Curso online gratuito prepara brasileiros para pós-graduação no exterior

Curso online gratuito prepara brasileiros para pós-graduação no exterior

Andrea Tissenbaum

05 de junho de 2022 | 09h26

Foto: Giovani Rocha, doutorando em Ciências Políticas - University of Pennsylvania

Foto: Giovani Rocha, doutorando em Ciências Políticas na University of Pennsylvania

Oferecido pelas Fundações Estudar e Lemann, Prep Pós amplia o acesso a programas no exterior, especialmente para jovens negros.

Lançado em abril deste ano pela Fundação Estudar e pela Fundação Lemann, o Prep Pós-Graduação é um curso gratuito online com o objetivo de preparar e inspirar brasileiros das mais diversas origens a fazer suas candidaturas para uma pós-graduação nos Estados Unidos ou no Reino Unido.

A expectativa é que ao estudar fora, esses alunos adquiram conhecimento de ponta e criem uma rede global, retornando ao Brasil para multiplicar o que aprenderam nos mais diversos ambientes e apoiar o desenvolvimento de nosso país.

Juliana Kagami, coordenadora do Prep Pós explica: “este é um curso preparatório gratuito para jovens brasileiros que têm vontade de estudar no exterior, especialmente negros e de baixa renda, que dificilmente consideram essa opção em suas vidas”.

Juliana conta que após uma pesquisa na qual mais de mil jovens de diferentes origens sociais e regiões do Brasil foram entrevistados, as duas organizações perceberam quais eram as amarras que os impediam a realizar desse projeto: entender o processo de candidatura – que ainda é uma “caixa preta” para a maioria dos estudantes – e aprimorar o inglês.

Por essas razões, o Prep Pós-graduação explica detalhadamente o processo de candidatura e todo o passo a passo a ser realizado, incluindo o cronograma acadêmico, testes de proficiência, e documentos a serem apresentados. O inglês também é um tema fortemente trabalhado em um dos módulos do curso, por meio da apresentação de oportunidades para desenvolvimento pessoal no idioma. Para criar uma familiaridade com as expressões regularmente utilizadas pelas instituições de ensino, muitas palavras no idioma são utilizadas ao longo de todas as aulas.

O Prep Pós se divide em duas partes, começando com a tomada de decisão do aluno sobre estudar fora neste momento de sua vida. “Uma vez feita a escolha, eles passam para a execução do projeto que inclui as etapas de autoconhecimento, preparação para os testes, definição das universidades para candidatura e o application propriamente dito.

Além do expertise de longa data da Fundação Estudar e da Fundação Lemann, o programa conta com a parceria de instituições de ensino como a Universidade do Sul da California e o MIT. Ambas trazem informações relacionadas aos seus processos de candidatura explicando o perfil dos alunos que buscam e como fazer um bom application para seus cursos.

Com base na necessidade de bolsas ressaltada pela pesquisa, o curso aborda as ofertas existentes e o que é necessário fazer para candidatar-se ao longo de duas sessões. Dicas para redução de custos como provas de inglês mais baratas, ou não fazer a tradução juramentada de cara (e só apresentá-la quando aceito), também são oferecidas.

O Prep Pós-Graduação usa exemplos de pessoas com trajetórias diferentes das esperadas, que fizeram as coisas acontecer por conta própria e tiveram muito sucesso em suas jornadas. “São historias inspiradoras que trazem esperança para muita gente e a certeza de que estudar no exterior não é um objetivo impossível e muito menos inalcançável para aqueles que não cresceram em ambientes privilegiados. As universidades estão buscando exatamente essa diversidade entre seus alunos e há espaço para aqueles que, além de querer, se propõe a tentar e mais ainda, arriscar uma chance de encontrar um lugar ao sol”, reforça Juliana.

Um bom exemplo é a Ana Flavia, uma das alunas que conta sua história. Ela viveu o grande desafio de vencer sua insegurança e ansiedade para alcançar os resultados que desejava e podia. Próximo ao natal, quando Ana quase desistiu de fazer o exame GMAT, sua família se mobilizou para que seu irmão ficasse com ela uma semana ajudando-a a se organizar enquanto estudava para o exame. “Por meio da narrativa da Ana, conseguimos mostrar que ter uma rede de apoio forte durante o processo de candidatura é fundamental, uma vez que o application é difícil e exige dos alunos muito mais do que eles esperam”.

Juliana enfatiza que a origem do aluno e onde ele estudou não são empecilhos para estudar no exterior. “Na verdade, a trajetória individual é um fator positivo e valorizado pelas universidades, especialmente quando o aluno não teve tudo de mão beijada. O fato é que todas as experiencias profissionais, pessoais e acadêmicas dos candidatos são levadas em consideração durante o processo de candidatura, quebrando a crença e o tabu de que só alunos excepcionais podem estudar em uma boa instituição internacional. No entanto, foco e determinação são fundamentais. Se a aceitação não vem de cara (o que pode acontecer com qualquer aluno) ela chega para aqueles que persistem”.

As inscrições estão abertas e podem ser feitas AQUI. O curso é gratuito, você pode estudar em seu próprio ritmo e participar de sessões síncronas (ao vivo) para tirar dúvidas mais especificas.

Junte-se aos mais de 2,5 mil inscritos no Prep Pós-Graduação!

Andrea Tissenbaum, a Tissen, escreve sobre estudar fora e a experiência internacional. Também oferece assessoria em educação e carreiras internacionais.
Entre em contato: tissenglobal@gmail.com

Siga o Blog da Tissen no InstagramFacebook e Twitter.

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.