Escola bilíngue, imprescindível nos dias de hoje

Liceu Jardim

15 Março 2017 | 18h58

foto bili?ngue

Por Juliana Casadei

Diante do cenário de globalização econômica e cultural em que vivemos, o aprendizado de um segundo idioma, especialmente o Inglês, tornou-se imprescindível para todos.  A intensa utilização da Língua Inglesa no mundo acadêmico, nas relações comerciais e culturais, tem impulsionado seu ensino cada vez mais cedo.

Desde 2013, o Liceu Jardim em parceria com a Pearson Education, oferece aos alunos a oportunidade de cursar a Escola Bilíngue. Com uma carga horária de 10 horas semanais e uma metodologia diferenciada, os alunos adquirem fluência na fala e na compreensão de maneira natural.

Mas afinal, o que é ensino bilíngue? Qual a diferença entre uma escola de idiomas e uma escola bilíngue?

A diferença está principalmente na carga horária e nos conteúdos abordados em sala de aula. Na escola de idiomas, o tempo de exposição à língua varia de 1 a 4 horas semanais e os temas referem-se a situações específicas que os alunos enfrentarão ao usar o inglês em uma viagem internacional ou com amigos estrangeiros. O foco é desenvolver a comunicação social. As avaliações verificam, principalmente, se o aluno consegue utilizar o vocabulário e as estruturas gramaticais apresentadas no material didático, ou seja, o objeto de estudo dentro de uma escola de idiomas é a língua em si. Já na escola bilíngue a língua funciona como um veículo de imersão em outras disciplinas. Selma Moura, importante pesquisadora brasileira desta área, explica que na escola bilíngue os alunos não tem apenas aulas DE inglês, francês , espanhol, mas têm, principalmente, aulas de diversas matérias EM inglês, francês, espanhol, línguas indígenas ou qualquer outra. O aluno aprende o 2° idioma ao mesmo tempo que aprende um conteúdo acadêmico, como de ciências ou matemática, por exemplo. O aluno se beneficia com a ampliação do conhecimento em diversas áreas de estudo. Além disso, a exposição ao idioma é diária e com carga horária muito maior.

Sabemos que a criança aprende por meio da brincadeira, da experiência e da construção, portanto, é importante completar o material didático com livros de literatura, músicas, jogos, vídeos e brincadeiras, para que os alunos aprendam os conteúdos curriculares de forma significativa e convidativa.

Apesar da difusão do ensino bilíngue no Brasil, ainda existem mitos que “assombram” os pais. Muitos acham que a criança fará confusão com as línguas, principalmente no processo de alfabetização, mas os pesquisadores explicam que a alfabetização acontece uma única vez e que quando a criança entende o código da linguagem, ela fará apenas a transposição do som.

O ser humano é totalmente capaz de crescer aprendendo outras línguas sem sobrecarga intelectual. Hoje já se sabe os inúmeros benefícios que bilinguismo faz ao nosso cérebro. Pessoas bilíngues ou trilíngues são mais focadas, criativas, apresentam melhor raciocínio lógico-matemático e maior desenvolvimento metalinguístico.

Portanto, oferecer ao aluno a possibilidade de se tornar bilíngue é oferecer uma formação completa, não só acadêmica, mas cultural e social também.