Brasileiros poderão iniciar seus estudos nos Estados Unidos este ano?

Brasileiros poderão iniciar seus estudos nos Estados Unidos este ano?

Andrea Tissenbaum

06 de maio de 2021 | 11h36

Foto: David Kovalenko, via Unsplash

Foto: David Kovalenko, via Unsplash

Com a embaixada e consulados fechados no Brasil, a dificuldade de tirar o visto, apesar dos esforços, ainda é grande. A data limite para os estudantes é agosto de 2021.

Em 21 de abril de 2021, um grupo de estudantes brasileiros aprovados em universidades estadunidenses, sem conseguir tirar seus vistos, enviou uma carta ao Itamaraty com mais de 1.100 assinaturas, pedindo ajuda. O documento teve apoio integral da rede de alunos brasileiros que participam da associação internacional BRASA, fortemente presente e ativa nos Estados Unidos.

Dentre os signatários da carta, vários foram aceitos em universidades altamente reconhecidas mundialmente para cursos de graduação e pós com bolsa integral. Se não conseguirem o visto, seus esforços irão por água abaixo. Como não há hipótese de começarem a estudar online, perderão suas bolsas, a oportunidade de se desenvolverem profissionalmente e a possibilidade de trazerem o conhecimento adquirido de volta ao Brasil. Estão absolutamente dependentes de um sistema que precisa ser rápido para que seu projeto e o investimento das universidades em seu potencial possam ser concretizados.

Renata Edaes Hoh, bolsista King Philanthropies, Dartmouth College

Renata Edaes Hoh, bolsa King Philanthropies, Dartmouth College

Renata Hoh, 19 anos, é de Mata de São João, litoral norte da Bahia. Em 2020, foi aprovada para cursar a graduação em Dartmouth College, uma universidade do prestigiado grupo de escolas Ivy League. “Dartmouth me nomeou King Scholar”, ela conta, “uma bolsa dada a apenas sete alunos internacionais por ano, que cobre todos os custos de minha graduação e me oferece um treinamento extensivo em liderança e impacto social junto a líderes globais”. No ano passado, a jovem não conseguiu o visto para sair do Brasil e “combinou” com a universidade iniciar seus estudos presencialmente em 2021. Recentemente conseguiu agendar sua entrevista de visto para o final de maio, mas explica que não pode mais adiar sua ida aos EUA: “a situação quanto ao agendamento de vistos permanece vaga para muitos de nós”.

Dirigentes de várias instituições de ensino onde esses alunos foram aceitos, enviaram uma carta ao congresso norte-americano sugerindo abertura dos consulados para pedidos exclusivos de visto de estudante F-1 e seu processamento, dispensa da exigência de entrevistas pessoais ou agendamento de entrevistas online, ou a possibilidade de uma autorização de exceção para estudantes – mesmo que as restrições de viagem continuem valendo para vários países e regiões.

De acordo com informações colhidas hoje, 06 de maio, na página da Embaixada Americana no Brasil, várias Exceções de Interesse Nacional (NIE) serão aplicadas às restrições de viagem para os Estados Unidos relacionadas ao Brasil, estabelecidas devido a pandemia da Covid-19. A decisão, anunciada pelo gabinete do secretário de Estado americano, Anthony Blinken, em 26 de abril, tem o objetivo de facilitar viagens legítimas ao país.

Segundo o texto, “acadêmicos, jornalistas e outros que possam se qualificar para uma Exceção de Interesse Nacional, incluindo aqueles com vistos válidos e ou com a Autorização de Viagem (ESTA), precisarão solicitar um NIE. Tendo a NIE aprovada, os indivíduos podem viajar com um visto válido ou a autorização ESTA”.

“Brasileiros que tiverem visto de estudante válido (categorias F e M) e iniciarão os estudos nos EUA a partir ou depois de 1º de agosto de 2021 poderão viajar ao país sem consultar a Embaixada ou os Consulados no Brasil. Entretanto, só poderão chegar nos EUA no prazo (máximo) de até 30 dias antes do início de suas aulas”.

Rebeca Fontoura, bolsista brasileira na Universidade de Harvard

Rebeca Fontoura, bolsa para a Universidade de Harvard

Rebeca Fontoura, 19 anos, natural de Bom Jesus do Itabapoana, interior do estado do Rio de Janeiro completou seus estudos no Instituto Federal Fluminense – Campus Bom Jesus. Aceita em 2020 na Universidade de Harvard com bolsa integral para cursar a graduação em inglês e ciência política, também teve que mudar seus planos para 2021 e não pode mais adiar sua chegada aos Estados Unidos. Após várias remarcações, conseguiu um agendamento para este mês. “Tudo aconteceu muito rápido e um dia meus amigos me avisaram que havia vagas no Brasil em maio (que acabaram em questão de segundos)”, ela explica.

Na página dedicada à atualização sobre viagens do Brasil aos Estados Unidos, “aqueles que necessitam de um visto de estudante devem consultar o site da Embaixada ou dos Consulados mais próximos. As entrevistas de visto para as categorias dessa exceção devem ser retomadas em meados de maio de 2021 se as condições permitirem”.  Vale ressaltar que todos aqueles que tiverem o NIE aprovado, também terão que cumprir com as medidas sanitárias exigidas para entrada no país, dentre as quais fazer um teste viral três dias antes do embarque aos EUA e fornecer documentação por escrito do resultado do mesmo (papel ou cópia eletrônica) à companhia aérea, estão incluídas.

João Pedro Fernandes, bolsista brasileiro na Universidade de Yale

João Pedro Fernandes, bolsa para a Universidade de Yale

O carioca João Pedro Fernandes, 20 anos, formado em uma escola pública federal, foi aceito na Universidade de Yale com bolsa integral. “No dia 26 de abril a mensagem que conseguiríamos partir para os EUA certamente trouxe imensa felicidade a mim e a muitos outros estudantes brasileiros”, ele afirma. “Com a noticia, entrei em contato com Yale pedindo para começar as aulas presencialmente ainda este ano”. João Pedro conseguiu agendar sua solicitação de visto para junho e está otimista de conseguir chegar ao seu destino em agosto para iniciar seus estudos.

No entanto, ainda de acordo com o site da embaixada, “a pandemia continua a limitar o número de vistos e as Exceções de Interesse Nacional que esta e os Consulados no Brasil são capazes de processar. As entrevistas de vistos talvez não estarão imediatamente disponíveis, mas encorajamos os indivíduos a planejar com antecedência. Como sempre, os solicitantes de visto devem consultar os sites da embaixada ou consulado mais próximo para obter as informações mais atualizadas sobre a disponibilidade de visto”.

Diante desta afirmação, fica a pergunta: brasileiros aceitos em prestigiosas universidades estadunidenses, poderão ou não iniciar seus programas a partir de agosto de 2021?

Para obter mais informações, consulte a página sobre a obtenção de vistos da Embaixada Americana no Brasil.

Andrea Tissenbaum, a Tissen, escreve sobre estudar fora e a experiência internacional. Também oferece assessoria em educação e carreiras internacionais.
Entre em contato: tissen@uol.com.br

Siga o Blog da Tissen no FacebookTwitter e Instagram.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.