As dúvidas sobre o bilinguismo no Ensino Médio

As dúvidas sobre o bilinguismo no Ensino Médio

Colégio Bis

10 Outubro 2018 | 14h51

Se sua família fala mais de um idioma fluentemente ou se você ofereceu a seu filho um ensino bilíngue desde a primeira idade, as vantagens de atingir o Ensino Médio sendo um jovem bilíngue estão claras para você. No entanto, se seu filho chegou ao Ensino Médio e ainda não é fluente em um segundo idioma, vamos esclarecer os mitos sobre o bilinguismo nessa fase.

1. Não é possível aprender um novo idioma fluentemente depois dos treze anos de idade.

A Neurociência explica que: sim, a capacidade de aprendizagem neural se modifica, mas isso não significa que diminui. É necessário implementar métodos diferenciados de aprendizagem para indivíduos mais velhos, com o cérebro já em outros estágios cognitivos. A criança até treze anos tem seu aprendizado bilíngue através da
memória procedimental.
A partir dessa idade contará apenas com sua memória declarativa. Entretanto, a mudança no método de ensino torna completamente possível e viável o bilinguismo para o jovem do Ensino Médio.

2. O jovem vai se sobrecarregar.

Há estudos que mostram o desinteresse pelos estudos no Ensino Médio – o MEC contabilizou uma redução de 2,5% nas matrículas do Ensino Médio entre 2017 e 2018 em rede pública e privada – seja porque a escola tradicional não acompanha a curiosidade e o instinto de praticidade do jovem, seja porque ele já está preocupado com sua carreira profissional, ou ainda porque se interessa por assuntos e culturas que a 
escola não abrange.
Um estudo bilíngue amplia o desafio nessa fase, motivando-o a frequentar a instituição de ensino, justificando a necessidade real do idioma em sua vida cotidiana, para sua carreira futura e ainda lhe apresentando culturas diferentes, sendo apoio para o ensino mais profundo de disciplinas tradicionais como História, Literatura, Geopolítica e Filosofia.
3. O jovem vai se confundir e ter dificuldades com a língua materna.
Justamente ao contrário. Um jovem bilíngue treina para um estado de foco e atenção a fim de não confundir a linguagem utilizada. Isso significa que esse jovem se tornará mais atento e concentrado de maneira geral por estar se submetendo ao desafio de se tornar bilíngue.

4. O aluno do Ensino Médio deve estar focado no Vestibular.

Sim, isso só aumenta a necessidade de dar a ele a oportunidade do bilinguismo. 
Estudando um novo idioma e, portanto, uma nova cultura, o jovem estará mais capacitado para dissertar sobre temas internacionais e relacioná-los com a realidade do país, o que o colocará à frente na disputa do vestibular.
E isso não apenas na avaliação do idioma estrangeiro, mas também na avaliação primordial que todos os vestibulares e também o ENEM fazem sobre atualidades.