Intervenções no Espaço

Intervenções no Espaço

Conteúdo - Escola Viva

23 Junho 2017 | 09h13

Como a arte transforma o espaço? Como o tempo transforma o espaço? Como a cidade transforma os modos de vida? Quem transforma a cidade? É possível transformar o nosso olhar?

Os 5os anos da Escola Viva têm como eixo temático ‘Transformações do Espaço’ e com intervenções no espaço da Escola ou do seu entorno, tentam responder a essas e a outras perguntas, durante o trabalho feito nas aulas da atelierista Flora Figueiredo.

Uma das turmas, depois de uma conversa com o artista Zé Vicente – que tem um trabalho chamado Pela rua com recortes em que caminha pelas ruas da cidade com pequenos recortes de revista, procurando lugares para encaixá-los e fotografá-los – fez a sua intervenção nas ruas do bairro da Escola Viva.

Um olhar atento para os lugares que passam despercebidos e normalmente ninguém vê. Um diálogo com a cidade: com suas cores, tamanhos, texturas e reflexos. Uma pequena intervenção em brechas expostas pelas ruas do nosso bairro. Uma possibilidade de criar novos contextos e sentidos para imagens que já existem e de reinventar a própria relação com a cidade.

         

Com a mesma intenção, outra turma criou um projeto para ocupar espaços de maneira que pudesse transformar o olhar das pessoas que convivem na Escola e nos seus arredores.

Os alunos pesquisaram imagens de intervenções com linhas e crochês nas cidades e criaram sua intervenção com base em uma atividade que fizeram em sala de aula, que ligava palavras usando linhas.

Em um primeiro momento, dividiram-se em pequenos grupos e fizeram o projeto de como seria a intervenção na Escola a partir da linguagem do desenho. Surgiram ótimas ideias: enrolar linhas em árvores e pilastras, fazer uma cabana com linhas e tecido e pendurar linhas em galhos e na copa de árvores, que logo foram colocadas em prática, fazendo os alunos colocarem a mão na massa, ou melhor, a mão na linha! Para isso, utilizaram fios de barbante colorido.

      

O projeto dentro da Escola foi tão bacana que o grupo resolveu estendê-lo para intervenções na rua da Escola. Uma parte do grupo saiu para procurar buracos, rachaduras e pequenos espaços em que pudesse encaixar as linhas. A outra parte saiu para procurar postes e árvores para intervir. As intervenções foram feitas em calçadas, na parede do estacionamento vizinho, em uma grande árvore em frente à Escola e em pequenos postes. As pessoas que passavam pela rua ficavam curiosas com cada intervenção.

Outra turma trabalhou na construção de uma maquete que representasse uma cidade urbana, partindo do interesse e da conexão do grupo com o eixo temático Transformações do Espaço e também da leitura de várias matérias sobre os modos de vida nas cidades.

   

Durante o processo de construção da maquete, o grupo fez uma lista de coisas que são necessárias em uma cidade, como hospitais, escolas e mercados, e também de coisas que desejavam representar, como hípicas e sorveterias. As ideias se materializaram numa construção feita com empenho e empolgação. E para inaugurar a cidade, os alunos trouxeram de casa alguns bonecos, animais e meios de transporte para brincar. Outras maquetes feitas em anos anteriores também entraram na roda para incrementar a brincadeira na praça.

Depois da maquete pronta, o grupo recebeu a visita dos alunos do Grupo Azul do Infantil (turma de 4 a 5 anos), que também está estudando cidades.

   

“Todos estes que aí estão
Atravancando o meu caminho,
Eles passarão.
Eu passarinho!”
(Mário Quintana)

Os pássaros estão voando por aí. Olhe tudo de um jeito diferente, irá encontrá-los. São de muitas espécies e têm todas as cores.

Ararajuba, miudinho, tiê-sangue, sanhaço- cinzento, sairá-sete-cores, pichororé, sabiá-laranjeira, canário-sapé, corrupião, lavadeira-de-cabeça-branca, periquito-azul, polícia-inglesa-do-sul, soldadinho-do-Araripe, tiê-caburé, cambacica, canário-da-terra, cardeal-amarelo, bem-te-vi, rouxinol, macuco, pavão, pintassilgo, jacutinga, cotovia e tuim.

Você já reparou que algumas ruas de Moema têm nomes de pássaros? Pavão, Canário, Rouxinol… A praça em que outra turma espalhou os seus pássaros fica na esquina de uma rua chamada Cotovia!

      

A intervenção de outra turma de 5º ano foi inspirada no trabalho eu_passarinho, das artistas do coletivo Desejos Urbanos, que espalha pássaros coloridos – desenhados e recortados por elas mesmas – pelas ruas da cidade de São Paulo desde 2013. O grupo se encantou com ideia e resolveu produzir muitos pássaros com a ajuda dos pais, em uma oficina feita no atelier.

   

Depois, o Grupo Vermelho do Infantil (turma de 5 a 6 anos) – que também estava fazendo uma pesquisa sobre pássaros – foi até a praça para tentar encontrar os passarinhos espalhados pelo 5º ano e assistir a uma apresentação de música preparada pelos alunos.

Trabalho consistente e que se espalha. Como a cidade. Delicadeza em forma de passarinho. Você, já viu pássaros coloridos por aí?

E imagens e linhas e crochês? Quantos você é capaz de encontrar?