Expectativas e escolhas na vida escolar
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Expectativas e escolhas na vida escolar

Colégio Anália Franco

15 de agosto de 2019 | 18h04

No segundo semestre, as escolas costumam receber um número maior de visitas, são famílias que iniciam o processo de escolha da escola para o próximo ano letivo. Sem dúvida é um momento muito importante, pois o perfil familiar deve estar alinhado com o propósito da instituição que será escolhida.
Aqui no Colégio Jardim Anália Franco, semanalmente recebo vários pais e geralmente tento identificar quais são as necessidades de cada família. Constato que, muitos chegam preocupados com a formação integral dos filhos, com o desenvolvimento das potencialidades intelectuais e com o bem estar. Já para outros, apenas a formação acadêmica de excelência é suficiente. Contudo, durante nossas conversas, percebo que nem sempre o perfil da criança/jovem é levado em consideração.
Não há problema algum em pais que desejam aquilo que consideram melhor para os filhos. Entretanto, muitas vezes observo que as expectativas dos pais refletem as frustrações de cada família. Sonhos que os próprios pais não conseguiram realizar na juventude e projetam na criança. Ou ainda pessoas bem sucedidas profissionalmente que querem que o filho siga seus passos, seja sua continuidade.
Sem dúvida há crianças/jovens que atenderão essas expectativas, mas há outros tantos que não se adequam ao perfil traçado pela família e sofrem.
Vivemos numa sociedade muito complexa, com valores sociais em constante transformação. Nossos jovens são submetidos a uma enorme pressão social, ao excesso de informações, à hipervalorização da imagem, a um universo virtual cheio de aparências. E quando o jovem não se sente acolhido no ambiente familiar o caos está instalado, pois surge um grande vazio e a necessidade de ser notado. Em seguida, aparece a angústia, a depressão e todas as consequências que conhecemos.

Dinâmica -árvore de sonhos EM

Precisamos olhar atentamente para nossas crianças e jovens, permitir que se expressem, que sonhem seus próprios sonhos. Temos que lembrar constantemente que a formação acadêmica é importante, mas não é suficiente para ter uma vida saudável e equilibrada.
Família e escola devem permitir espaços de diálogo, olho no olho, temos que contar aos jovens que todas as profissões são importantes, que todo ser vivo é importante, que somos uma engrenagem deste grande Universo. E que, para que funcionemos bem, não importa o que fazemos, mas como fazemos. O bom profissional é aquele que vai além do que aprendeu em sua vida acadêmica.
Desejo que nossa união (família/ escola) possa contribuir para a formação de uma juventude saudável e sonhadora.
Nevinka Lucia Saavedra Tomasich
Diretora Escolar

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.