Educação Ambiental ajuda na formação de cidadãos conscientes

Educação Ambiental ajuda na formação de cidadãos conscientes

Do Colégio

08 Junho 2016 | 12h25

Discussões sobre proteção ambiental, reciclagem, aquecimento global e o uso adequado dos recursos naturais ocupam cada vez mais espaço. A sociedade busca meios de diminuir o impacto negativo do ser humano no mundo e, desde 1999, quando foi instituída a Política Nacional de Educação Ambiental (Lei 9.795, de 27 de abril), aulas de Educação Ambiental foram declaradas obrigatórias em todos os níveis de ensino escolar brasileiro.

No Colégio Horizontes Uirapuru, as aulas de Educação Ambiental fazem parte do currículo desde 2002. A cada ano são trabalhados assuntos diversificados, tais como coleta seletiva de resíduos, economia de água e luz, formas de geração de energia, consumo consciente, produção de alimentos sem agrotóxicos, produtos transgênicos, reaproveitamento de alimentos, entre outros. A proposta da Educação Ambiental no colégio é diferente das demais disciplinas curriculares, uma vez que não fica presa ao cumprimento de determinado conteúdo.

Os debates ocorrem durante as aulas e visam estimular uma postura cidadã e mudanças de hábitos. Os temas são variados, podendo acompanhar acontecimentos atuais ou informações trazidas pelos próprios alunos. As discussões em classe são ampliadas e sustentadas pela exibição de vídeos e curta metragens, e levam à elaboração de pesquisas escritas, apresentação de slides, maquetes, visitas pedagógicas a locais de interesse, além das ações práticas associadas a cada tema. “Por exemplo, quando o assunto foi coleta seletiva na escola, os estudantes tiveram a ideia de criar um ‘fiscal’ dos resíduos. Assim, durante os intervalos, dois alunos se revezavam por dia para observar e anotar os colegas que praticavam ações corretas com relação ao destino dos resíduos do próprio lanche. No final do trimestre, era premiado o estudante que apresentava atitudes mais sustentáveis. Aquele que tinha mais anotações negativas era chamado para uma conversa visando à sensibilização e ao despertar para os cuidados com o meio ambiente”, explica a professora e coordenadora do projeto no colégio, Rogeria Toler da Silva Noronha.

Alunos do Horizontes durante passeio ambiental. Foto: Divulgação

Alunos do Horizontes durante passeio ambiental. Foto: Divulgação

Para a diretora do colégio Gabriela Martins, inserir a Educação Ambiental no ambiente escolar implica em envolver toda a comunidade nas ações sustentáveis e, também, dar exemplo aos alunos. “Algumas práticas foram implantadas como: a diminuição do uso de copos descartáveis em todas as dependências do colégio; o melhor aproveitamento das folhas de papel sulfite utilizando ambos os lados; valendo-se mais da comunicação virtual do que impressa com a comunidade; implantação da coleta seletiva de lixo; maior cuidado com a limpeza, organização e economia de energia nas salas de aulas com lâmpadas LED e demais ambientes da escola, além do uso exclusivo de materiais de sucata para a elaboração das maquetes”, completou.