Estudar fora: quando bate a saudade…

Estudar fora: quando bate a saudade…

Andrea Tissenbaum

23 Março 2015 | 09h57

Foto: Andrea Tissenbaum

Foto: Andrea Tissenbaum

O que é saudade? É um sentimento difícil de colocar em palavras, envolve tanta coisa. Saudade é lembrança, é recordação, é falta. Pode vir acompanhada de tristeza, mas não precisa. Sentir saudade nem sempre é ruim.

Quando podemos sentir saudade de alguém ou de alguma coisa, é porque temos a boa fortuna de querermos bem e de sermos queridos.  Para mim, saudade é a lembrança da felicidade e do conforto que sentimos com pessoas queridas, lugares que amamos, dos aromas, do que conhecemos. É por tudo isso que eu vejo a saudade como um sentimento muito positivo.

Para algumas pessoas, a experiência de estudar fora marca o primeiro momento em que elas se afastam da família, dos amigos, da cidade de origem. E, é claro,  ficam receosas das saudades que vão sentir de tudo aquilo que as cerca. Antecipam mesmo esse vazio, já pensando se vão dar conta de ficar sozinhas em um lugar distante e desconhecido.

Mas, afastar-se temporariamente da família e dos amigos é bom. É um aprendizado, um momento de independência no qual ficamos por conta própria para tomar decisões e fazer escolhas.

Hoje em dia existem muitos recursos que estreitam a distância e nos permitem falar com as pessoas, sempre que a vontade vem. Mas essa facilidade pode não ser tão positiva já que pode atrapalhar o “desligamento” tão necessário quando se está estudando fora. Afinal, não dá para estar em dois lugares ao mesmo tempo.

Se ficamos na saudade, perdemos a oportunidade de aproveitar o momento “estudar fora”, conhecer pessoas, mergulhar na experiência de uma nova cultura. Se nos mantemos permanentemente em contato com a família e os amigos fica complicado ir fundo nessa aventura.

A independência é muito valiosa na vida. Saber se virar sozinho e tomar decisões também. É fato que nem sempre podemos compartilhar certas escolhas, daí a importância de aprender a pensar por conta própria. Nos tornamos mais capacitados, criativos e flexíveis.

A saudade congela o tempo e a lembrança dos melhores momentos. Essa mesma saudade que sentimos enquanto estamos fora toma conta de nós quando voltamos, sentimos saudades do que foi vivido.

Portanto, não tenha medo da saudade. Você vai sobreviver! Viaje lembrando que vai voltar e que tudo estará esperando por você. Viva intensamente o seu tempo de estudar fora, o dia-a-dia do lugar onde vai ficar. Abra a sua alma para o novo,  permita que as pessoas se aproximem. Observe, aprenda, ensine, troque, cresça.  Quando a saudade bater, você saberá o que fazer.

Andrea Tissenbaum, a Tissen, escreve sobre estudar fora e a experiência internacional. Siga o Blog da Tissen no Facebook e no Twitter

Foto: arquivo pessoal da autora. Não pode ser reproduzida sem autorização prévia.

OBS: Esta foi a minha coluna de 09.03.2015 no site Estudar Fora.