Com boa empregabilidade, cursos profissionalizantes no sistema dual alemão abrem portas para mercado de trabalho

Com boa empregabilidade, cursos profissionalizantes no sistema dual alemão abrem portas para mercado de trabalho

Colégio Humboldt

12 de julho de 2022 | 10h21

A Formação Dual Profissional é a modalidade de ensino técnico que o Colégio Humboldt oferece desde 1982, que associa aulas teóricas a um período de prática nas empresas parceiras; dos alunos que se formam no curso, 75% já têm propostas de contratação

Aula da Formação Profissional Dual no Colégio Humboldt, no bairro de Interlagos, em São Paulo

Neste ano, o Colégio Humboldt, instituição bilíngue e multicultural (português/alemão) localizada em Interlagos, São Paulo, comemora 40 anos de um dos maiores institutos de ensino profissionalizante no sistema dual existente fora da Alemanha, a Formação Profissional Dual, que já formou quase 2.000 alunos em seus cursos, que incluem Técnico em Administração, em Logística e em Tecnologia da Informação. Aliando o aprendizado teórico ao prático, o método do curso prevê um treinamento acadêmico combinado com um estágio rotativo em empresas parceiras, proporcionando aos jovens conhecerem o mercado de uma forma mais ampla, pois passam por vários departamentos de uma empresa, têm tarefas diferentes e sabem como os processos funcionam. A língua alemã é um dos pré-requisitos obrigatórios para os candidatos, que devem ter concluído o Ensino Médio. Além disso, eles também terão aulas em português, inglês e espanhol.

“Apesar de já estarmos dentro do Colégio Humboldt há 40 anos oferecendo esse tipo de ensino, ainda somos uma obra em construção, porque o sistema dual de aprendizagem ainda não é tão conhecido no Brasil, nem pelo sistema de educação brasileiro”, avalia Jan Detmering, Diretor da Formação Profissional Dual no Colégio Humboldt.

Apesar da distância do ensino técnico alemão do país, a modalidade é considerada porta de entrada para o mercado de trabalho, um trampolim para cursos universitários ou uma opção para quem deseja se qualificar em uma área. A educação técnica também pode ser a saída para o desemprego, índice que atinge 13,9 milhões de brasileiros. No modelo alemão, em média 75% dos alunos finalizam o curso com uma ou mais propostas de efetivação. “Durante dois anos o aluno faz o estágio, passando por diversas áreas da companhia e conseguem colocar em prática tudo o que aprenderam. A maior parte dos estudantes acaba sendo efetivada assim que se forma”, afirma Beatriz Santos, analista da Humboldt Formação Profissional Dual.

Os formandos recebem o diploma de técnico, validado pelo MEC, e o diploma alemão, reconhecido na Alemanha, onde também têm a possibilidade de continuar os estudos ou iniciar uma carreira profissional internacional, eles também podem fazer o exame “Fachhochschulreife”, equivalente a um vestibular da Alemanha para ingressar em uma faculdade de Ciências Aplicadas.

Boa empregabilidade

O estímulo e oferta desse tipo de ensino é uma articulação entre o currículo técnico e o acadêmico e a conexão com as empresas parceiras, que os responsáveis da Formação Profissional Dual do Colégio fazem por meio de reuniões, visitas e apresentações. Para 2022, 15 empresas já fecharam contrato, oferecendo 23 vagas de estágio no total. As empresas são: Baggio, Deugro, Leschaco, Stihl, C.H. Robinson, Mercosul-lines / CMA CGM, Goethe Institut, Rimac, Figwal, Lanxess, Geodis, Bayer, DB Schenker, Kloeckner e Colégio Humboldt. Ainda, há outras empresas realizando o processo seletivo. Cada companhia oferece no mínimo uma vaga para os alunos da formação técnica.

“No ano retrasado, 26 alunos na Formação Dual; ano passado, 19 e neste ano, temos 23, mas queremos chegar a 30 alunos”, diz Beatriz, que também é ex-aluna do sistema (2018 e 2019). Ela é natural de Sorocaba e estudava no CEL (Centro de Estudos de Línguas), uma das instituições que o Colégio apresenta a Formação Dual, além de escolas públicas e particulares que são alemãs ou ensinam o idioma alemão e instituições como Sal da Terra, entidade que a escola mantém parceria desde 2017, em que os jovens recebem aulas de alemão nas dependências do Colégio uma vez por semana. Desde o início do projeto, o Dual já formou duas turmas da ONG Sal da Terra.

O processo seletivo nas empresas inicia-se em dezembro e no mês de junho, o Humboldt libera o edital da Formação Dual, onde constam todos os detalhes da seleção e as datas da prova escrita. A próxima etapa é uma entrevista com o diretor do Dual no idioma alemão; assim, os currículos dos alunos que passaram na prova escrita e oral são enviados no dia 1º de dezembro para as empresas que têm interesse, e essas fazem seu próprio processo seletivo no setor de Recursos Humanos.

 100% presencial

Neste ano, a formação Dual volta ao seu formato original, com aulas e estágio presenciais, já que ano passado, devido à pandemia, o curso profissionalizante se adaptou ao ensino remoto e estágio home office. Essa nova abordagem propôs uma experiência desafiadora para estudantes, que participaram das aulas e do período de prática nas empresas parceiras desde casa. Por conta dos desafios no ano escolar de 2020 causados pela crise da Covid-19, houve também a mudança para o ensino híbrido, uma vivência completamente nova para todos, de acordo com a diretoria do Dual.

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.