Colégio Agostiniano São José realiza a primeira Palestra Escola de Pais
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Colégio Agostiniano São José realiza a primeira Palestra Escola de Pais

Vanessa Rabello

01 Novembro 2018 | 07h19

No último dia 24 de outubro aconteceu a primeira Palestra Escola de Pais, com o tema “Adolescer em família, os primeiros desafios”. Pais de alunos a partir do oitavo ano do Ensino Fundamental até a terceira série do Ensino Médio foram convidados para participar deste bate-papo que visa facilitar a convivência e o diálogo entre pais e adolescentes.

Roger Yamaguishi, psicólogo responsável pelo Projeto Adolescer, falou sobre a função dos pais perante os adolescentes. “Não é permitir tudo, a liberdade não é deixar fazer o que tiver vontade, é impor limites, orientar o vôo deles”.

Não há um manual que explique como criar os adolescentes, mas é possível ajuda-los a voar mais alto com determinadas atitudes. Roger destacou que os pais ainda são os espelhos para os filhos, são exemplos de como lidar com a realidade e com as frustrações.

 

 

“Os filhos ainda esperam o aval dos pais. A adolescência é um período de muita insegurança, porque o adolescente não sabe se de fato é amado. Quando criança é uma gracinha, ganha todo o amor e o afeto. Ao longo dos anos, a forma de ser tratado muda e o adolescente fica inseguro com relação a este sentimento”, afirmou o psicólogo.

Para os pais, ainda é preciso aprender a lidar com a “perda” da criança que havia em casa, que era carinhoso, atento, sorridente e alegre e agora é preciso saber conviver com um filho às vezes arredio ou emburrado. “Muitos pais idealizam como será o filho quando adolescente. São os lutos que os pais precisam lidar”, salientou.

Roger ainda complementou que, quanto mais apegado ao conceito de filho ideal, mais injusto os responsáveis poderão ser. Isso não significa que é preciso aceitar a forma que o adolescente é, mas que, se agir de maneira errada, é preciso corrigir e não ser injusto. “Seja justo, duro, corrija os erros. No momento que você compara com o ideal que você tem que seu filho fosse, você age de forma injusta.”

É importante destacar que, quando um erro precisa ser corrigido, é imprescindível deixar claro ao filho que apenas o comportamento foi ruim “achar que o seu filho é ruim por causa de uma atitude, você está pulando etapas, está faltando paciência, às vezes é necessário deixar a tempestade passar e conversar com o jovem, de modo que ele mesmo interprete que ele não é ruim como o comportamento”, explicou o psicólogo.

Roger ainda aconselhou aos pais a não responder fogo com fogo, hostilidade com hostilidade, e alerta que os responsáveis são os adultos da relação e que precisam ponderar antes de agir.

Outro ponto falado na palestra e que vale ser ressaltado é que a relação entre pais e filhos precisa ser transparente, se o jovem encontra alguém para ouvi-lo, à medida em que ele narra a sua experiência, ele consegue dar uma significação ao acontecimento.

Para finalizar, o psicólogo aconselha: “esteja disponível, abra espaço para o diálogo, a adolescência é só uma fase, mas é uma fase que constitui muito o adulto do futuro.”

A próxima palestra acontecerá no dia 24 de novembro, às 10:30 da manhã e o tema será “Adolescência e as redes sociais”.