Estudar na Província do Quebec, no Canadá

Estudar na Província do Quebec, no Canadá

Andrea Tissenbaum

04 Novembro 2016 | 09h50

Entrada principal, McGill University, Montreal | Foto: Neil Howard via Flickr

Entrada principal, McGill University, Montreal | Foto: Neil Howard via Flickr

Nas cidades de Quebec e Montreal as oportunidades para quem quer estudar fora são excepcionais. Confira!

O lado francês do Canadá está na província do Quebec, a maior entre as dez do país. Majoritariamente francófona, é a província canadense cuja população é a mais bilíngue – grande parte das pessoas também é fluente no inglês.

Colonizada por franceses, a região é bastante diferente do resto do país e preserva um ar europeu. A maior cidade do Quebec é Montreal e a capital da província é a cidade ou ville de Quebec, a mais antiga do Canadá.

Essa parte do país é de tirar o fôlego de tão bonita. Com as quatro estações bem demarcadas, oferece as mais variadas opções para o estudante que quer viajar e conhecer um pouco além da cidade onde pretende se instalar.

Panorama da cidade de Quebec | Foto: Datch78 via Wikimedia Commons

Panorama da ville de Quebec | Foto: Datch78 via Wikimedia Commons

Situada nas margens do rio St. Lawrence, a charmosa ville de Quebec mantém até hoje as muralhas que cercavam sua parte mais antiga, construídas no século 17. O distrito histórico, Old Town, patrimônio da UNESCO, é um museu a céu aberto. Separadas por uma colina e conectadas por um funicular, as cidades alta e baixa estão repletas de ruas de paralelepípedos e construções antigas. Capelas históricas, pontes de pedra, o fabuloso hotel Châteu Frontenac, a Basílica Notre-Dame de Quebec e o Convento Ursulino colorem a paisagem. E a Citadelle, uma das maiores fortificações militares da América do Norte ainda em uso abriga o 22o Royal Régiment e é a residência oficial do governador geral do Canadá. Um local histórico nacional que merece ser visitado.

Troca da Guarda na Citadelle. Ao fundo o Chatêau Frontenac | Foto: Alessandro Grussu, via Flickr

Troca da Guarda na Citadelle. Ao fundo o Chatêau Frontenac | Foto: Alessandro Grussu, via Flickr

Do lado de fora dos muros, bairros repletos de coisas para fazer e uma vida cultural intensa nos trazem de volta aos tempos atuais. Famosa por seu Carnaval de Inverno, Quebec, por 17 dias, diverte seus cidadãos e visitantes com desfiles noturnos, rafting, esculturas de neve, passeios de trenó, patinação e concertos ao ar livre.

Carnaval de inverno de Quebec | Foto: Matias Garabedian via Flickr

Carnaval de inverno de Quebec | Foto: Matias Garabedian via Flickr

Além disso, belíssimos parques como o Champs-de-Bataille, o Parc linéaire de la Rivière-Saint-Charles com sua trilha de 32 quilômetros e o Parc de la Chute-Montmercy com uma cachoeira de 83 metros de altura garantem lazer ao ar livre, todos os meses do ano.

Parc des Champs-de-Bataille | Foto: Guillaume Cattiaux via Flickr

Parc des Champs-de-Bataille | Foto: Guillaume Cattiaux via Flickr

Como a cidade é pequena, andar a pé é a melhor pedida. Mas o transporte público é excelente. O Écolubus, ônibus elétrico, é barato e roda por todo o Old Town. O Réseau de Transport de la Capitale, mais conhecido como RTC, serve a cidade e regiões ao redor com linhas de ônibus e pacotes especiais para estudantes. Para quem gosta de andar de trem vale a pena explorar as rotas para Montreal e Ottawa. E, para quem quer ir mais longe, o Jean Lesage Internacional Airport oferece voos regulares para vários destinos.

A cidade está repleta de estudantes estrangeiros. Programas das universidades facilitam a adaptação ao novo ambiente e cultura. E oferecem possibilidades de moradia e integração com seus alunos, por meio de informações em seus sites e localmente em seus International Offices.

Pátio interno, Pavillon Alexandre-Vachon, Université Laval | Foto: Cephas via Wikimedia Commons

Pátio interno, Pavillon Alexandre-Vachon, Université Laval | Foto: Cephas via Wikimedia Commons

A Université Laval e a Université du Québec se destacam pela qualidade de seu ensino. Mas as CÉGEPs, instituições públicas com formações técnicas e pré-universitárias com duração de um a três anos, também são uma excelente opção para quem quer estudar fora.

Lembre-se que embora as universidades ofereçam alguns cursos em inglês, a maioria é em francês. A proficiência no idioma costuma ser comprovada pelos testes TEF (Test d’évaluation de Français) ou DELF (Diplôme d’études em langue française). Se o seu curso no Quebec for ministrado em inglês, você poderá comprovar proficiência com um resultado no IELTS, TOEFL ou CELPIP (existente apenas no Canadá).

Outro polo universitário na província do Quebec é Montreal. Nela encontram-se as conceituadas Université de Montreal, McGill University, Université du Québec à Montréal, Concordia University, HEC Montréal e a École Polytechnique de Montréal e College LaSalle , entre outras CÉGEPs.

Concordia University | Por Concordia University via Flickr

Concordia University | Por Concordia University via Flickr

Montreal é a maior cidade da província do Quebec e tem a segunda maior população francófona do mundo, depois de Paris. Sendo assim, a maioria dos cursos universitários é em francês. Mas, tal como a ville de Quebec, Montreal também é bilíngue. Se você quer ter a experiência de viver nesta província e estudar em inglês, McGill, Concordia, Université de Montréal e a HEC Montréal oferecem alguns cursos, especialmente na pós-graduação. Essas mesmas instituições também oferecem bolsas de estudo. Vale a pena conferir.

École Polytechnique de Montréal e o Pavillon Roger-Gaudry da Université de Montréal | Foto: Laurent Bélanger via Wikimedia Commons

École Polytechnique e a Université de Montréal | Foto: Laurent Bélanger via Wikimedia Commons

Há alguns anos atrás entrevistei uma brasileira que estava terminando sua graduação em Montreal. Bolsista da Fundação Getúlio Vargas, ela queria estudar fora e foi atrás do seu sonho. Candidatou-se à graduação em McGill e foi aceita. Apesar de ter saído do Brasil sem uma bolsa de estudos, rapidamente conseguiu subsidiar seus custos internacionais. Acumulou uma vivência rica, que foi além da sala de aula. “Fiz parte do grupo que criou a primeira empresa júnior da universidade, trabalhei em vários empregos com vários professores, estudei demais, aproveitei tudo o que McGill me oferecia e mais. Foi sensacional, valeu a pena o esforço”. Pouco antes de se formar foi contratada por um importante banco em Nova Iorque. E está lá desenvolvendo sua carreira.

Montreal celebra importantes festivais de música, cinema, artes moda e design, dentre outros. Além disso é sede do Cirque du Soleil e da École Nationale de Cirque.

Se você se interessa por artes e história o Museu de Belas Artes, o Redpath, o McCord (de história canadense), o Centro Canadense de Arquitetura, o Palácio das Artes de Montreal e o Museu de Arte Contemporânea são imperdíveis. Assim como o Vieux-Montreal, o centro histórico.

Beaver Lake, Parc Mont Royal | Foto: JustLiza via Wikimedia Commons

Lac aux Castors, Parc Mont Royal | Foto: JustLiza via Wikimedia Commons

Cidade verde, Montreal tem muitos parques. O Jardim Botânico, criado em 1931, é um dos maiores do mundo. Mont Royal é a joia da cidade. Com 200 hectares, foi projetado por Frederick Law Olmstead, o arquiteto responsável pelo Central Park de Nova York. No inverno o Lac-aux-Castors se transforma em um imenso rinque de patinação. E no verão ciclistas, skatistas, corredores e pessoas tomando sol roubam a cena. A atividade física faz parte do cotidiano em todas as estações do ano!

Lac aux Castors

Os bairros de Montreal refletem o quanto a cidade é amigável e aberta ao contato com as mais diferentes culturas e costumes. Mosaicos étnicos com identidades próprias, oferecem aventuras gastronômicas aos mais exigentes paladares. Comer bem é uma herança francesa, cultivada até hoje.

O custo de vida, apesar de não ser baixo, certamente é menor do que em muitas capitais americanas e europeias. Fato é que Montreal tem a maior população universitária per-capita da América do Norte e foi eleita a sétima melhor cidade para estudantes no ranking da QS Best Student Cities de 2016.

Estudantes moram nas acomodações das universidades, alugam apartamentos no centro da cidade, vivem em repúblicas ou nos suburbs – bairros periféricos – quando querem manter um orçamento enxuto. Andam de bicicleta, a pé ou de transporte público, como todo mundo. A STM (Société de Transport de Montréal) é a corporação responsável pela mobilidade pública, oferecendo linhas de ônibus e metrôs. E estudantes podem adquirir o OPUS card for student que garante preços reduzidos nas passagens.

Pausa para o sol na McGill University | Foto: Eugene Kim via Flickr

Pausa para o sol na McGill University | Foto: Eugene Kim via Flickr

Há muito para aprender fora da sala de aula. No entanto, estudar fora também é uma empreitada acadêmica. As instituições de ensino esperam que você leve os seus estudos a sério. O equilíbrio ideal é se divertir trabalhando duro. Acredite, o resultado final traz muita satisfação!

Estudar na província do Quebec, seja na pequena ville de Quebec ou em Montreal, é ter acesso a excelentes instituições de ensino, diversidade, convívio com o bilinguismo e a sutil riqueza cultural que isso acarreta, e a certeza de um cotidiano seguro. E tudo isso permeado por um irresistível ar europeu em plena América do Norte!

>> Links úteis:

Ville de Québec 

Site oficial de turismo de Quebec 

Ville de Montreal 

Site oficial do governo de Quebec – estudantes estrangeiros

Visto para estudar no Canadá – Study Permit

Página oficial de imigração do Quebec 

Página oficial do governo do Canadá 

Página do Consulado-Geral do Canadá no Brasil

Profissões em alta para estrangeiros no Canadá

Andrea Tissenbaum, a Tissen, escreve sobre estudar fora e a experiência internacional. Siga o Blog da Tissen no Facebook e no Twitter