Suécia, a terra da igualdade

Suécia, a terra da igualdade

Andrea Tissenbaum

26 Setembro 2017 | 18h23

Estocolmo | Foto: Mariamichelle, via Pixabay | CCO License

Estocolmo | Foto: Mariamichelle, via Pixabay | CCO License

Imagine estudar em um país que estimula você a pensar de uma forma independente e criativa. Esta é a Suécia, lugar onde suas opiniões e ideias serão muito bem vindas!

Com uma população jovem e multicultural, a Suécia tem aproximadamente 10 milhões de habitantes, dentre os quais 2 milhões tem menos de 18 anos e 23% origem estrangeira. Localizada ao norte da Europa, é um dos países chamados de nórdicos ou escandinavos, formados também pela Dinamarca, Finlândia, Islândia e Noruega.

A Suécia é dividida em três regiões principais: Gotalândia (sul), Svealand (central) e Norlândia (norte). Estocolmo, a capital, é a maior cidade do país. Mas outros importantes centros como Gotemburgo, Malmo, Uppsala e Lund, compõe o cenário urbano.

O país tem as quatro estações do ano bem definidas, embora as intensidades climáticas variam conforme a região. E o longo e frio inverno que pode assustar uma alma tropical, tem como compensação a maravilhosa Aurora Boreal, que pode acontecer entre setembro e março nas cidades mais ao norte do país, como Kiruna e Abisko.

Aurora Boreal em Abisko | Foto: Isen Majennt, via Flickr

Aurora Boreal em Abisko | Foto: Isen Majennt, via Flickr

Fãs de atividades ao ar livre, que acontecem durante o ano inteiro, não importa a temperatura, os suecos dispõe de um vasto território coberto por florestas e áreas rurais. No país há uma lei de direito de acesso público (Allemansrätten) que permite livre trânsito a todas as zonas rurais, mesmo quando em terras privadas. Qualquer cidadão pode caminhar, escalar montanhas, acampar, colher plantas e frutas, não importa o lugar. No entanto, todos também têm a responsabilidade de tratar a flora, fauna e propriedades alheias com respeito.

Reserva natural de Kullaberg | Foto: Familjen Helsinborg, via Flickr

Reserva natural de Kullaberg | Foto: Familjen Helsinborg, via Flickr

Lagom, uma palavra sem tradução oficial, representa muito bem o estilo de vida na Suécia, onde as pessoas convivem harmonicamente. Lago, quer dizer “adequado”, “moderado”, “suficiente” – alguns dos qualificativos usados em referência ao comportamento social no país.

A Suécia está ranqueada como terceiro melhor país do mundo em qualidade do ar, água, saneamento, biodiversidade e mudanças climáticas no Índice de Desenvolvimento Ambiental (EPI). É o quarto país na Europa que mais respeita os direitos dos homossexuais, segundo a International Lesbian, Gay, Bisexual, Trans e Intersex Association (ILGA-Europe).

Considerada um modelo em igualdade de gênero, a Suécia acredita que mulheres e homens devem ter o mesmo poder para moldar a sociedade e suas próprias vidas. Desde 1990 a discriminação de gênero é ilegal nos locais de trabalho. Em 1974, estabeleceu que mulheres e homens têm direito a 480 dias de licença parental remunerada para cuidar de seus filhos recém-nascidos. Certamente um dos lugares mais liberais e igualitários do mundo para se viver.

Estação de trem em Estocolmo | Foto: Arild, via Flickr

Estação de trem em Estocolmo | Foto: Arild, via Flickr

Mas a palavra que melhor define a Suécia é certamente inovação. Os suecos inventaram o sistema de monitoração de curto alcance (AIS), o marca-passo cardíaco, o sistema de embalagem Tetra Pak, o zíper e o bluetooth dentre muitas coisas. E no mundo digital, criaram serviços e programas extremamente populares como o Spotify, Skype e os games Candy Crush e Minecraft.

O sueco é a língua oficial do país, embora a grande maioria dos habitantes fale inglês fluentemente. De fato, a Suécia é o segundo país não anglófono que mais fala inglês no mundo. Mas apesar de ser possível viver e estudar no país sem aprender a se comunicar em sueco, a experiência é mais completa e cheia de oportunidades para os que se empenham em aprender o idioma local. Vale a pena se inscrever em um dos cursos Swedish for immigrants (em português, sueco para imigrantes), oferecidos em diversos lugares como educação continuada para adultos (kommunal vuxenutbildning).

Karolinska Institute, Suécia | Foto: Ainali, via Wikimedia Commons

Karolinska Institute, Suécia | Foto: Ainali, via Wikimedia Commons

As principais universidades da Suécia são o Karolinska Institute e a Lund University, ambas entre as 100 melhores do mundo, segundo o ranking do Times Higher Education. A universidade politécnica KTH – Royal Institute of Technology é uma das melhores da Europa. Uppsala University é a mais antiga da Suécia e dos países nórdicos. A Chalmers University of Technology está entre as top 100 para quem quer estudar engenharia e temas relacionados à tecnologia. Stockholm University, ranqueada entre as 100 melhores do mundo em seus cursos de artes e humanidades, tem 70 mil alunos e oferece diversos programas em inglês. Outras prestigiadas instituições de ensino são a Stockholm School of Economics, University of Gothenburg Linköping University e Umeå University. E para os criativos, a Hyper Island, uma inovadora escola com excelentes cursos de mestrado e extensão, tem sua sede em Estocolmo.

Lund University, Suécia | Foto: Magnus Ba?ck, via Wikimedia Commons

Lund University, Suécia | Foto: Magnus Ba?ck, via Wikimedia Commons

A maioria das universidades oferece serviços para ajudar os estudantes internacionais a encontrarem moradia. O valor e as opções, como sempre, dependem muito da cidade e do bairro. Uma coroa sueca ou SEK, moeda oficial, equivale a aproximadamente 0,38 reais. Mas o custo de vida no país é alto, especialmente em Estocolmo. Normalmente, as principais opções para estrangeiros são dormitórios ou flats universitários.

KTH - Royal Institute of Technology | Foto: Jonas Bergsten, via Wikimedia Commons

KTH – Royal Institute of Technology | Foto: Jonas Bergsten, via Wikimedia Commons

A Suécia tem um sistema centralizado de inscrições e admissões universitárias, o University Admissions. Para quem quer se candidatar, o primeiro passo é encontrar o curso de interesse em uma das universidades e verificar os requisitos de admissão. Saiba mais sobre os documentos que precisará providenciar aqui.

Se você for admitido em um curso de mais de três meses de duração, precisará de uma permissão de residência para estudantes. Conheça todos os requisitos sobre a documentação necessária para esse processo nos sites da embaixada da Suécia ou do Hotcourses Brasil. A Suécia tem uma embaixada em Brasília e consulados em Belo Horizonte, Fortaleza, Manaus, Recife, Rio de Janeiro, Salvador e São Paulo.

Umea? University | Foto: Mikael Lindmark, via Wikimedia Commons

Umea? University | Foto: Mikael Lindmark, via Wikimedia Commons

O Swedish Institute (Instituto Sueco), agência governamental, oferece bolsas de estudo todos os anos para estudantes e pesquisadores internacionais. Você também pode pesquisar por bolsas oferecidas diretamente pelas universidades suecas. Confira a lista de instituições com oportunidades disponíveis no site Study in Sweden!

Andrea Tissenbaum, a Tissen, escreve sobre estudar fora e a experiência internacional. Também oferece assessoria em educação e carreiras internacionais. 
Entre em contato: tissen@uol.com.br

Siga o Blog da Tissen no FacebookTwitter e Instagram.