Mentoria internacional dá bolsas e ajuda brasileiros a estudarem no exterior

Mentoria internacional dá bolsas e ajuda brasileiros a estudarem no exterior

Andrea Tissenbaum

28 de dezembro de 2021 | 10h05

Guilherme Silva, bolsista Crimson em Stanford | Foto: Crimson Education

Guilherme Silva, bolsista Crimson em Stanford | Foto: Crimson Education

Crimson Education vai apoiar dois alunos em seus processos de candidatura a universidades estrangeiras  e à bolsas de estudo. As inscrições vão até 30/01. 

A Crimson Education está com as inscrições abertas para a Bolsa Crimson Brasil. A iniciativa, em sua quinta edição, vai oferecer assessoria a dois estudantes durante seus processos de candidatura para universidades no exterior.  A consultoria é especializada em ajudar os alunos no processo de application (candidatura) em instituições dos Estados Unidos, Reino Unido e Canadá. Em 2020-2021, 40% dos assessorados brasileiros foram aprovados em um dos 20 melhores campi dos EUA e obtiveram mais de R$ 130 mil em bolsas de estudo. Falo de universidades como Stanford, Duke e Pennsylvania. A inscrição é gratuita e pode ser feita até 30 de janeiro de 2022.

“As universidades americanas são as mais procuradas por ocuparem as principais posições em rankings acadêmicos e oferecerem as melhores ofertas de subsídio. Elas gostam do perfil do brasileiro – engajado, criativo e empreendedor – mas o processo seletivo é altamente competitivo. Por isso, quanto mais suporte especializado, maiores são as chances de admissão”, diz Rafael Bento, gerente de marketing da Crimson.

O apoio da Crimson começa em fevereiro e vai até agosto de 2023, com a esperada matrícula e início das aulas. Ao longo desse período, os dois estudantes escolhidos serão preparados para as provas, entrevistas e testes padronizados como SAT, ACT e TOEFL, com tutoria particular e orientação para solicitar bolsa por mérito e auxílio financeiro nas faculdades desejadas.

O que é preciso para concorrer à Bolsa Crimson (e observe que essas são também as características requisitadas pelas instituições internacionais):

– Ter concluído o ensino médio ou técnico em 2021
– Iniciar o último ano de ensino em 2021
– Ter nível avançado ou fluente de inglês
– Excelentes notas e desempenho acadêmico
– Demonstrar liderança e ser engajado em atividades extracurriculares – como voluntariado, competições esportivas e científicas – e ter vontade de mudar o mundo

Em busca de diversidade e igualdade, uma das vagas da Bolsa Crimson é reservada para pessoas pretas, pardas e indígenas.

O preenchimento da ficha de inscrição para a Bolsa Crimson é a primeira etapa do processo, que também envolve a elaboração de uma redação e entrevista com os pré-selecionados. O resultado será divulgado em 11 de fevereiro.

Sobre a Crimson Education
Fundada em 2013, a consultoria educacional e internacional oferece suporte especializado na preparação de alunos para que sejam aceitos nas mais renomadas universidades dos EUA, Reino Unido e Canadá. Anualmente, centenas de alunos da Crimson Education conquistam aprovações em universidades Ivy League (como Harvard e Yale) e em outras instituições renomadas como Stanford, MIT, UCLA, Johns Hopkins University, NYU, UC Berkeley, Oxford, Cambridge, University of Toronto, e UBC.

Andrea Tissenbaum, a Tissen, escreve sobre estudar fora e a experiência internacional. Também oferece assessoria em educação e carreiras internacionais.
Entre em contato: tissenglobal@gmail.com

Siga o Blog da Tissen no InstagramFacebook e Twitter.

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.