Como o inglês pode impactar o mercado de trabalho

Como o inglês pode impactar o mercado de trabalho

Colégio Bis

13 de janeiro de 2018 | 12h27

Sem dúvidas, o inglês é a língua mais utilizada nas relações internacionais de comércio, negócios, entre outros. Recentes dados mostram que o número de intercâmbios feitos aos países de Língua Inglesa é bem maior que os demais. No Brasil, os principais destinos são Estados Unidos e Canadá, e apesar de o Canadá ter uma área bilíngue, onde o francês também é falado, a maioria dos estudantes vai para estudar inglês.

A Língua Inglesa foi incorporada ao nosso vocabulário, e nós a percebemos em contato com músicas, filmes, internet, e até mesmo no modo em que consumimos, vendemos e nos relacionamos. Dessa forma, percebemos a importância e a influência que esse idioma exerce sobre a nossa cultura.

No mercado de trabalho, o inglês virou atributo essencial para a conquista da maioria das vagas de nível universitário. Quantas vezes você já ouviu alguém dizer que perdeu uma grande oportunidade por não saber falar inglês? Pesquisas salariais revelam que o salário de uma pessoa que tem um segundo idioma é de 60% a mais em relação ao salário de outra que seja monolíngue.

Entretanto, a maioria dos profissionais que dizem possuir conhecimento nesse idioma se enquadra no nível básico para o intermediário. Portanto, ter fluência ainda é um diferencial bastante competitivo para conseguir postos mais altos.

 

 

É comum que empresas apliquem tais conhecimentos linguísticos de seus funcionários nas relações de trabalho com outros países com o propósito de difundirem informações e estarem à frente de negociações. Outro nicho de mercado é justamente a tradução de textos, de modo que mais pessoas tenham acesso a conteúdos.

A melhor forma de ser fluente no inglês é começar desde cedo o contato com o idioma. Iniciando os estudos na infância ou adolescência, é possível desenvolver todas as habilidades de forma significativa.

Estudos indicam que bilíngues têm muitas vantagens em relação aos monoglotas: aprendem com mais facilidade, estão mais protegidos contra a senilidade (envelhecimento), podem raciocinar de forma diferente em cada idioma, têm facilidade de argumentação, são mais bem sucedidos nas relações interculturais, entre outros benefícios.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: