Política e eleições desde cedo: colégio promove projeto de liderança juvenil

Política e eleições desde cedo: colégio promove projeto de liderança juvenil

Liceu Jardim

10 Outubro 2018 | 09h24

 

Em tempo de eleições e discussão acirrada sobre posturas políticas, eles não ficam de fora, afinal tudo ouvem e para quase tudo têm respostas prontas. As crianças e adolescentes da atualidade são assim, a grande questão é: quando e como começar a inserir a criança na democracia?

Para a psicanalista Ilana Katz, doutora em Psicologia e Educação pela FE/USP e pesquisadora do Laboratório de Teoria Social, Filosofia e Psicanálise, “nunca antes um tema permeou as questões de todas as crianças, seja diretamente ou nas brincadeiras”, afirma. Ilana, que há mais de 20 anos atende crianças de todas as idades, trouxe um alerta importante em entrevista recente à BBC Brasil ao refletir sobre crianças gritando “não vai ter golpe” ou mesmo em discussões quentes com amigos ou simplesmente batendo panelas na varanda.

Para o Colégio Liceu Jardim, no Grande ABC paulista, o exercício da democracia pode ir além de discussão e se tornar capacitação. A escola, que há 14 anos desenvolve o projeto “Escola de Líderes” para alunos do ensino fundamental e médio, acredita que essa é a maior contribuição que a escola pode dar com relação a esse assunto. O trabalho começa no início do ano com a eleição dos líderes de classe. O processo é acompanhado pelas orientadoras educacionais, que promovem uma profunda reflexão sobre a importância e o papel do líder. Em seguida, os eleitos ficam responsáveis por representar os interesses da turma, tendo a oportunidade de expressar suas ideias, opiniões e contribuir com sugestões para melhoria dos processos escolares.

“Ao longo do ano, os líderes participam de diversos encontros com a equipe gestora do colégio e, no segundo semestre, são convidados para a Convenção dos Líderes de Classe. Durante a Convenção, cientes da sua responsabilidade como líderes e representantes de sala, apresentam as propostas sugeridas pelas turmas e elegem (através de votação) as mais convenientes, que ajudarão a nortear os projetos da escola em 2019. Nosso olhar está justamente nessa produtividade, na condução das ideias por meio de um processo de gestão eficiente”, explica o diretor do colégio, Professor Daniel Contro, que soma mais de 25 anos de carreira educacional e gestão nesse setor. Neste ano, a 14ª edição do evento foi realizada no dia 04 de outubro, no Hotel Blue Tree, com cerca de 100 alunos participantes (estudantes com idade entre 7 e 17 anos).

Segundo a orientadora pedagógica Adriana Dimitrov, o comportamento, a educação e o comprometimento dos alunos são os grandes destaques do dia, cujo o objetivo é desenvolver no grupo o papel de líder e conscientizá-lo sobre a sua importância como representantes de um grupo.

Nesta edição do evento, compareceram o vereador Edson Sardano e o secretário adjunto da prefeitura de Santo André, Evandro Banzato, que receberam das mãos dos alunos uma carta com sugestões para melhorar a cidade endereçada ao prefeito Paulo Serra. Durante a programação, os líderes ainda assistiram as palestras do aluno Matheus Barbosa,  do 7º ano, sobre “O Fenômeno da Diversão Produtiva”, e do Prof. Benedito Muniz, sobre “O líder que as pessoas querem e apoiam”.

Para a aluna Mariana França Pavan, da 2ª série do Ensino Médio, ser líder de sala a ajudou a vencer a timidez e descobrir sua maior vocação: a comunicação. “No ano passado, fui para Harvard e, junto aos meus amigos, apresentei um projeto lá, que foi uma experiência incrível. Com certeza eu não teria conseguido se não tivesse dado o primeiro passo, assumindo o desafio de ser líder de classe quando ainda estava no 8º ano”, diz.