Não pode fazer intercâmbio? Seja um cidadão do mundo sem sair do Brasil!

Não pode fazer intercâmbio? Seja um cidadão do mundo sem sair do Brasil!

Andrea Tissenbaum

07 de dezembro de 2014 | 00h52

Estudar Fora | Foto: PxHere, CCO License

Estudar Fora | Foto: PxHere, CCO License

Em tempos de alta mobilidade, aproveitar a vinda de estudantes internacionais para viver a experiência de um intercâmbio, aqui mesmo, no Brasil, pode se tornar um diferencial em sua vida. Saiba como! 

Então você nunca saiu do Brasil. Nunca viajou, nem estudou fora. Essa experiência não fez parte da sua vida. Por falta de recursos, falta de interesse, porque não tem vontade de ficar longe por um tempo mais prolongado. Ou, porque você tem razões outras que são suas e portanto inquestionáveis.

Mas você gosta daquilo que é do mundo. Sabe ou compreende razoavelmente bem idiomas, gosta de tudo que é novo e diferente, tem facilidade de se adaptar e é uma pessoa curiosa.

Diante dessa aparente “incoerência”, você se pergunta: Como é possível ser um cidadão do mundo, ter um espírito cosmopolita sem nunca ter deixado o meu país? Como é possível me internacionalizar sem sair de casa?

Pois é, vivemos hoje em um mundo globalizado. E não são só a internet e as redes sociais que podem levar você a qualquer lugar do planeta em segundos. O mundo também está na faculdade (alunos estrangeiros), no trabalho (relacionamento com profissionais de outros países) e em organizações que oferecem oportunidades para ampliarmos nosso círculo e até para sairmos de nossa zona de conforto (ex: AIESEC, escritórios de órgãos internacionais de ensino e desenvolvimento etc).

Em termos práticos, inúmeras ações podem levar você a ter uma relação mais estreita com um processo pessoal de internacionalização sem sair do seu país de origem. Veja:

– Recepcionar estudantes estrangeiros que chegam em sua escola (e ajuda-los com assuntos práticos e sociais);
– Hospedar um intercambista (a AIESEC oferece esse programa – http://www.aiesec.org.br/estudantes/hospede-um-intercambista/);
– Trabalhar ou ser voluntário em um escritório e ou órgão internacional (DAAD, Campus France, ONU, UNESCO, UNICEF, USAID etc.);
– Criar um International Student Office em sua faculdade;
– Dedicar-se a internacionalizar o seu trabalho e/ou seus estudos e produção acadêmica optando por temas internacionais e por se relacionar mais com estrangeiros de diferentes partes do mundo;
– Conhecer melhor a sua cidade e as múltiplas culturas que nela coabitam.

Então, se você gosta de conviver com diferentes culturas e formas de pensar, explore melhor seu espaço cotidiano. Não é difícil aproveitar as oportunidades internacionais que cercam você e viver a experiência de um intercâmbio em sua própria cidade, se misturando e transformando sua vida em um verdadeiro caldeirão cultural.

O mundo é grande. Mas o que faz o mundo ser tão cheio de surpresas a serem exploradas é a forma como a gente vive. Atreva-se!

Fonte: Minha coluna deste mês no site Estudar Fora

Andrea Tissenbaum, a Tissen, escreve sobre estudar fora e a experiência internacional. Também oferece assessoria em educação e carreiras internacionais.
Entre em contato: tissen@uol.com.br

Siga o Blog da Tissen no InstagramFacebook Twitter.

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: