Diversão na escola: aprendizagem significativa em Língua Inglesa
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Diversão na escola: aprendizagem significativa em Língua Inglesa

Colégio Anália Franco

08 de janeiro de 2020 | 16h46

Escape Room

Uso de metodologias ativas

Segunda-feira, primeira aula às sete e meia da manhã em uma sala de sétimo ano. Os alunos estão com a habitual “cara de sono”. O professor entra na sala e começa a aula. Esse cenário não parece ser o mais favorável para uma aula contemporânea. Adicione a isso o fato de que a aula é inteira ministrada em inglês, desde a introdução à análise gramatical. Pode parecer um caos, a receita perfeita para uma aula entediante, mais parecida com um monólogo do que com uma aula propriamente dita.
Mas há um fato que esses estudantes já sabiam: a aula estaria permeada por atividades divertidas e interativas, que os animariam e o tempo passaria num piscar de olhos.
Assim as aulas no Colégio Jardim Anália Franco são planejadas, de forma leve, engajada, divertida e com entrega. E dessa forma o processo de aprendizado do inglês deixa de ser obrigação e passa a ser prazeroso.
Durante anos, acreditou-se no inglês como módulos, em que o aluno adquire separadamente as diversas habilidades linguísticas, como gramática e pronúncia. Depois, percebeu-se que o processo é justamente o oposto, tendo as habilidades misturadas para melhor aquisição de língua.
O desafio agora é usar técnicas diferentes das tradicionais para encantar os alunos e transformar a atmosfera de pressão que a sala de aula pode ser em um ambiente mais aprazível. Para tanto, as metodologias ativas são usadas com maior frequência que há alguns anos, possibilitando uma formação em que o aluno vivencie o conhecimento, tornando-o significativo.
As metodologias ativas possibilitam mudanças nas funções de professores e alunos. Aqui, os alunos são os protagonistas de seu aprendizado, construindo o conhecimento através de pesquisa, debate, interações e jogos que objetivam transformar as aulas expositivas em um processo mais interativo, dinâmico e prático, sempre conduzido pelo professor que tem papel de mediador.
Pode parecer complicado ou trabalhoso, mas com a orientação certa e um pouco de boa vontade, torna-se simples e muito divertido de se aplicar. Seria presunção dizer que é fácil ou corriqueiro, visto que demanda leitura, dedicação e certa dose de criatividade, mas existem diversas ferramentas úteis que auxiliam nessas mudanças.
Uma das atividades que empolga os alunos durante uma aula de inglês é revisar os conteúdos através do famoso “Torta na Cara”. O jogo se dá em forma de perguntas e respostas, em que os alunos devem bater em um botão antes do ‘oponente’ e responder corretamente. Em caso de acerto, ele direciona uma torta de chantilly no amigo. Se errar, ele leva a tortada! Esse tipo de atividade demanda maior preparo, mas o resultado compensa em todos os âmbitos. Os alunos ficam muito ansiosos para o dia do jogo e acabam estudando de antemão, aplicando a técnica da sala de aula invertida.


Outra estratégia que pode ser usada é a intencionalização do ensino por meio digital. Um exemplo é a plataforma finlandesa Seppo que permite ao educador criar jogos de tabuleiro online combinando vários tipos de questões. Os estudantes podem acessar o jogo através de um QR Code disponibilizado pelo professor. O mais interessante é a personalização das perguntas, além da criação de desafios relâmpagos, incluindo até tempo para aumentar a emoção do jogo. O feedback é imediato, tanto para os alunos quanto para os professores.
Ainda citando plataformas online, vale destacar o ClassCraft, um app no qual os alunos podem criar um personagem com três atributos: vida, pontos de ação e experiência. Essa persona do game sofrerá penalidades caso alguma atividade não seja feita de acordo com os comandos. Por outro lado, ela poderá ganhar pontos de experiência como recompensa. Ao passar de nível, a persona ganha poderes que, em momento oportuno, podem ser usados com os pontos de ação, auxiliando na dinâmica das aulas como, por exemplo, o aluno obter um prazo maior na entrega de uma tarefa. Caso a vida no jogo chegue a zero, ele tem uma sentença criativa e saudável a cumprir, como aprender e recitar um poema. Sucesso absoluto entre os alunos!
Vale a pena destacar os Escape Games, salas temáticas com enigmas em que os alunos possuem um tempo determinado para resolução de charadas e, assim, escaparem daquele espaço. Assim, a prática oral e o trabalho em equipe são fundamentais para o sucesso do grupo.

 

Por fim, o uso de culinária. Esse é mais um momento aguardado de prática de língua inglesa no colégio. Juntos, alunos e professores definem a receita e cada ingrediente a ser trazido pelos estudantes. Durante a aula, todos colocam a mão na massa e aprendem vocabulário, gramática e a aplicação da língua que eles estão aprendendo durante o processo teórico. São vivências culturais saborosas e divertidas para uma aprendizagem significativa.


No Colégio Jardim Anália Franco, o ato de aprender com todos estes estímulos proporciona a formação de um espírito de integração e protagonismo entre os estudantes, potencializando, em si mesmos e nos outros, a motivação para serem investigadores felizes. Assim, por inúmeras vezes os professores ouvem “Mas já acabou a aula?”. Fica aqui, então, o desafio para sua próxima aula: divirta-se, aprenda e seja feliz!

Por Gustavo Azevedo
Professor de Inglês
Colégio Jardim Anália Franco

Tendências: