As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Frustração é aliada no desenvolvimento de crianças e adolescentes

Thais Gonzales

21 Maio 2018 | 21h20

Para muitas famílias, ver o filho frustrado é angustiante. Mas esse sentimento faz parte do desenvolvimento e, acredite, tornará crianças e adolescentes mais forte. Viver pequenas decepções, de acordo com cada fase, é importante.

Segundo a diretora do Colégio Alicerce, Valéria Veiga, os desafios, obstáculos e superações fazem parte da rotina desde cedo e se amplia na fase adulta. “Aprender a lidar e a enfrentar situações diversas são um aprendizado constante, um processo longo e importante , que deve ter início na infância” e os tornará mais fortes, diz.

Amanda Amorim, psicopedagoga da Clínica Espaço Construir, acrescenta que “sem frustração, com o passar do tempo, dificulta sua forma de lidar com a negativa.  Permita que o adolescente se sinta triste, chateado. No entanto, ajudar a superar essa fase com palavras de motivação é um caminho assertivo”.

De acordo com a especialista, a criança que vive a frustração em algum momento tende a lidar melhor com isso na adolescência. Essa experiência precisa ser permitida pelas famílias para o bem de todos. “Porque há um aquecimento para driblar as adversidades e obstáculos no futuro”, acrescenta.

Na escola, os trabalhos em grupos, principalmente, contribuem nesse processo ao estimular que os alunos coloquem suas opiniões, onde apendem a ouvir, a discutir em conjunto, a buscar um consenso. “A escola interage diretamente com os adolescentes nas situações vivenciadas na rotina escolar”, explica Valéria.

Como os pais devem lidar?

 Os pais devem estar conscientes de seu papel e da importância do diálogo e da reflexão sobre as situações vivenciadas. Isso é necessário para o aprendizado e o amadurecimento, como também para que a conquista de algo desejado faça bem.

Na vida, nem tudo acontece como e quando queremos e precisamos mostrar como lidar com vitórias e derrotas, sucesso e fracasso. A frustração, assim, faz parte.

Na prática

Quando a criança “deseja” um brinquedo, e a família não pode comprar naquele momento, ela deve compreender e aceitar, esperar o momento certo. Se o adolescente não consegue a viagem ou aquele eletrônico tão sonhado? Sempre há a necessidade do diálogo, da orientação, saber que há limites e tempo para tudo.

“Com a convivência, amadurecimento  e orientações corretas, o jovem saberá lidar com muito mais segurança e autoconfiança com as frustrações da vida adulta”, finaliza a diretora.