Reino Unido lança novo modelo de visto para estudantes

Reino Unido lança novo modelo de visto para estudantes

Andrea Tissenbaum

17 de novembro de 2020 | 10h19

Biblioteca da LSE | Foto: Andrea Tissenbaum

Biblioteca da LSE | Foto: Andrea Tissenbaum

Nova Rota Estudantil permite que alunos internacionais permaneçam no Reino Unido por tempo estendido após a conclusão de seus programas.

O governo do Reino Unido acaba de lançar um novo modelo de visto para estudantes internacionais. A nova Rota Estudantil é uma evolução do sistema Tier 4 e está disponível para alunos e alunas que terminem seus estudos a partir do verão de 2021.

Estudantes que tiverem iniciado seus cursos à distância ou em modalidade mista por conta da pandemia de Covid-19 podem solicitar o visto desde que estejam no Reino Unido em 6 de abril de 2021 e cumpram os outros pré-requisitos.

A Rota, aprovada no Parlamento Britânico em 10 de setembro, não diferenciará cidadãos da União Europeia e de outros países. Essa decisão busca atrair pessoas de todo o mundo que possam contribuir com a economia britânica, inclusive  brasileiros que decidem estudar no Reino Unido.

Quem solicitar o visto através da nova modalidade deverá demonstrar que cumpre todos os pré-requisitos necessários, atingindo a pontuação mínima de 70 pontos exigida pelo novo sistema:
– Ter uma oferta de vaga em uma instituição de ensino aprovada (50 pontos)
– Apresentar proficiência em inglês (10 pontos)
– Ser capaz de manter-se financeiramente no país durante seus estudos (10 pontos)

Com a nova regra, a solicitação do visto por estudantes no exterior poderá ser feita em até seis meses antes do início do curso. Além disso, o limite de tempo de estudos para alunos de pós-graduação será removido, mas “é esperado que os alunos estejam progredindo em seus estudos acadêmicos quando solicitarem uma extensão do visto”, afirma o documento explicativo publicado pelo Governo Britânico. A mudança já está em vigor.

Uma importante novidade incluída com as novas medidas é a ampliação do período de tempo que os estudantes internacionais podem permanecer no Reino Unido após a conclusão de seus estudos. Para graduação, o período passa a ser de dois anos e para doutorado, três anos. Anteriormente, o período era de quatro meses para cursos de graduação com duração mínima de 12 meses. Saiba mais AQUI.

A nova regra não será aplicada aos estudantes do programa de bolsas Chevening, cujo objetivo específico é apoiar futuros líderes que possam promover mudança positiva em seus países de origem. Por isso, para cumprir o propósito do programa é fundamental que os bolsistas retornem aos seus países de origem após a conclusão dos estudos por até dois anos.

De acordo com o  UCAS, Serviço de Admissão de Universidades e Faculdades, as universidades do Reino Unido tiveram um aumento de 9% no número de alunos de graduação internacionais iniciando seus estudos este ano. O total de alunos matriculados atinge um novo recorde de 44.300, comprovando que o Reino Unido continua sendo um excelente destino para quem quer estudar no exterior.

Andrea Tissenbaum, a Tissen, escreve sobre estudar fora e a experiência internacional. Também oferece assessoria em educação e carreiras internacionais.
Entre em contato: tissen@uol.com.br

Siga o Blog da Tissen no FacebookTwitter e Instagram.

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: