Oficina de Leitura e Ilustração

Patrícia Delázari

12 de maio de 2017 | 10h58

O ilustrador é um contador de histórias, que usa a imagem no lugar da palavra.

Este é somente o início da discussão sobre ilustrações de histórias em minha oficina. Nela trabalhamos a literatura infantil através da imagem, mostrando a ilustração como linguagem narrativa, motivando na criança o gosto pela leitura.

Desde 2004, quando fiz um curso, para adultos, com o ilustrador Odilon Moraes iniciei as aulas sobre o tema com crianças da pré escola em diversos lugares, desde oficinas de algumas horas em livrarias e ateliês de arte, até aulas regulares em escolas.

A resposta foi imediata, as crianças amam ouvir histórias e aprendem o que é e para que serve o trabalho do ilustrador na prática.

Hoje ao lermos um livro ilustrado somos afetados pelo seu formato, projeto gráfico, como o texto e as imagens conversam. As ilustrações alimentam a fantasia, e a imaginação é fundamental para inteligência e criatividade de nossas crianças.

As imagens são “textos visuais” e nos dão o tom e o ritmo da leitura, através de diversos recursos, tais como luz, sombra, contrastes, texturas, ausência ou excesso de imagens, etc.

A arte da ilustração e do livro ilustrado nos dias de hoje tem sido objeto de estudos e discussões em diversos níveis, desde ateliês de arte e ilustração até em Universidades, em cursos de artes plásticas e letras.

Na oficina podemos conhecer um pouco da diversidade de “autores de imagem”, suas diferenças e semelhanças, através dos livros, dando subsídios para que a criança faça a sua própria releitura da realidade.

É importante permitir que as crianças tenham acesso aos mais variados tipos de leitura para poderem escolher o que mais gostam e desejam ler.

Como trabalho final da Oficina, produzimos um livro Ilustrado, a partir de um texto criado em sala de aula, um poema ou uma música.

 

Algumas curiosidades:

Em 2014, a música “Feira de Mangaio”, do instrumentista, arranjador e compositor Brasileiro, Sivuca , em parceria com a compositora Glória Gadelha foi transformada em livro e ilustrada pelos alunos da Oficina de Leitura e Ilustração.

A história se passa em uma feira, típica do Nordeste do Brasil, chamada de Mangaio. É um tipo de feira onde o mix de comercialização são produtos artesanais de uma variedade incomensurável, que vão desde utilidades domésticas a agropecuária e fármacos homeopáticos.

As crianças puderam conhecer todo um vocabulário e costumes nordestinos, desconhecidos até por adultos.

Para as ilustrações, além de lápis de cor e canetas hidrocores, foram utilizados carimbos em madeira, técnica chamada xilogravura, utilizada também para ilustrar a literatura de Cordel, gênero literário popular no Nordeste escrito frequentemente na forma rimada e originado em relatos orais.

Em 2016 fizemos oficinas de Ilustração para professores de creches da prefeitura de SP, mantidas pela parceria social do grupoA Educacional, do qual o Colégio Horizontes faz parte.

Agora em 2017, aguardamos ansiosos e com várias perguntas a visita do Ilustrador Odilon Moraes, que falará para as crianças do 1º ao 5º. ano do Ensino Fundamental.

 

Renata Bruggeman

Professora da Oficina de Ilustração de Histórias

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: