Ranking internacional aponta universidades mais alinhadas com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU  

Ranking internacional aponta universidades mais alinhadas com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU  

Andrea Tissenbaum

29 de abril de 2020 | 12h59

Auckland, Nova Zelândia | Crédito: divulgação

Auckland, Nova Zelândia | Crédito: divulgação

Elaborado pelo Times Higher Education, 766 universidades de 85 países foram avaliadas em relação a seu impacto social e econômico na sociedade.

O Times Higher Education (THE), um dos principais institutos internacionais de pesquisa sobre qualidade das universidades, acaba de divulgar  o THE Impact Rankings 2020, estudo que mede o impacto social e econômico do trabalho desenvolvido pelas instituições de ensino superior na sociedade. De acordo com a pesquisa, a Universidade de Auckland, da Nova Zelândia, lidera o ranking mundial, que avaliou as universidades de acordo com os 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Organização das Nações Unidas (ONU). A Universidade de Sidney, na Austrália, ficou em segundo lugar. O estudo completo pode ser acessado aqui.

No que diz respeito à representação geral no ranking principal, o Japão lidera a lista com 63 instituições, seguido pela Rússia, com 47, e Turquia, com 37. Além das universidades de Auckland (1º) e Sidney (2º), o topo do ranking é formado por Western Sydney University/Austrália (3º); La Trobe University/Austrália (4º); Arizona State University/Estados Unidos (5º); Universidade de Bolonha/Itália (6º); Universidade British Columbia/Canadá (7º); Universidade de Manchester/Reino Unido (8º); King’s College London/Reino Unido (9º) e RMIT University/Austrália (10º).

Crédito: Divulgação

Crédito: Divulgação

Tendo como base os ODS, também conhecidos como Objetivos Globais, o estudo atribuiu notas para o modo como o trabalho de ensino e pesquisa das universidades atende a cada uma das recomendações da ONU. A Universidade de Auckland, localizada na maior cidade neozelandesa, apresentou os melhores resultados mundiais nos critérios de saúde e bem-estar, vida terrestre e vida na água – isto significa que os cursos e pesquisas da instituição têm apresentado resultados que promovem melhorias efetivas nas condições de vida descritas em cada critério da ONU.

De acordo com o Times Higher Education, o objetivo do ranking, que está na segunda edição, é documentar o impacto das universidades na sociedade, expandindo os critérios dos rankings tradicionais, focados em estrutura de ensino, qualificação do corpo docente, acesso a laboratórios e outros aspectos do funcionamento das instituições. Esses novos dados são muito valiosos para quem está planejando estudar no exterior: demonstram a diferença que as instituições de ensino estão fazendo a cada dia no mundo em que vivemos. 

 Andrea Tissenbaum, a Tissen, escreve sobre estudar fora e a experiência internacional. Também oferece assessoria em educação e carreiras internacionais
Entre em contato: tissen@uol.com.br

Siga o Blog da Tissen no FacebookTwitter e Instagram.

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: