por projetos, debates, exercícios, pesquisas de campo etc.

O uso de tecnologias educacionais também pode ser uma dificuldade para alguns professores. Cabe à escola oferecer a formação necessária para que o seu corpo docente saiba como utilizar as ferramentas que estão a seu dispor. O engajamento dos profissionais e a capacidade de empregar essas tecnologias é essencial para a metodologia.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.