As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Mudança de escola: e agora?

Thais Gonzales

10 de janeiro de 2019 | 14h58

As razões para uma família decidir mudar o filho de escola são diversas e essa troca costuma gerar ansiedade, angústias. Para encarar a mudança, é preciso acompanhamento, paciência na adaptação e, sobretudo, todos devem estar receptivos para viver essa nova fase.

“A nova escola deve ter sido escolhida com bastante pesquisa e orientação. Não se escolhe apenas pelo seu visual ou valor, mas por tudo o que ela propõe e oferece para a qualidade na formação dos alunos.  Uma vez feita a escolha, tendo a participação deles no processo, é importante deixar para trás o passado e estar aberto a novas experiências e aprendizados, sempre pensando positivo”, diz Valéria Veiga, diretora do Colégio Alicerce.

Segundo ela, a confiança na equipe pedagógica é fundamental na adaptação. “Lembre-se de que a aprendizagem acontece em todos os momentos, inclusive nas dificuldades, e que a vivência e a convivência nos enriquecem em todos os sentidos. Confiar e receber com bons olhos a nova proposta é o caminho”, acrescenta.

No Colégio Alicerce, cada faixa etária é acompanhada cuidadosamente. Para a Educação Infantil, por exemplo, a família participa do início da vida escolar de forma gradativa. O Ensino Fundamental também é bastante acolhedor, e os responsáveis pela criança entram na escola para garantir a segurança delas durante a adaptação.

No Ensino Médio, a coordenação e os professores realizam apresentações e atividades nas primeiras semanas para integrar os novos alunos ao grupo. A socialização acontece de forma rápida e tranquila entre os adolescentes.

“Independente de todas as orientações e os procedimentos iniciais, a observação e a parceria entre Família e Escola se faz necessária durante todo o ano letivo. Isso garantirá a segurança do aluno e o sucesso no ensino e aprendizado”, finaliza a diretora.

 

 

 

 

Tendências: