Parceria franco-alemã oferece bolsa de pesquisa curatorial em artes visuais

Parceria franco-alemã oferece bolsa de pesquisa curatorial em artes visuais

Andrea Tissenbaum

16 de julho de 2021 | 11h12

Foto: Thyla Jane, via Unsplash

Foto: Thyla Jane, via Unsplash

As inscrições estão abertas até 30 de julho. Edital é voltado a curadores e coletivos de curadores de artes visuais com até 10 anos de carreira profissional.

O Goethe-Institut e o Serviço Cultural do Consulado Geral da França no Rio de Janeiro estão com as inscrições abertas até o dia 30 de julho para a convocatória da terceira edição da bolsa de pesquisa curatorial Brasil-Alemanha-França 2021.

Aberto a participantes de todas as regiões do Brasil, o edital é voltado para curadores, curadoras e coletivos de curadores de artes visuais com até 10 anos de carreira profissional. A bolsa oferece uma premiação no valor de 30 mil reais para a realização da fase de pesquisa e mais 30 mil reais para a execução do projeto.

Com o objetivo de estimular parcerias entre agentes da cultura no Brasil, na França e na Alemanha e fomentar a troca cultural entre agentes e instituições de arte, a iniciativa espera contribuir para a formação de curadores e inspirar projetos que reflitam sobre os benefícios da coletividade e da colaboração transcultural.

Os projetos devem incluir colaborações no Brasil, na França e na Alemanha, mas não exclusivamente, podendo incluir parcerias de outros países. Por conta das restrições impostas pela pandemia da COVID-19, nesta edição, a fase de pesquisa será realizada online, sem viagens internacionais. O período de pesquisa deve ser entre 1 de setembro e 30 de novembro de 2021.

“A pesquisa me proporcionou experiências que eu não teria tido de outra forma. Tive contato com instituições da Alemanha e da França e foi tudo muito instigante. Meu conselho para quem for se inscrever agora é pensar em um recorte claro para o que deseja e que, no entanto, seu projeto seja elástico o suficiente para agregar lapsos, acasos e descobertas no decorrer do processo”, conta Natália Quinderé, bolsista da primeira edição.

“Pretendemos mostrar, com esse programa, que existe um importante diálogo entre as expressões artísticas desses três países. Essa bolsa surge com esse propósito: o de aproximar esses hemisférios e fazer uma reflexão sobre os vínculos históricos”, diz Sérgio Allisson, Coordenador da Programação Cultural do Goethe-Institut Rio de Janeiro.

> O dossiê de candidatura deve ser apresentado em arquivo único (PDF), contendo:

  • Carta de Intenção (apresentação da proposta curatorial e das motivações para a realização da pesquisa – 1 página)
  • Resumo Curricular (descrição da experiência profissional – 1 página)
  • Projeto de pesquisa curatorial (incluindo apresentação, justificativa, metodologia e cronograma, detalhando as etapas e dinâmicas do processo de pesquisa – até 3 páginas)
  • Proposta de atividade final (descrição preliminar do evento público a ser realizado após a fase de pesquisa – até 2 páginas)

> Requisitos:

  • Projeto de pesquisa curatorial autoral, inédito e exequível
  • Morar no Brasil e ter maioridade civil, com idade mínima de 18 anos completos
  • Conhecimento suficiente de alemão e/ou francês ou, como opção, da língua inglesa
  • Ter experiência em pesquisa curatorial comprovada

> Critérios de avaliação:

  • Clareza na apresentação do projeto
  • Pertinência, consistência e relevância do projeto de pesquisa curatorial
  • Inovação como prática curatorial
  • Coerência entre o projeto de pesquisa, a proposta de projeto final, o tema descrito neste edital, e a prática curatorial de quem se candidata
  • Viabilidade da realização da pesquisa e da atividade final proposta por quem se candidata

Para mais informações, acesse o site do Instituto Goethe e o site do Consulado Geral da França no Rio de Janeiro .

Para saber mais sobre os editais na área cultural da França e Alemanha acesse este link.

Sobre a parceria franco-alemã no Rio de Janeiro
Há dois anos a assinatura do Tratado de Aix-La-Chapelle, firmado entre o presidente francês Emmanuel Macron e a chanceler alemã Angela Merkel, reforçou a amizade e a cooperação entre França e Alemanha, selada no Tratado de Eliseo, em 1963. Desde então, o Serviço de Cooperação e Ação Cultural do consulado francês do Rio de Janeiro e o Goethe-Institut Rio de Janeiro já desenvolveram vários projetos conjuntamente, como duas edições de uma convocatória para uma bolsa de pesquisa curatorial na área de artes visuais, uma residência artística sonora com artistas alemães, franceses e brasileiros em parceira com o festival Novas Frequências, e dois colóquios com convidados alemães, franceses e brasileiros organizados pelas bibliotecas dos dois institutos.

Andrea Tissenbaum, a Tissen, escreve sobre estudar fora e a experiência internacional. Também oferece assessoria em educação e carreiras internacionais.
Entre em contato: tissen@uol.com.br

Siga o Blog da Tissen no FacebookTwitter e Instagram.

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.