Dia Nacional de Combate ao Bullying: dicas de prevenção
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Dia Nacional de Combate ao Bullying: dicas de prevenção

Poliedro

05 Abril 2016 | 16h37

O Dia Nacional, celebrado nesta sexta-feira, 07 de abril, alerta para importância da conscientização no ambiente escolar sobre os malefícios deste comportamento

Imagem 01

Antes tabu nas escolas, o termo bullying, de origem inglesa, tem ganhado cada vez mais espaço no cotidiano escolar.  Os atos de intimidação sistemática, geralmente gratuitos, costumam ser praticados de forma repetida, continua e intencional, contra qualquer pessoa, em qualquer lugar, inclusive nas redes sociais. Para o gestor educacional do Sistema de Ensino Poliedro, Altamar de Carvalho, o caminho para a prevenção deste tipo de agressão se dá pelo investimento em um ambiente escolar favorável à comunicação, respeito às opiniões e diferenças entre os alunos.

O convívio escolar envolve os primeiros e importantes vínculos entre crianças e jovens de diferentes grupos e é a partir disso que eles passam a enfrentar os desafios e as dificuldades que envolvem a convivência coletiva”, explica.

A escola que estiver preparada, com ações tanto preventivas quanto interventivas, certamente terá um combate eficiente. Pensando nisso, o Sistema de Ensino Poliedro sugere algumas soluções aplicáveis para a diminuição de problemas decorrentes dessa prática, dentro e fora do ambiente escolar.

“A escola deve adequar o ambiente valorizando a diversidade.  Promover campanhas preventivas como debates e praticar ações com mobilização de toda a comunidade escolar, professores, coordenadores, pais e alunos podem ajudar muito a reduzir a incidência das agressões”, conta.

Segundo ele, ouvir e saber de que forma ocorreram os atos repetitivos de maus tratos são alguns caminhos para estimular o diálogo e ajudar na identificação da vítima e do agressor.

Os pais e a escola devem permitir um ambiente saudável para que o estudante consiga se expressar. Além disso, os professores e os responsáveis nunca devem incentivar a vítima a pagar na mesma moeda”, afirma.

Ele também ressalta o papel da escola em construir uma comunidade na qual todas as relações sejam respeitosas. “Quanto mais cedo as noções de ética e de respeito forem discutidas e trabalhadas na escola, e também em casa, melhores serão as soluções dos problemas de intimidação entre jovens e crianças”.

Cyberbullying: o inimigo online

O deboche entre crianças e adolescentes também tem ganhado espaço e principalmente gravidade via internet. “A versão online do bullying certamente envolve mais vítimas que o bullying tradicional, pois com a internet e o celular as mensagens, imagens e comentários pejorativos se alastram rapidamente e os efeitos podem ser tão graves ou piores”, enfatiza Carvalho.

Segundo ele, a prática online deve receber o mesmo cuidado preventivo do bullying tradicional e a dimensão dos seus efeitos deve sempre ser abordada para evitar a agressão. “É importante conversar com as famílias dos estudantes e abordar o assunto também nas reuniões de pais”, conclui.

Dicas de filmes sobre o tema

São vários os filmes que mostram a prática do bullying. No filme “Tiros em Columbine”, do diretor e escritor Michael Moore, foi relatado um fato verídico com a história dos jovens Eric Harris e Dylan Klebold.

Outros que também exibem a prática são: “A Cela”, “Sociedade dos Poetas Mortos”, “Meninas Malvadas” e “Nunca fui beijada”.

 

 

Todos os projetos e exemplos mencionados neste blog referem-se às Unidades Sedes do Poliedro.