A alfabetização no ensino bilíngue

A alfabetização no ensino bilíngue

Colégio Bis

12 Setembro 2018 | 11h18

Alguns pais têm dúvidas a respeito da alfabetização em duas línguas e imaginam que seus filhos podem não aprender o idioma materno ou confundi-lo com uma segunda língua. Isso, na verdade, não ocorre. O processo de alfabetização em duas línguas acontece de uma maneira muito mais natural do que se imagina.

Diferente dos adultos – que quando aprendem tardiamente a segunda língua precisam se esforçar muito para conseguirem se expressar – as crianças, expostas ao inglês desde cedo, fazem suas construções sem se preocupar se estão falando em um ou outro idioma.

A Universidade George Mason, na Virgínia, Estados Unidos, verificou melhor desempenho dos bilíngues em outras disciplinas, além do inglês, o que pode estar atrelado à melhor capacidade de concentração.
Quanto mais cedo se dá a exposição à Língua Inglesa, melhor.

Na verdade, o processo de alfabetização começa muito antes do escolar. Ele se dá por meio da oralidade, ao escutar conversas, histórias, e ao perceber que o mundo dos sons e das palavras existe.

Por mais que não seja claro o processo de alfabetização, ele já está acontecendo. Quando a alfabetização escolar inicia, nela já existe uma bagagem, um repertório e, com a ajuda dos professores, o sistema de escrita e a relação entre os sons e as letras se refletem. Quando a criança é alfabetizada em duas línguas, esse processo se torna natural para ela, por estar sendo exposta diariamente a estímulos da língua materna e da segunda língua simultaneamente.

A aparente “confusão” que a criança faz com as duas línguas só demonstra que ela internalizou bem ambos os idiomas. Quando constrói uma frase com palavras em português e inglês, seu cérebro está fazendo associações, e o caminho mais fácil foi escolhido.

No entanto, com o tempo e sem pressão, tais estruturas vão sendo corrigidas.
Em seu próprio ritmo, as palavras, as frases, as construções orais e escritas se tornam significativas para ela, seja no português ou no inglês. A criança, por meio dos estímulos e recursos que possui, vai descobrir a melhor maneira de se expressar, que é única e singular.

E como os pais podem ajudar nesse processo? 
Os pais podem mostrar interesse pelas descobertas dos filhos sem pressioná-los a serem perfeitos. Não querer que as crianças errem é um equívoco. Todos erram – mesmo adultos fluentes na língua. Então é preciso apoiar e incentivar os filhos, como quando a criança insiste em utilizar uma frase de uma maneira incorreta. O pai, em uma situação como essa, pode repetir a mesma frase em outras situações de forma correta e enfática. A criança, por observação, vai naturalmente descobrir onde está o erro e corrigir a partir dele.