Ler, escrever, compreender…o aprendizado depende da prática!

Ler, escrever, compreender…o aprendizado depende da prática!

Liceu Jardim

06 Junho 2018 | 13h20

Por Ana Claudia Bertolini de Andrade

???????? ??? ????????? ?? ?????????? ????? ?? ????????? ??? ??? ??????? ???.

Você não entendeu o que está escrito? Estou falando grego? Sim! Escrevi usando a língua grega.

E o que está escrito?

Escrevi: “A leitura nos faz viajar sem sair do lugar”. Mas, para isso, precisamos, desde muito cedo, apropriar-nos da linguagem. Ela é produto de uma cultura.

A leitura e a escrita dependem do ensino e da sistematização. Por esse motivo, o ensino da língua portuguesa nas escolas é, sem dúvida, e sem menosprezar as demais disciplinas, o mais importante. Vários estudos são realizados a respeito da aquisição da escrita e da leitura e esses são fortemente subsidiados por diferentes áreas do conhecimento, tais como a linguística, a neurociência e a psicologia da educação.

Uma criança, muito antes de conseguir ler (decodificar) uma palavra, inicia a leitura das imagens. Quem já não viu uma criança passando em frente àquela lanchonete com um M maiúsculo amarelo e já querer um lanche!?

Vivemos em uma sociedade grafocêntrica, por isso a importância do domínio da língua escrita.

A aquisição da escrita e compreensão leitora impactam fortemente no desenvolvimento nas demais disciplinas. Um aluno que domina a leitura e a interpretação de textos, por exemplo, será mais capaz de compreender e resolver situações-problema em Matemática, elaborar e responder questões em História, Geografia e Ciências.

É, pois, papel da escola, na pessoa dos professores, estimular o aluno a ler e escrever melhor.

Ao processar as diferentes atividades envolvendo leitura e escrita, o cérebro instaura novas informações e estabelece múltiplas conexões e inúmeras possibilidades de aprendizagem.

Diversificar o trabalho realizado com o aluno garante um fluxo dinâmico das informações absorvidas por nosso cérebro. Segundo alguns estudos, quanto mais frequente o fluxo das atividades, mais forte será a conexão – o aprendizado.

É a repetição da proposta e o estímulo em usar determinada função mais de uma vez que vão fazer com que a criança aprenda. O aprendizado depende da prática!

É importante ressaltar que as conexões que funcionam em nosso cérebro são reforçadas com o uso e as que não funcionam são enfraquecidas. O processamento das informações envolve sensação, percepção e memória. A aprendizagem constitui a memória. Sendo assim, nosso trabalho com a linguagem escrita e falada tem que possibilitar um desfile constante de informações para que o aluno seja sempre desafiado a fazer o seu melhor.

Sabemos que nosso pensamento é expressado pelas palavras, por esse motivo, devemos incentivar, a todo momento, nossos alunos para que pratiquem o exercício da leitura, para que criem um rico patrimônio linguístico.

No Liceu Jardim, nossos alunos têm a possibilidade de desenvolver diferentes habilidades linguísticas, tanto na língua materna como em outros idiomas, com as mais diferentes atividades: leitura de livros mensais, rodas de leitura, contato com textos jornalísticos, criação de cadernos de palavras e dicionário pessoal, entre muitas outras iniciativas.

Tudo isso para que o aluno possa viajar na aprendizagem, sempre fazendo o melhor de si para o mundo que o cerca!

Ana Claudia Bertolani de Andrade é pedagoga e psicopedagoga. Atua como diretora pedagógica do 2º ao 5º ano, no Liceu Jardim. Trabalhou mais de 20 anos como professora no ensino fundamental. É fundadora do Instituto Monsenhor Antunes, entidade sem fins lucrativos, que atua na área de acolhimento, cidadania e inserção social de crianças, adolescentes e adultos.