Atitudes diárias para construir “bons alunos”

Atitudes diárias para construir “bons alunos”

Escola Morumbi

21 Fevereiro 2018 | 11h11

O trabalho em conjunto do estudante, da escola e da família é o combustível para que o adolescente cresça de maneira positiva e possua um bom desempenho escolar, alcançando seus sonhos

 

A entrada para o Ensino Médio marca um momento de transição na vida do estudante, que passa a ter mais responsabilidades para ser um “bom aluno”.

Cada adolescente possui suas individualidades e maneiras de aprender, por isso o chamado “bom aluno” não consiste em um modelo a ser seguido; é aquela pessoa que reúne uma série de características: apoio familiar, interesse em aprender, equilíbrio emocional, habilidade de conviver em um grupo social e vontade de construir novos aprendizados.

Para que o aluno tenha um bom desempenho acadêmico, o ambiente em que está inserido deve ser saudável. Além disso, os pais possuem um papel essencial: são eles os responsáveis por incentivar os filhos e comemorar suas conquistas, sendo um ponto de apoio em confiança.

Para ser um bom aluno não é necessário que o adolescente padronize seu comportamento. Basta que ele tenha atitudes e incentivos para desempenhar suas tarefas.

Primeiro, precisa ser organizado, prestar atenção nas aulas e cumprir seus deveres. Estar atento as explicações do professor é algo essencial para o bom aproveitamento escolar, já que é nesse momento que o aluno entenderá o conteúdo. Além disso, deve ser responsável, ou seja, precisa trazer o material correto das aulas previstas para o dia; entregar, no prazo, trabalhos escolares bem feitos; ter uma rotina de estudo regular; se preparar para as avaliações.

Os pais precisam incentivar essa postura. Podem envolver os filhos na rotina da casa e tarefas domésticas, perguntar o que foi aprendido na escola, valorizar, apoiar e acompanhar o tempo dedicado pelo filho aos estudos em casa, ajudá-lo a organizar sua rotina escolar, dar atenção especial à lição de casa e incentivá-lo ao estudo contínuo.

O professor é uma figura de conhecimento e autoridade, por isso o aluno deve respeitá-lo e valorizar os seus ensinamentos. Assim, se sentirá mais motivado para dar seu melhor desempenho em sala de aula. Por isso, é importante que os pais incentivem essa postura dos filhos.

Os pais não podem desautorizar ou desabonar a figura do educador em casa. É interessante que eles contem histórias sobre professores marcantes que tiveram contato na época escolar.

O aluno também precisa se mostrar interessado na aula e no conteúdo passado, fazendo perguntas pertinentes e mostrando que acompanhou o raciocínio desenvolvido pelo professor. Mesmo os mais acanhados podem ser identificados pelos educadores.

A grande contribuição dos pais para desenvolver esta característica em seus filhos é criar um ambiente caseiro onde o interesse e descoberta esteja presente. A família precisa estimular o diálogo de assuntos variados e dar chance para os filhos falarem suas opiniões sobre os mais diferentes temas.

A consciência de que o esforço do presente representará uma conquista no futuro precisa ser perceptível para o estudante. Por isso, os pais precisam mostrar a importância dos estudos para os filhos, que contribuirá para conquistas pessoas e profissionais.

Além disso, para manter uma rotina saudável e positiva, o adolescente precisa realizar outras atividades de seu interesse, fora suas obrigações. É necessário reservar momentos para lazer e diversão.

Por último, é necessário que o adolescente tenha uma rotina de sono saudável. Pois, estar descansado e bem desperto é uma condição essencial para aprender. Os pais precisam estar atentos ao sono dos filhos, para que impeçam que o cansaço faça com que eles durmam em sala de aula.

O trabalho em conjunto do estudante, da escola e da família é o combustível para que o adolescente cresça de maneira positiva e possua um bom desempenho escolar, alcançando seus sonhos. (Equipe Escola Morumbi Unidade Moema)