Saber nadar é aprendizagem para a vida!
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Saber nadar é aprendizagem para a vida!

Colégio Anália Franco

11 de maio de 2021 | 11h54

Aprender a nadar desde a Educação Infantil (Colégio Jardim Anália Franco-SP)

É comum ouvirmos dizer que a natação é um dos esportes mais completos, mas você já analisou as vantagens de se aprender a nadar desde criança? 

Biologicamente, além de trabalhar toda a musculatura do corpo, a natação desenvolve a coordenação motora, a consciência corporal, a psicomotricidade e a socialização dos nossos estudantes, além de proporcionar a melhoria do sistema cardiorrespiratório.

Vale destacar que a educação física voltada à prática da natação introduz noção básica de sobrevivência aquática colaborando, assim, para que diversos acidentes e óbitos sejam evitados. Segundo os dados publicados pelo DATASUS e sistematizados pela Sobrasa (Sociedade Brasileira de Salvamento Aquático) no ano passado, os afogamentos no Brasil representaram a 2ª causa de óbito para crianças de 1 a 4 anos, a 3ª causa de óbito na faixa dos 5 a 14 anos e a 4ª causa de óbitos de adolescentes e adultos entre 15 e 24 anos. O “Boletim Informativo Sobre Acidentes Aquáticos destaca que a prevenção advinda da educação aquática é o caminho mais consistente e seguro na erradicação dos afogamentos em nosso país.

Natação e a conquista de habilidades essenciais para a vida (Colégio Jardim Anália Franco-SP)

Nesse sentido, a dúvida recorrente é: quando colocar nossos filhos na natação? Não existe idade única para aprender a nadar. A criança pode ser iniciada na natação após a liberação do pediatra (geralmente, após 6 meses de idade e com a vacinação em dia). Já foi comprovado por Vygotsky que, desde bebês, as crianças estimuladas no aspecto motor possuem um melhor desenvolvimento cognitivo, ou seja, aprendem com maior facilidade quando comparadas com aquelas crianças sem o respectivo estímulo. Além disso, a natação também potencializa a melhoria da imunidade e propicia bons resultados na recuperação de problemas respiratórios, segundo a Organização Mundial de Saúde.

A partir destas informações, reforça-se o argumento de que formação aquática é de suma importância à sobrevivência e desenvolvimento da espécie humana. As técnicas empregadas para o conhecimento do próprio corpo, das condições propícias ao nado e da prática das diversas modalidades de natação auxiliarão tanto para a formação de atletas, quanto para subsidiar ao uso lúdico da piscina e o cuidado com a saúde pessoal. O essencial é o desenvolvimento de habilidades da prática saudável de atividades aquáticas para qualquer situação que a vida exige.

A prevenção advinda da educação aquática é o caminho mais consistente e seguro na erradicação dos afogamentos em nosso país.

Dessa maneira, o professor de natação deve oferecer estímulos e possibilidades para o aprendizado, respeitando a individualidade e o tempo de cada criança, adolescente ou adulto. Não é porque há bebês que mergulham nas primeiras aulas que todos devem mergulhar no mesmo ritmo. Todos terão que mergulhar? Sim, o mergulho faz parte do desenvolvimento aquático, mas não necessariamente será o primeiro passo.

Um exemplo de educação que valoriza essas habilidades está no Colégio Jardim Anália Franco, escola situada na Zona Leste de São Paulo-SP. A instituição conta com uma piscina aquecida para a prática de natação de seus estudantes do ensino regular (Educação Infantil e Ensino Fundamental), assim como dos cursos extracurriculares. A instituição vem desenvolvendo um trabalho de excelência na formação de estudantes responsáveis pela própria vida e pela vida dos outros, tanto na escola como em casa, como afirma Daniella Gomides Meira, mãe das estudantes Emanuelle e Sophia: “A aprendizagem adquirida na escola serviu de sustentação para outras vivências que minhas filhas realizam em casa, em clubes e em viagens. Com a autonomia responsável que as crianças constroem para si, podemos brincar com a frase de que quando alguém aprende a nadar, ganha de presente ‘um par de asas para ser feliz’. Aprender a nadar é valorizar a própria vida e zelar pela vida do outro!”, afirma.

O essencial é o desenvolvimento de habilidades da prática saudável de atividades aquáticas para qualquer situação que a vida exige.

Evolução individual por intermédio do esporte (Colégio Jardim Anália Franco-SP)

 

Nesse trabalho pedagógico, o colégio inicia a prática da natação a partir de 1 ano e 3 meses, com aulas específicas para bebês. Com duração de 50 minutos de aula na semana, os estudantes se ambientalizam com o espaço da piscina e, aos poucos, vão se aprimorando nas habilidades aquáticas. A partir dos 3 anos, os estudantes são divididos em cinco níveis, de acordo com seu desenvolvimento individual:

  • Estrelinha – Adaptação ao meio líquido, deslocamento na água, sociabilização e respiração.
  • Cavalo Marinho – Adaptação ao meio líquido, flutuação dorsal e ventral, batimento de perna, rotação de braços, imersão e salto em pé.
  • Peixinho – respiração lateral, crawl, costas, ondulação, submerso e mergulho.
  • Golfinho – Crawl, costas, peito e borboleta.
  • Tubarão – Técnica dos 4 estilos, saídas e viradas.

…quando alguém aprende a nadar, ganha de presente ‘um par de asas para ser feliz’.

 

Dada a importância para o desenvolvimento biológico, cognitivo e como preservação da vida, entendemos que a natação deveria ser um esporte obrigatório em todas as escolas, tendo em vista que ela potencializa o desenvolvimento humano em diversos aspectos. Sintetizamos, a seguir, 5 benefícios da natação praticada no Anália para crianças e adolescentes:

 Aprimora o desenvolvimento psicomotor

A natação infantil atua nas áreas de equilíbrio, da coordenação dos membros superiores e inferiores e dá agilidade, aperfeiçoando a coordenação motora e auxiliando a criança a se movimentar de forma mais controlada e despertando maior independência.

 Auxilia na socialização

A prática de esportes potencializa a socialização das crianças e adolescentes, pois incentiva a vivência em grupo e a criação de novas amizades.

Fortalece a capacidade cardiorrespiratória

O desenvolvimento da musculatura do sistema cardiorrespiratório, da melhora da coordenação motora e da capacidade cardiovascular, influencia na oxigenação do corpo e aumenta a resistência imunológica dos seres humanos.

 Trabalhada de forma lúdica

É uma atividade física planejada e estruturada na valorização do lúdico para as crianças e adolescentes, trabalhando várias partes do corpo sem riscos de grandes impactos e sem que as articulações sejam lesadas.

 Previne acidentes

Nadar é uma habilidade essencial à vida, sem a necessidade de ser atleta. Entendemos que a habilidade de sobrevivência no meio aquático é muito importante, pois muitos acidentes podem ser evitados se a pessoa souber se movimentar na água. Atenção: deve haver a supervisão de um adulto durante as brincadeiras na piscina, independente se a criança ou adolescente souber nadar ou não.

 

O trabalho físico associado ao projeto pedagógico do Colégio Jardim Anália Franco oferece uma formação integral em que as crianças e os adolescentes aprendem a se conhecer, perceber seus limites, superar obstáculos e, sobretudo, desenvolver conhecimentos de sua ampla capacidade de aprimoramento e potencialização de si mesmos, pois é o que a prática aquática busca incentivar no cotidiano escolar. Uma criança que desenvolve competências e habilidades na piscina despertará sua autonomia para outras demandas do mundo para além da água.

 

Katia da Silva Palko
Licenciatura em Educação Física pela UNIABC.
Possui diversos cursos complementares relacionados à prática da Educação Física no ambiente aquático.
Docente do Colégio Jardim Anália Franco

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.