Não passei no Vestibular, o que fazer?

Não passei no Vestibular, o que fazer?

Liceu Jardim

01 Março 2018 | 14h15

Nervosismo, estresse e outras variáveis podem prejudicar a sua performance. Saiba como se preparar de verdade com 7 dicas do Liceu Jardim

Não passar no vestibular é verdadeiramente um “baque” para quem se preparou o ano todo ou, algumas vezes, mais de um ano. “Um grande volume de conteúdos, estresse e nervosismo são os fatores mais recorrentes de resultados negativos em exames vestibulares”, explica o Professor Sami Jomaa, coordenador do Ensino Médio do Liceu Jardim – escola com um dos maiores índices de aprovação em universidades públicas do país.

Vestibular exige preparo emocional
A alta pressão pelo resultado, o conteúdo volumoso somado ao nervosismo exigem do candidato preparo emocional ao longo do ano.

Vale lembrar que o exame vestibular é a primeira grande competição com dimensão pública para o aluno e, por isso, a ansiedade cresce muito! “Até o vestibular, o desempenho do jovem na escola era acompanhado apenas pelos pais; como o resultado dos vestibulares é público, familiares e amigos distantes conseguem acessar as listas de aprovados, aumentando a cobrança”, alerta Sami.

Para começar se dando bem
Dicas fundamentais logo no início do ano podem fazer toda a diferença nos resultados da prova.

Apoio de todos e da família
Encontrar apoio familiar é tão fundamental quanto as horas diárias de estudo. A boa relação afetiva entre o vestibulando e a família ajuda a gerar segurança e resultados positivos.

Os alunos do Liceu Jardim, nos vestibulares 2018, conquistaram 87% de aprovação em universidades públicas – um dos maiores índices do país! (Foto: Arquivo/Colégio Liceu Jardim)

Com tais variáveis que ameaçam os resultados positivos, confira as dicas de quem sabe do que está falando e garante, a cada ano, mais e mais aprovados em várias universidades e cursos renomados por todo o país:

1. Mantenha a confiança! O resultado do vestibular não reflete diretamente sua capacidade de conseguir ou não a aprovação. Muitas vezes fatores “não acadêmicos” (como mal-estar, ansiedade, barulho etc) atrapalham os candidatos e adiam os planos.
2. Identifique, através das respostas publicadas na internet, quais as disciplinas que foram seus pontos fortes e quais seus pontos fracos. Além disso, é importante comparar seu desempenho nas primeiras e segundas fases para verificar em qual modelo de provas (objetivas versus dissertativas) seu desempenho é melhor. São nesses pontos “fracos” que você deve investir mais tempo em 2018!

3. Planeje o ano de 2018 com muito cuidado! É importantíssimo separar um tempão para estudar, mas é tão importante quanto realizar atividades físicas e ter noites de sono bem dormidas! Na sua agenda anual separe, pelo menos, 7 horas de sono por noite e também uma rotina de exercícios que se repita três vezes na semana.
4. Não descuide da alimentação em momento algum ao longo do ano! Procure SEMPRE se alimentar de maneira saudável e equilibrada. Uma dieta não equilibrada desregula todo seu metabolismo, diminuindo o rendimento das suas sinapses cerebrais, além de deixá-lo menos disposto fisicamente para os estudos. Se julgar necessário, procure ajuda de um nutricionista!
5. Se aproxime de pessoas que estão vivenciando a mesma fase que você! Compartilhe, além das angústias, momentos de estudos. Ao ajudar o colega você também está se ajudando! Ninguém é proficiente em todas as áreas e relações complementares contribuem para o seu desenvolvimento.
6. Apoie-se na sua família. São naturais o nervosismo e a “autocobrança” durante o ano, mas não os compartilhar com ninguém, prejudicará seu rendimento.
7. Na hora de escolher o curso preparatório para o vestibular, não tenha preguiça. Visite todos os disponíveis na sua cidade, peça para conversar com o responsável pedagógico, pergunte sobre as estratégias, quantos simulados serão realizados ao longo do ano, como funciona o plantão de dúvidas, qual a carga horária exigida “extraclasse” etc. Escolha aquele em que você se sentir mais amparado para a jornada de 2018, não aquele que seus amigos escolheram.