Experiências no maternal: afunda ou flutua
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Experiências no maternal: afunda ou flutua

Thais Gonzales

21 de outubro de 2019 | 13h55

Há muitos anos, o Colégio Alicerce promove o desenvolvimento dos alunos  em todas as suas dimensões: intelectual, física, social, emocional e cultural. Algo que só é possível indo além da teoria e investindo em atividades práticas e lúdicas. Aqui, o estímulo ao protagonismo e à autonomia é constante.

Isso tem início desde os primeiros anos na escola, quando a criança começa a explorar o mundo ao seu redor e a construir sua identidade. Segundo a coordenadora Cristiane Fernandes, os processos investigativos, tão valorizados nas competências da Base Nacional Comum Curricular (BNCC), do Ministério da Educação, estão cada vez mais presentes na vida dos alunos.

Eles participam ativamente na busca pelo conhecimento, descobrem novas habilidades, levantam hipóteses e aprendem a gostar de estudar. A turma do maternal, por exemplo, vivenciou uma experiência de “afunda ou flutua” recentemente.

Alguns objetos foram colocados na água e as crianças observaram quais afundavam e flutuavam. Alguns mantêm o equilíbrio dentro da água, contataram. Esse é o começo dos conceitos de densidade, que aparecerão em séries futuras. Por enquanto, a ideia foi trabalhar a investigação e levantar suposições.

“Vivemos dias de constantes transformações e as crianças são muito curiosas. Atividades como essa despertam o interesse pela exploração e por conhecer cada vez mais. Valorizamos a aprendizagem divertida, que traz sentido para a vida do aluno”, ressalta a professora Gabriella.

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: